[Aperta o Play]: Sandy

É novidade aqui o quanto eu sou fã da Sandy aqui no blog? Hoje a cantora completa 34 anos e sou fã e me acho tão parecida com ela em tantos aspectos: descobri depois que temos mesmo signo, ascendente e lua, ok pra você?

Meu amor por ela começou lá em 1997 – ufa, 20 anos – desde que eu vi no cinema o filme “O noviço rebelde” e desde então eu sou orgulhosa de dizer o quanto sou fã da Sandy. Tentei, com muita dificuldade, confesso, separar algumas das minhas músicas preferidas dela.

Aquela dos 30

Quem leu o post de ontem, vai saber o quanto eu peguei pra mim essa música, né? A Sandy gravou quando ela mesma tava perto dos ~temidos 30~ e me identifiquei tanto com ela e tudo o que ela me falava que ponto: é nossa. É uma das raras canções que me emocionam – tanto que eu sempre choro quando ouço no show.

Não dá pra não pensar

É a minha favorita dos tempos da dupla e me faz lembrar bastante a minha adolescência. Além disso, essa música é a carro chefe do meu álbum favorito, aquele que tinha a capa em p&b.

Segredo

Acho essa música tão sensacional que às vezes me faltam palavras, de verdade. O enredo dela é simples: ela larga o cara e mesmo assim sente falta Anos depois o reencontra e quer saber se eles ainda podem contar segredos um para o outro, já que ela mudou.

Nada é por acaso

“Nada é por acaso e nem precisa ter razão”, é assim o refrão da música que também fazia parte do meu CD favorito. E quem nunca usou a frase, hein? “Aaah, como eu quero você!”

Perdida e Salva

Fã que é fã dedica essa música pra Sandy. É só prestar atenção na letra. “E apesar de ser tão imenso, cabe em mim, o mundo que você me deu.” Eu adoro – novidade –  tanto que coloquei na lista de músicas do meu livro

Quando você passa

Ou Turu turu, pros íntimos. Dispensa apresentações, tem som de adolescência e de sofrer pelo crush.

 

Anúncios

Achei no Spotify

Umas duas semanas atrás, achei sem querer uma playlist no Spotify. E sabe o que aconteceu? Viciei em cinco músicas – que eu nunca tinha ouvido falar por sinal – e trouxe pra você aqui nesse post.

Jolene – Ray La Montagne

Com uma pegada bem country e um tanto voz e violão, “Jolene”, conta sobre um cara que perdeu a mulher amada – que dá nome ao título da música – por causa de drogas e bebidas. Não é tanto minha favorita quanto as outras, mas tem um ritmo bem bacana pra ouvir numa roda de amigos.

Sing to you – John Splithoff

Essa musica foi a última da lista que eu conheci e foi super por acaso. Pelo que eu andei pesquisando, esse é o único single do cara e foi lançado tem menos de um ano. Sing to you conta a história de um cara que deseja se declarar cantando pra alguém. Apaixonada!

Adele – Water Under the Bridge

Bom, quem é meu amigo mais intimo sabe o quanto eu torci o nariz pra Adele por motivos de achar que ela mais grita do que canta. Mas, ao colocar no aleatório, do nada comecei a ouvir Water Under the Bridge e ai já subiu a janelinha de #1 da cantora. Ela até que grita um pouco, mas o balanço da canção é tão gostoso de ouvir. Fora que eu me identifiquei super com a música.

Make it to me – Sam Smith

Sam Smith faz parte do seleto grupo: gosto das músicas, mas não sou fã do artista. Assim como Adele, ele exprime uma emoção – pra mim, ok? – bem forçada na hora de cantar. Mas ai veio “Make it to me”, com a sua letra maravilhosa que me deixou suspirando pelos cantos. Ponto pra você, Sam.

Wasn’t Expecting That – Jamie Lawson

Adoro a possibilidade que as plataformas digitais oferecem para gente conhecer novos artistas. Jamie Lawnson é um deles. Com apenas um álbum lançado em 2015, traz uma das músicas mais lindas que eu já ouvi, é uma declaração e tanto pro crush. Se tornou uma das minhas favoritas de verdade, daquelas que você ouve mil vezes sem enjoar!

[Aperte o Play]: Parece que foi ontem!

Viram o título? Pode não parecer, mas 2007 foi há dez anos! Eu tava largando uma faculdade e começando a fazer Jornalismo e tinha meus bons – que saudades! – 21 anos.  Os extintos orkut e o msn ainda eram OS caras das redes sociais. O youtube tinha um pouco mais de dois anos de criação e foi o ano que minha dupla favorita – Sandy e Júnior – encerrou sua carreira. Ou seja, foi pra lá de marcante, né?

Pois é, parece clichê, mas parece que foi ontem não é? E esse post é especial. Cinco músicas que marcaram o meu ano de 2007. Vamos dar o play ?

Girlfriend – Avril Lavigne

Parece bizarro, mas se prestar atenção a Avril não mudou nada nos últimos anos. Tirando a parte que queremos saber qual formol ela usa, a canadense lançava o seu hit Girlfriend. No clipe, Avril faz dupla interpretação: da namorada que é zoada por todo mundo e da sua rival, que quer justamente roubar o boy.

Say Ok – Vanessa Hudgens

Embalada pelo sucesso do segundo filme da High School Music, Vanessa Hudgens, a protagonista da trilogia lançava o seu primeiro sucesso solo, Say Ok. Eu amava (ou ainda amo?) essa música que falava sobre uma garota que não sabia se dava ou não uma chance pro crush. #quemnunca

Se ela dança, eu danço – Mc Leozinho

Muito antes de Anitta e Ludimila, quem predominava o cenário do funk carioca era Mc Leozinho. Embalada pelo seu sucesso anterior, “Ela só pensa em beijar”, Leozinho, veio com “Se ela dança, eu danço” que bombou nas pistas. Afinal, falei pro DJ!

Umbrella – Rihanna

Antes da RiRi se tornar essa pessoa que muda de cabelo como eu mudo de roupa, ela ainda era a menina do guarda chuva. Umbrella foi uma das primeiras músicas que a lançou pro mercado de música pop, fiquei pasma quando vi o tempo que tem. É uma das minhas favoritas delas, lembra que falei aqui?

Paraíso Proibido – Strike

2007/2008 foi O ano das bandas de rock – Nx Zero, ForFun, CatchSide – Strike sempre teve as músicas mais legais. E “Paraíso Proibido” fez tanto sucesso que foi tema de abertura da novela “Malhação” naquela temporada.

Aperte o Play: Justin Timberlake

Costumo me definir como uma pessoa bem eclética musicalmente falando. E não poderia deixar de trazer no Aperte o play de hoje, um dos cantores que mais admiro – tanto pela voz quanto pela beleza – e que graças a Deus tive a oportunidade de fazer um check na vida ao assistir um show dele, que valeu cada centavo, perrengue e suor.

Justin Timberlake ficou conhecido mundialmente ao participar da boyband N’Sync e namorar a princesinha do pop Britney lá pelos anos 2000.  Além disso, o cara atua, dança e compõe. Separei aqui então, as minhas cinco músicas favoritinhas dele para gente apertar o play.

Not a bad thing

Imagina a sua música favorita da vida? Aquela que consegue definir vários momentos importantes. Bom, é assim com Not a Bad Thing. Quem me apresentou foi a minha amiga Camilla, a mesma do vídeo Paulistas x Cariocas e se tornou tão preferidinha, que virou trilha do meu livro – os dois primeiros capítulo você encontra aqui – e é daquelas que eu ouço todos os dias.

What Goes Around.. comes around

Essa canção, que era minha favorita dele antes de Not a Bad Thing, talvez seja a canção que mostrou pro mundo que Justin não era mais um rostinho bonito de boyband. Lançada em 2008, a música tem uma mensagem bem bacana: “What goes around/Comes all the way back around”. (O que vai/Faz todo o caminho de volta)

Mirrors

Tenho uma história bem engraçada com Mirrors. Lá em 2013, quando Justin Timberlake veio ao Brasil para o Rock in Rio – e eu estava lá – era completamente viciada. Corta para outro ano e essa mania que tenho de associar música/pessoa, me fez ter um pouco de bode dela por meses e meses. Hoje, não consigo ouvir sem dar risadas. Apesar da música ser ótima, preciso confessar que prefiro a versão que o Boyce Avenue canta.

Suit and tie

Lançada na mesma época de Mirrors, Suit and Tie tem uma batida pra lá de gostosa de ouvir. Em parceria com Jay Z, fez um sucesso enorme lá pra 2012/2013. Mas é uma das que de tanto ouvir, a gente acaba enjoando.

Love Never felt So Good

Menção honrosa da lista. Essa música, feita ‘em parceria’ com Michael Jackson, é uma das que considero mais fofas que o Justin Timberlake canta. Além disso, o clipe é daqueles que conseguem te passar uma mensagem pra lá de animada.

[Aperta o play] : #Tag 10 músicas

Revirando alguns canais no Youtube, achei a seguinte tag: ’20 músicas’. E achei engraçada ver o gosto musical da galera. Como não tenho canal, resolvi adaptar e criei a minha própria lista. Eu já queria há tempos responder algumas TAGs e achei o momento  bem propício. Dá o play!

– Que tá no repeat:
Not a bad thing – Justin Timberlake

Eu amo tanto essa música e ela me representa tanto que eu sou capaz de ouvir o dia todo, sem conseguir enjoar. Quem me apresentou ela foi uma amiga há uns dois anos e desde então virou meu xodó. O amor é tanto que mesmo já tendo uma música #1 pro meu livro, quando vi a letra dessa, não tive duvidas: vai entrar também.

– A que te tira da bad:
Stronger – Kelly Clarkson

Sabe música boa que você ouve naquele momento X da vida, se identifica e vira favoritinha sempre que rola um momento bad na vida e só de ouvir, você melhora? Pra mim, é Stronger, da Kelly Clarkson. E ela ta longe mesmo de ser uma das minhas cantoras preferidas. A letra diz tudo e oh, recomendo se você precisa de um up na vida.

What doesn’t kill you makes you stronger
Stand a little taller
Doesn’t mean I’m lonely when I’m alone
What doesn’t kill you makes a fighter
Footsteps even lighter
Doesn’t mean I’m over cause you’re gone

– Favorita da vida:
Here Without you – 3 Doors Down

Lembra lá em cima que eu falei que o livro que to escrevendo tem até trilha? E que tem a música que é carro chefe? Pronto, é essa a minha favorita da vida. Eu amo tanto essa canção do “3 Doors Down’. Não tenho muito o que falar, só ouvir!

– Torço nariz pra:
Roar – Katy Perry

Minha máxima é de que quando não gosto de uma coisa eu nem procuro perto de mim. E eu tenho um pequeno leve bode da Katy Perry, pronto falei. Até curto as músicas dela, mas não sei se pagaria para ver um show solo dela, por exemplo. Entre todas, a que acho mais chatinha é Roar.

– Favorita pra dançar:
Na Batida – Anitta

Eu amo funk e sou fã da Anitta – e que me perdoem os moralistas de plantão! – mas o som dela é bom demais. E é uma das minhas favoritas quando o assunto é dançar na night.

– Que te faz chorar:
Photograph – Ed Sheeran

Falei o quanto me emocionei quando eu vi “Como eu era antes de você”, não é? Acho que eu ainda não consegui absorver – mesmo já sabendo qual era o final! – e é só tocar essa canção que ta na trilha do filme e desato a chorar.

– A que representa um momento feliz:
Coração apertado – Thaeme e Thiago

Já falei outras vezes que eu associo muito lugares, fatos e pessoas com músicas. Sejam eles bons ou ruins. E quando pensei em uma música que representa um momento feliz, entre tantas, a primeira que me veio na cabeça foi essa, da dupla Thaeme e Thiago. Fui em um show deles no fim do ano passado e desde então tenho um carinho sempre que eu ouço essa música.

– Que você nunca vai esquecer
Aquela dos 30 – Sandy

Se você é no mínimo leitor do blog, já deu pra entender que a minha cantora favorita é a Sandy. Sou fã de ir e chorar no show, sim! E de todas cantadas por ela em mais de vinte anos de carreira, “Aquela dos 30” tem um gostinho especial: ela me representa e muito! Esse ano fiz trinta e desde que a San lançou essa canção, eu ficava contando os dias. Acho que faz parte das poucas músicas que nunca vou esquecer.

– Que você quer casar:
When I fall in love – Nat King Cole

Não sei quando eu decidi que essa seria A música do meu casamento – que está longe de rolar, diga-se de passagem! – mas eu sou tão apaixonada por ela e ela me traz uma paz tão grande que eu nem sei explicar.

– A que você canta bem alto:
Nada é por acaso- Sandy e Júnior

Claaaro que meus ídolos ad eternum iriam aparecer aqui. E, olha, foi difícil escolher a deles que eu gosto de cantar bem, bem alto! E essa faz parte do meu trio de músicas bem alto!

Aperta o Play: Riri

Costumo dizer que a Rihanna tem duas fases: antes e depois do Chris Brown. E, revelo aqui: prefiro muito mais a primeira. Mas, ao separar as músicas preferidas para esse post de hoje, foi difícil escolher apenas algumas canções dela. E pude constatar que sou fã da Riri, mesmo ela tendo me decepcionado no último show do Rock in Rio (quem não lembra que ela atrasou a entrada e ainda cantou só pedaços das suas músicas?)

A cantora e atriz, de vinte e oito anos, nasceu no Barbados e é uma das divas pops mais admiradas no mundo, mesmo com todas as polêmicas (drogas e violência com seu então namorado Chris Brown) envolvendo o seu nome. Porém, uma coisa é fato: tudo que ela lança se torna hit. E eu bem selecionei as minhas seis preferidas pro Aperta o Play de hoje!

Hate that I Love you

Baladinha mais fofa do mundo, ideal pra mandar boy! Gravada com o Ne-yo e ta entre as minhas preferidas dela também (acho que eu amo todas dessa lista!). A letra é linda, fala de como você odeia o cara pelas atitudes, mas não consegue deixar de amar pelo modo como ele te faz sorrir. Quem nunca, né?

Don’t stop the music

Gosto de músicas que marcam pessoas, época ou acontecimentos na minha vida. E essa é mais uma.t Lançada mais ou menos 2007, essa daí tocava no meu mp3 player dia sim e dia também quando estava nos primeiros períodos da faculdade e em várias festinhas que eu fui. Quem nunca dançou pulando ao som dessa canção, não sabe o que é aproveitar. Que saudades!

Umbrella

Assim como a música de cima, Umbrella também marcou a mesma época. Nova faculdade, novos desafios e novas amizades. Tudo novo. E eu debaixo do tal guarda chuva que a Riri tanto fala nessa canção. Carinho por ela, pra sempre!

Rehab

Lembra que eu falei que música é importante pra mim quando ela marca algo? Então é assim Rehab na minha vida. Marcou uma ida a uma cidade distante umas três horas daqui do Rio, em um dia que se tornou bem importante depois. Além de ser uma parceria com meu muso Justin Timberlake!

California King Bed

Por pouco não entrou aqui por um motivo bobo: não lembrava que era ela que cantava. Mas ai fui filtrar a minha lista e ela praticamente pulou com um ‘me coloca lá, por favor’. Pedido aceito! Já aviso logo se você não conhece: música pra ouvir debaixo das cobertas com um brigadeiro. Sem mais!

If It’s Lovin’ that you want

Não sei se essa é a minha favorita dela, mas ta fácil nas #3. Acho até que foi a primeira música que eu ouvi e me amarrei no som e na letra. Isso sem falar que ela tava absurdamente linda e natural no clipe, gravado numa praia maravilhosa! Dá o play no vídeo!

Aperta o Play: Sandy, no Meu Canto

Que eu sou fã da Sandy não é nenhuma novidade aqui no blog, não é? No final de maio eu fui – depois de uns dois anos de ‘seca’ – no novo show dela e ano passado, me aventurei no SuperStar só por causa da Sandy. E quem acompanha a vida da cantora sabe que no fim de junho, mais precisamente 24 de junho, chegou às lojas o seu mais novo trabalho, o DVD “Meu Canto”, gravado em Niterói, no estado do Rio de Janeiro, no mês de novembro.

Sandy, que tem mais de vinte anos de carreira, trouxe nesse novo álbum um mix: releituras de canções dos tempos de dupla e dos seus dois trabalhos anteriores. Além disso, cinco inéditas. E é sobre delas que eu vou falar no Aperta o Play de hoje! Confere só!

Meu Canto

Essa é mais uma intro (que é seguida de “Sim”) que a cantora compôs e que deu nome ao show e ao álbum. Em entrevista, Sandy afirmou que ‘Meu canto’ tem sentido duplo: o ato de cantar e que ela queria levar aos seus fãs uma parte do seu canto.

“Seja bem-vindo. Entre sem bater
Sem julgar, sem tentar entender”

Salto

Quem acompanha desde sempre a trajetória da Sandy, vai reconhecer que nessa música que ela compôs junto com o marido, é praticamente uma declaração de amor pra ele. Inclusive, ela afirma isso tanto no making off quanto no show!

“Me decifra e me traduz, nas minhas sombras você vê a luz. Você sabe tudo, e tudo bem.
O que eu sou de verdade.E só presa a você.Eu me sinto em liberdade.”

Cantiga para Luciana.

Malz aê, San! Te amo e sou fã, mas essa música me dá um sooonooo.. Acho chata e cansativa. Mesmo assim, ela a desenvolve com uma maestria tamanha. Apesar de não ser tão inédita assim, é a primeira vez que ela coloca em um show dela. A canção é uma homenagem ao seu avô, Zé do Rancho, uma das suas maiores inspirações.

“Nasceu na paz de um beija-flor. Em verso em voz de amor
Já desponta aos olhos da manhã. Pedaços de uma vida”

Me Espera. (ft. Tiago Iorc)

Gente! É sério, essa é uma das melhores músicas que ela gravou! Tanto que ela escolheu pra divulgar o trabalho e ta bombando nas rádios e programas de televisão.  Junto com o Lucas e o próprio Tiago Iorc, Sandy conseguiu reunir boa melodia, letra suave e sintonia na parceria com o Tiago em uma só canção! Isso sem contar do clipe, que é maravilhoso.

“Tenta me reconhecer no temporal. Me espera.
Tenta não se acostumar. Eu volto já. Me espera”

Colidiu

Basta a gente ouvir as primeiras frases da música pra saber que essa é mais uma declaração pro seu marido, Lucas que escreveu junto com a Sandy. Daquelas que é ótima pra gente mandar pro boy, sabe? Animadinha, dá vontade de sair dançando quando cozinha, quando ta se arrumando.

“Você não era o homem dos meus sonhos. Porque enfim faltava imaginação
Reescreve a minha história com sorrisos. Transforma o meu silêncio em canção”

Respirar

Lembra que falei lá no começo que a Sandy participou como jurada do programa SuperStar? Em um dos episódios ela propôs pro vocalista da banda Reverse, Daniel Lopes, que gostaria de compor com ele. E não é que esse pedido foi atendido? Essa música também foi a primeira a ser divulgada, antes mesmo da gravação em novembro em um show teaser da cantora. Fala de como aproveitar mais a vida, sabe? Amo também, ta favorita e já sei todinha.

“Voos podem ser mais altos. Frases podem ser mais belas
Hoje eu vou gritar mais forte a sorte que a gente tem. De ser feliz sem ser refém”

Aperta o play: Músicas de 2006

Você lembra o que aconteceu em 2006? Bom, eu entrava na minha primeira faculdade – Webdesigner, que não conclui – e tinha acabado de entrar pros vinte e poucos anos. A Itália aquele ano foi a campeã da Copa do Mundo sediada na Alemanha em cima da França. No cenário político, Lula se reelegia.

A novela das nove era “Páginas da Vida” e a então ex-BBB Grazi Massafera estreava em horário nobre.No mundo da internet, o Youtube caiu no gosto popular. Mas e na música, lembra quais eram as que mais estouraram naquele ano e UAU, já se passaram dez anos? E se quiser entrar em choque também, confere aqui as que completaram uma década em 2015.

SOS – Rihanna

Na fase pré-loucura e pré- Chris Brown (e a minha preferida!) a Riri emplacava músicas ótimas e boas pra dançar na balada! Ela era muito mais legal e as suas canções muito mais simpáticas! Foi mal, Bad Girl!

Promiscuous – Nelly Furtado

Muita gente conheceu a Nelly Furtado com o hit “I’m like a bird’ (amava!), mas ela bombou mesmo com “Promiscous” nessa fase muito mais ousada e que tocava di-re-to na balada. #danceimuito. Aliás, tá sumida, Nelly! Joga mais sucesso pra gente, garota!

Me Namora – Edu Ribeiro

Momento own e #coraçãoapaixonado do post. Se você tem mais de 20, com certeza suspirou com os versos dessa música: “Me namora, pois quando eu saio eu sei que você chora. E fica em casa contando as horas“.

Put your records on – Corinne Bailey Rae

Trilha sonora da novela “Páginas da Vida“, essa música é uma fofura de ouvir até hoje. A cantora britânica Corinne Bailey Rae de voz macia e suave surgiu com essa canção e figurou o topo por um tempão Então, ‘tell me your favourite song’?

So Sick – Ne-yo

Confesso que por um tempo tive um bode por causa dessa música -motivos pessoais, ok? – mas coloquei ela na lista de tanto que eu ouvi láá em 2006. Era uma fase bem hip hop (que durou até mais ou menos 2009) e que bombou com Ne-yo e Akon.

Tremendo Vacilão – Perlla

Antes da Anitta, Ludimila e Lexa a rainha do funk era a cantora Perlla e seu hit ‘Tremendo Vacilão” que bombou e muito nas pistas. Na letra, Perlla diz que tá cansada do boy que promete, promete e não faz nada. Quem nunca, né? Agora Perlla é cantora evangélica e pasmem: minha vizinha!

Aperta o Play: trilha do meu livro!

Não é surpresa para quem acompanha o blog há um tempinho que eu estou escrevendo um livro, não é? Já coloquei inclusive o primeiro e o segundo capítulo aqui. E, como eu sou apaixonada por música, o Aperta o Play de hoje tá mais que especial: ele traz a playlist do livro – ainda sem nome definido, ok? – com as seis músicas que mais me inspiraram – ou me remetem aos momentos – de algumas partes do livro.

Costumo dizer que a minha história é puramente ficcional. Ou não. Costumo que todos os personagens existem e que pode ser o meu amigo, vizinho ou colega de trabalho.

Here Without You – 3 Doors Down

Saca aquela música do casal de protagonistas e que toca tanto na novela – e nos rádios também – que gente ama enjoar? É essa, do 3 Doors Down. Tanto que ela foi citada em dois momentos cruciais da história e é de longe uma das minhas canções favoritas da vida.

Not a Bad Thing – Justin Timberlake

Minha queridinha do momento, a canção do príncipe do pop Justin Timberlake, é uma verdadeira declaração de amor, gente! E isso se aplica aos nossos protagonistas da vez, pessoal. Eu não posso contar muita coisa – ou iria estragar a surpresa, né? – e quando vocês lerem vão entender o que estou falando.

Ruas de Outono – Ana Carolina

Admito: os nomes dos personagens principais foram inspirados em um livro que eu já li tranquilamente umas três vezes. A história em questão é “Um coração em guerra”, da Li Mendi que já apareceu aqui no #TemQueLer. No e-book, a Li citava uma música a cada capítulo e uma delas era Ruas de Outono, que acabei conhecendo por lá e trazendo pro meu universo também.
Take a Bow – Lea Michelle

Eu podia dizer que essa apesar de não ser a música principal, foi a trilha de uma viagem que fiz ao interior do Rio de Janeiro em maio de 2009 e que acredito que desencandeou o começo da história. Algo como o star do processo. Mesmo a canção original ser da Rihanna, foi na voz da Lea Michelle, em um episódio da primeira temporada de Glee, que eu me apaixonei por ela e precisei colocar ela aqui.

Zen – Anitta

O processo de escrever esse livro tem umas duas partes. A primeira, lá em 2009/2010, o começo de tudo – eu coloquei ele em um blog, já extinto – e a segunda depois de um longo período em 2013. Quando essa música fazia todo o sentido pra mim e pra história e pras inspirações.

Segredo- Sandy

O começo da história é simples: há um desencontro entre Isabella e Caio de pelo menos uns cinco anos. Ela muda, ele também. E é isso que a música da Sandy confessa: “Me assusta não saber nada de você. E não ter com quem falar de mim” e por ai vai.


Se você quiser ouvir o resto da playlist – ela tá no Spotify com 34 músicas – é só clicar nesse link aqui. E o livro, prometo, chega em breve.

Turnê Meu Canto: eu fui!

Quem já me conhece, pode perceber o quanto eu sou fã da cantora Sandy Leah. Ano passado eu contei aqui a minha aventura na plateia do programa SuperStar em que ela é jurada. E, no último sábado, lá fui eu conferir a nova turnê dela, intitulado ‘Meu Canto’. Esse nome, segundo a propria Sandy, tem dois significados: o seu amor por cantar e mostrar ao seu público um pouco mais dela.

Diferente das outras apresentações que eu fui, resolvi escolher um lugar lá atrás. Queria ver o show por completo, ter uma visão total do palco, sem o murmurinho dos fãs mais eufóricos. E dessa vez consegui ver uma Sandy mais madura e segura no palco, com composições que mostram o seu melhor momento.

A apresentação em solos cariocas da cantora , trouxe uma surpresa: o making off do seu DVD que conta com duas participações pra lá de especiais: Gilberto Gil, em “Olhos Meus” e Tiago Iorc, com uma música inédita ‘Me Espera‘. Essa última, aliás, foi escolhida por Sandy para ser o carro chefe nesse seu novo trabalho e é deliciosa de se ouvir.

O show começa com a música “Sim“, seguida pela minha favorita e a que mais vibrei, confesso: “Aquela dos 30“. Sandy então vai embalando seus fãs com um sucesso atrás do outro dessa sua fase solo. Com quatro canções inéditas – “Respirar“, “Salto“, “Colidiu” e “Me Espera” – ela vai contando como foi o processo de criação de cada uma.

Além disso, Sandy faz duas homenagens: ao cantor Nando Reis com a canção “All Star” e ao seu avô, cantando “Canção para Luciana“. E, é claro aos seus fãs desde o tempo com o seu irmão Júnior, e as escolhidas da vez foram ‘Nada é por acaso’ e ‘Desperdiçou’. E é nesse momento que os fãs digamos mais eufóricos, correm para mais perto do palco. Lembra no começo do texto que escolhi uma mesa lá atrás? Por isso. Mas, como boa fã dela, foi impossível não me levantar e começar a dançar ali mesmo, no meu lugar.

Sai de lá com a alma mais leve, rouca, olhos inchados de tanto chorar e a certeza que o meu amor e admiração por ela só aumentam! E você, tem algum ídolo ?

Créditos das fotos: Google e Instagram da Sandy

Aperta o Play: The Weeknd

Eu conheci o The Weeknd vendo o snap de alguma famosa em algum show deles. Curiosa pelo som, fui procurar mais detalhes da banda e descobri que, tcharan, é na verdade um cantor! Canadense e com nome artístico de The Weeknd, Abel Makkonen Tesfaye começou a sua carreira lá em 2010.

Oscilando entre o R&B, o pop e o hip hop, a maioria das músicas do cara – que ficou famosão quando teve canção na trilha do filme “Cinquenta tons de cinza” – são as que esbanjam sensualidade nas letras e melodias. Separei as minhas três preferidas pro “Aperte o Play” de hoje. Confere e dá logo o play!

Love me Harder

A música é na verdade uma parceria com a cantora teen Ariana Grande (aquela menina que vive com o rabo de cavalo, saca?) é uma baladinha romântica, das bem boas. Vale a pena mandar pro boy!

The Hills

Acho que dessas três, deve ser a mais famosinha com clipe rodando na televisão e tocando direto nas rádios. The Hills tem uma batida bem forte e um clipe bem pesadinho. Mas a música é boa, vale super a pena.

Can’t feel my face

É a minha preferida dele, do nível que ouviria muitas vezes direto, sabe? Dançante demais, porém sem ser enjoada ou agitada demais. Tem meu repeat sincero!

Aperta o play: Purpose e Justin Bieber

Confesso: sempre torci o nariz pro menino Justin, mas agora estou completamente viciada nesse último CD do rapaz. Ok, sou oficialmente uma Belieber! #prontofalei.. O lance é que “Purpose”, mostra uma fase mais madura do cantor canadense, de apenas 22 anos.

Bieber despontou – e arrasou o coração das adolescentes – em 2009 quando tinha apenas 16 anos com o hit chiclete “Baby”. E no ‘Aperte o play’, as minhas cinco músicas que não saem da minha cabeça!

What do you mean

De longe, o melhor acerto do menino Justino até agora. Pra variar, não lembro quando foi a primeira vez que eu ouvi. Mas é daquelas que você ouve mil vezes sem enjoar, sabe? Poderia passar o dia escutando!

Sorry

Música per-fei-ta pra malhar. “Uhhh .. Sorry”, é daquelas beeem dançantes. Vale suuuuper a pena. Impossível não ouvir o refrão e não querer sair rebolando por ai.

Love Yourself

Dizem os boatos que esse single foi feita para a ex dele, a atriz Selena Gomez. Uma baladinha mais romântica, com um quê acústico. Boa pra relaxar.

Where Are You Now

Em parceria com o produtor Skrilexx, a música tem a cara da balada e pros fãs de eletrônico..

All In it

De todas, é a mais romântica. Perfeita pra mandar pro boy.

Aperta o play: 5 músicas pra virar fã de AlunaGeorge

Talvez você já tenha escutado falar deles, mas caso sua memória ande falhando, eles abriram o show da cantora Katy Perry na última edição do Rock in Rio (2015), encarando chuva e um público completamente novo e que não conhecia o trabalho deles. Eu mesma confesso que quando vi o nome na programação, desliguei a TV por nunca ter ouvido falar. Sorte que um amigo meu indicou depois e me apaixonei por eles. Agradeço até hoje!

Não tão populares pelo Brasil, os músicos que tem uma pegada eletrônica moderninha, possuem tem como referência o hip hop, R&B dos anos 90 e house, Aluna tem uma voz suave, mas sem ser chata. Já George, é o responsável pela parte instrumental.

A dupla londrina, Aluna Francis e George Reid, foi criada em 2009 e até agora possui um disco (Body Music) com 14 faixas lançado há quase três anos e outros singles espalhados por ai – o último foi lançado mês passado! – e separei cinco músicas que são as que mais ouço. Então, aperta o play!

We are chosen

É de longe, a minha preferida deles, aquela que não canso de dar ouvir mil vezes seguidas, sabe? Mais uma pra lista de favoritas da vida, We are chosen, é daquelas músicas que a gente consegue dar uma viajada só com a voz quase infantil da Aluna.

You know you like it

Talvez essa seja a mais famosinha da dupla e uma das poucas com clipe oficial. Ótima pra ouvir enquanto malha. Além disso, tem várias versões. Boa também!

I’m in control

Eles lançaram esse single final de janeiro, em parceria com o cantor Popcaan e vai fazer parte do próximo álbum da dupla. Já ta no repeat!

Automatic

Em parceria com o produtor Zhu, “Automatic” foi lançada no mês de setembro de 2015 e daquelas feitas pra dançar, sabe?

Your drums, your love

Se eu fosse fazer uma lista com todas elas, certeza que estaria na última posição. Com uma pegada meio anos 90 – uma das referências musicais da dupla – a canção tem tudo pra grudar.

Jorge e Mateus: eu fui!

Desde pequena, fui fã de sertanejo. Fui criada ouvindo Chitãozinho & Xororó, sabe? Quando cresci, o gosto continuou. Desde 2010, conheci uma dupla que encanta meu coração até hoje: Jorge e Mateus. Como moro no Rio de Janeiro e a cultura sertaneja não é tão presente quanto em outros lugares do Brasil, ter um show do tipo não é algo que rola sempre.

No final de junho, anunciaram mais um show da dupla aqui no Rio. Era o quarto só esse ano. Como não tinha companhia para ir, pensei por alguns dias. Mas pensei: ‘Poxa, sou fã dos caras. Eles nunca vieram tanto. Acho que vou aproveitar’. Tradução: era um sinal de que eu TINHA que ir. Mesmo que fosse sozinha. Na hora da compra do ingresso até pensei por alguns segundos, mas a vontade era bem maior.

Entre a compra e o dia do show, se passaram mais de um mês (comprei começo de julho e o show foi agora, 20 de agosto) e a ansiedade só aumentava. Tinha um show de abertura, do cantor – também sertanejo – Israel Novaes e que já tinha começado quando cheguei. De um modo geral, o show dele é bem mais ou menos. Que me perdoem os fãs, mas ele não tem presença de palco e carisma. Conversando depois com um amigo (que já foi no show dele e é fã de sertanejo também), concluímos que ele precisa de umas dançarinas. Além de cantar mal. Eu mesma, conhecia só umas três músicas dele.

israel

Quando o show do Jorge e Mateus começou, meu coração parece que ia sair pela boca. Uhum. Ainda mais que eu estava beeem pertinho do palco, praticamente tocando no Jorge. A cada música que eles cantavam, meu coração acelerava, me entreguei total ao show.

O Jorge é o mais participativo e interativo com a galera. Brinca, interage, conversa com os fãs, anda de um lado para o outro no palco. Já o Mateus é mais contido e tímido, fica lá com a sua guitarra e seus solos incríveis. Além disso, não existe uma lógica que muitos artistas gostam de levar para as suas apresentações, não conta uma história, sabem? No metade, eles fazem uma espécie de linha do tempo, um pout-pourri com os primeiros cinco anos de carreira (2005-2010) e ai que entra a primeira música que eu curti deles, O mundo é tão pequeno.

IMG_20150822_014110

Nesse show, eles levam fãs pro palco pra dançar e uma mulher pediu o namorado em casamento. Lembra que comentei lá em cima que o Mateus arrasa no solo da guitarra? Ele canta sozinho ‘Thinking Out Loud’, do Ed Sheran (eu amo essa música!!! Pirei quando ele cantou) e também “A sua maneira”, do Capital Inicial. É o momento dele com os fãs.

São uma hora e quarenta de música e mais música. Só sertanejo, só sucesso. Só vibração boa. Que me perdoe o rei Roberto Carlos, mas foram tantas emoções que estou até agora, sem palavras. Só com um sorriso enorme de ter feito mais um check na vida.

As músicas que estão debutando.

Fazendo as contas, já se passaram quinze anos desde que chegamos nos anos 2000, aquele ano bacanudo com um monte de coisa legal para se relembrar. Se assustou? Eu também. Mas vai se assustar mais ainda quando terminar de ler o post de hoje, que fala de seis músicas que bombaram naquele ano e que a gente não se deu conta disso

Lucky, Britney Spears

A eterna princesa do pop bombava nos anos 2000, fazia um pá de show – a maioria no playback, namorava o Justin Timberlake e emplacava um hit atrás do outro. Lucky é um desses. A música fala de uma garota chamada ‘Lucky’, que precisa estar sempre bonita e perfeita e ao contrário do que muito pensavam, era bem solitária. Qualquer semelhança com a vida da cantora, não era mera coincidência.

Man, I Feel like a woman, Shania Twain

Música daquelas que merecem ser ouvidas no máximo e no meio de uma estrada enquanto você dirige sem rumo. #meusonho. Ou com amigas em um momento liberte-se total. Shania, nessa época, figurava seus hits como uma Celine Dion classe B.

Você Chegou, Ls Jack

Banda bem sucessinho nos anos 2000, antes do vocalista Marcos Mena resolver ficar fitness com cirurgias que deram errado, eles tinham um sucesso atrás do outro, com trilha em algumas novelas. Essa música foi uma das primeiras deles (a primeira mesmo foi ‘Ohhhhh Caaaarlaaaa’) e é daquelas que você toma susto quando vê que já tem esse tempo todo

Balada do amor inabalável, Skank

Ficou bem conhecida por conta de ter feito parte da trilha da novela ‘Laços de Família’, do Manoel Carlos. A banda mineira já era famosa antes disso, mas essa música é tão delicinha de dançar e curtir…quem nunca mandou uma dessas na vida: ‘eu vou dizendo na sequência bem clichê, eu preciso de você’, não é?

Anna Julia, Los Hermanos

Antes de mais nada, queria falar que tenho um certo bode pela banda e essa é a única música que gosto deles, me julguem. LH estourou no cenário pop com essa canção que teve a atriz Mariana Ximenes (também em começo de carreira) como a mocinha do título que esnoba o boy a festa inteira, numa pegada bem anos 50/60

Amor, I love you, Tribalistas

Vai, confessa que você já suspirou pelos cantos com essa música. Eu também, eu também. O trio, formado por Marisa Montes, Carlinhos Brown e Arnaldo Antunes, ainda presenteava os românticos de plantão com um poema declamado no meio da música.