Paulistas x Cariocas: o vídeo!

Nunca contei aqui, mas entre 2008 e 2011 (ou menos, talvez!) eu tive um blog, já deletado. Ainda era uma mera estudante de jornalismo e quis me aventurar na parte da escrita, mas nada muito profissional. Dava na telha de escrever um assunto X, abrir o blogspot e tcharan. Post novinho. Escrever o texto, sem lead, sem saber se o feedback era ok, sem pensar. Aprendi muito que vocês nem imaginam!

1240631_10151834447093901_585803596_n

Nós duas no RiR/2013

E entre tantas coisas bacanas que a internet proporciona foi nesse momento também que veio as amizades. E a primeira, sem dúvida foi a Camilla, que também tinha um blog. Era 2009, o momento era conturbado pra mim. Ela, terminando a faculdade, também de jornalismo. Eu, na metade e sem saber que rumo tomar. Emails e mais emails trocados quase que diariamente. Sim, meus caros. O whatsapp nem tinha dado as caras por aqui.

O tempo passou, nos conhecemos pessoalmente e ficamos mais unidas. Rimos, bebemos, brincamos e nos entendemos pelo olhar já, mesmo com pouca convivência. A Cá é daquelas amigas loucas que embarcam na suas maluquices e teorias sem te julgar! Dividimos nosso amor pelo ator Marco Pigossi, olha! Somos fãs de novelas antigas e até já temos o projeto de escrever a nossa a quatro mãos.

Até que resolvi largar minha vida em 2014 aqui no Rio e passar uma temporada pra fazer um curso lá em São Paulo, cidade em que a Camilla vive. E quem estava comigo, na mesma sala de aula? A Camilla, claro! Tanto ela quanto a família e os amigos me receberam super bem.

10262023_10152095627226434_590237997995634787_n

Aniversário da Cá – SP, 2014

E foi entre uma aula e outra sobre o que a gente ama – o Jornalismo Feminino -que o mosquitinho do blog picou nós duas novamente e o cantinho dela – o Fik Dik – nasceu poucos meses antes do Entre Nós. E desde o comecinho do ano, a Camilla resolveu se aventurar no mundo dos vlogs! Metida que sou, quando soube que ela iria passar no começo do mês um findi aqui em terras cariocas, fui bem direta: ‘Quero participar do seu canal!”. E como deu pra perceber lá no título, o tema foi beem bacana: falamos – e muito! – as diferenças que existem entre os Paulistas (Camilla) e Cariocas (Eu, Natália).

Espero que vocês curtam e se divirtam tanto quanto nós duas curtimos gravar! E aquilo que vocês já sabem: dá o like e se inscreva no canal. Quem sabe, um dia, não me animo para fazer um canal meu também. Só dar play no vídeo abaixo:

Anúncios

Haja Coração, a nova das sete!

Que eu sou fã de novela, isso não é novidade por aqui. Mesmo que não acompanhe a novela diariamente, tenho uma mania pra lá de interessante: gosto de ver o primeiro e último capítulo, sempre. Por mais que não acompanhe a novela como um todo – a última que vi toda foi “Boogie Oggie” – tenho essa curiosidade. E, como hoje entra no ar a nova das sete, “Haja Coração“, vou te dar aqui sete motivos para ficar ligados na frente da televisão.

O autor é o mesmo da novela Alto Astral…

… e a novela fez bastante sucesso na época! (lembra, teve post aqui sobre a estreia!) Por isso, Daniel Ortiz – agora não tão novato assim – volta escrevendo “Haja Coração“.

É quase um remake de Sassaricando

Quando digo quase, é que o autor afirmou que “Haja Coração” é uma homenagem para novela que bombou nos meados dos anos 80. Ainda segundo Ortiz, ele usou a história de Sassaricando como base para essa nova trama, incluindo novos personagens e quem sabe novos rumos. É esperar pra ver.

Começa numa terça!

Acreditem, mas dessa vez a Rede Globo resolveu inovar e diferente do que é sempre visto, a novela dá seu start hoje, numa terça feira (dizem também que é guerra de audiência com a Rede Record), dia 31 de maio. E quem disse que a semana começa na segunda, hein?

Vai ter blogueira fazendo blogueira

Tem Júlia Faria – sou fã demais dela – no papel de Estelinha, uma blogueira e é o primeiro papel de destaque da atriz. Além de atuar, JuFa é conhecida como uma blogueira – falei do blog dela que eu amo aqui – na vida real e uma das rainhas do Snapchat (e foi por causa dele que ela conseguiu o papel). Sinal que a realidade e a ficção andam juntas!

E os guapos?

Siim! Nós temos!! Zé Loreto, Malvino Salvador, Jayme Matarazzo e Nando Rodrigues são apenas alguns dos nomes desses gatos que vão fazer brilhar nossos olhos nos próximos meses. Alerta suspiro!

Não tem protagonista!

Como assim, não tem protagonista? Bom, as novelas ultimamente estão fugindo do estereótipo mocinha vs. vilã e inovando ao colocar várias histórias como centrais. Tradução? Não vai ter aquela protagonista sofredora do início ao fim da trama.

Elenco feminino não deixa a desejar

Se nós, mulheres, ficamos suspirando pelos rapazes, porque os caras não podem acompanhar a novela por causa das atrizes? Tem Mariana Ximenes, Cléo Pires, Tatá Werneck, Ellen Roche e Aghata Moreira.

Meus lugares favoritos em SP!

Amanhã, 25 de janeiro, a minha querida São Paulo comemora seus 461 anos. Ela é de longe, minha segunda cidade favorita para morar (só perdendo para o meu Rio de Janeiro querido), tanto que já escrevi aqui uma crônica sobre o amor que existe em SP. Sei, que se um dia eu precisar mudar de cidade e escolher uma, sem sombra de duvidas seria a terra da garoa.

Bom, também não é segredo que ano passado, depois de tanto pensar, resolvi me aventurar em uma cidade totalmente desconhecida e passar uma temporada por lá, pra fazer um curso. Foram quase 90 dias.

Claro, que assim como todas lugar, ela não é perfeita e tem os seus defeitos. Por exemplo, paulista não sabe dar informação, acho que é cultural. Pelo menos, para carioca não e foi infelizmente isso que percebi (no meu primeiro dia ainda!). Apesar disso, eu adorei o tempo que passei por lá e separei lugares que fui e coisas bem bacanas que encontrei por lá. Não deu pra conhecer tudo, mas SP é logo ali não é, ‘meo’?

Parque do Ibirapuera

Sou muito fã de praia e acostumada a ar puro mesmo morando no Rio de Janeiro, sabe? E, ver aquela quantidade de prédio me incomodava um pouco. Pra respirar o ‘verde’, tirei uma tarde e fui com as minhas roommates conhecer o Parque do Ibirapuera. Localizado no bairro da Vila Mariana e pra conhecer tem que ter (muita) disposição! Com mais de mil quilômetros quadrados, o parque conta com ciclovias, pistas para corridas, três lagos artificiais e muito, muito verde.

10294516_10152375046608901_2836252392240748388_n

Fora os museus e auditórios presentes dentro do ‘Ibira’ (apelido carinhoso <3) e alguns shows ao ar livre. Ah, o local também conta com um bicicletário em que você pode alugar bikes para aproveitar o passeio, além de barraquinhas vendendo lanches e é ideal para um piquenique.

10330224_10152377971363901_5356482166968880396_n 10344825_10152636107923901_5146576773886558067_n

Para mais informações, só acessar o site.

25 de março

10155015_10152363289683901_8178905654845137522_nConsiderada o maior centro comercial da América Latina, devido à enorme quantidade de camelôs e lojas comerciais a “25 de março”, foi um dos pontos que fiz questão de conhecer e é localizada perto da Sé. Fui em uma tarde (e não era em época de alguma data meramente comercial) e achei muito, muito cheio. Ideal para quem quer fazer compras em um preço muito mais barato. Lá, conseguimos encontrar do “A” até o “Z”. Não encontrou o que desejava em alguma loja? Bom, ali tem com certeza. atenção: vá preparado pra andar e desviar dos vendedores que te interpelam no meio da rua mesmo.

10341553_10152363577808901_28151443156913081_nMercado Municipal de São Paulo

Quem viu a novela da Rede Globo, “A Próxima Vítima” (1995), sabe do que eu estou falando. O personagem do Tony Ramos possuía uma barraca de frutas por lá e muitas cenas do folhetim foram ambientadas no Mercado Municipal. Louca por novelas, não podia deixar de conhecer. Barraca de frutas? Tem. E muitas. Cada uma com especiarias mais exóticas do que as outras. Lá, experimentei maracujá argentino, lichia e pitaya. Mas vai preparando o bolso, essas frutas, apesar de doces, são bem salgadas.

Pizzarias

Das coisas que mais sinto falta em São Paulo é a gastronomia que é ótima. E eu, que amo comer, adorei quase tudo que comi por lá. Principalmente as pizzas. Quer ofender um paulista? Ameaça colocar outra coisa que não seja azeite nas pizzas. Catchup? Crime. Fui com a família da minha amiga em uma autêntica pizzaria italiana e fui informada: ‘Pede catchup e você será massacrada’. Mas vamos combinar, não é nem necessário! Virou tanto #vício que arrumei logo uma pizzaria perto de onde eu morava e, bem, comia quase toda semana.

Avenida Paulista, MASP e Livraria Cultura

10246048_1423599471222638_1287848894_n

Uma das coisas que não poderia deixar de conhecer durante a minha estada era a Avenida Paulista, que abriga além de outras coisas, o MASP (Museu de Arte de São Paulo) e a Livraria Cultura. E uma das coisas mais bacanas de SP é que lá se respira cultura. Como existe uma quantidade enorme de museus (como o Museu da Imagem e do Som que não consegui conhecer), sempre tem exposições bem bacanas. Fui passear pela Paulista umas duas vezes, ambas para curtir o festival de humor Risadaria, que acontece todos os anos com os feras do humor.

1098392_10152299680178901_1213377036_n 10175192_747078048657248_612109027_n

Primeiro dia, rolaria um mini standup com o Fábio Porchat no Conjunto Nacional. No semana seguinte, um bate papo com outros atores do Porta dos Fundos, o Antônio Tabet e o João Vicente de Castro, na Livraria Cultura. Pausa. Para quem é apaixonado por livros, como eu, entrar na Cultura é querer fincar raízes e falar: só saio daqui quando conseguir ler todos esses livros, me deixem por aqui por favor. Depois disso, fui conhecer o MASP, único museu que visitei. Geralmente, nas terças feiras a entrada é gratuita (não sei se isso acontece em todos os museus) e tinham três exposições no dia (duas só no segundo andar), que infelizmente não lembro os nomes (mas sei que uma era sobre a Grécia e outro sobre arte), mas tudo muito, muito lindo! Uma pena lá ser proibido tirar foto (e, sim, tem um segurança em cada parede praticamente.

Vila Madalena

Pra quem gosta de curtir uma boa balada, ir na Vila Madalena é o ideal. Fui em três ocasiões: a primeira quando fui passar um final de semana por lá em 2013, conheci o bar Quitandinha, e ano passado numa casa de shows com um nome bem peculiar, o Favela da Vila e em um outro bar- restaurante para comemorar o aniversário de uma amiga, o Alto da Harmonia que tem um terraço com uma vista linda da cidade.

1907616_10152303114583901_372929945_nO bairro é tipicamente boêmio e além das residências, conta com vários barzinhos para quem quer apenas curtir e conversar com os amigos. Mas, diferente do Rio de Janeiro, onde tudo é informal (principalmente no vestuário), nem pense em ir de havaianas ou sandália de dedo em um desses lugares (algo que você vê e muito na capital carioca) por mais simples que o local pareça ser .

Existe amor em São Paulo?

Ando sentindo uma saudade imensa da minha vida em São Paulo. Pera lá, vida? Sim, caras leitoras. Por quase três meses morei em São Paulo. Uhum. Imagina a cena: alguém que nunca morou longe de casa, muito menos viajou sozinha por mais de um final de semana (que foi logicamente para Esse Pê) do nada, morar sozinha. Okei, sozinha não. Mais precisamente em uma república feminina.

Quando meu pai me deixou lá, na porta, me senti pior que um cachorro abandonado em dia de mudança. Calma, eu tava em uma cidade estranha, com gente que não conhecia pela primeira vez. Quis correr. Quis voltar. Quis chorar. Na hora. Sim, sou manteiga derretida. Mas não podia esmorecer.

Tudo novo. Literalmente. Okei, eu tinha que me virar. Mas como? Sei lá. Confesso que a primeira semana foi sim, a pior. A saudade batia todo dia, queria largar tudo e voltar pro Errejota. Mas quer saber? Aquele tempo pra mim era questão de mostrar ao mundo e a mim mesma que era mais forte e responsável do que imaginava.

#ExisteMuitoAmorEmSPSim

#ExisteMuitoAmorEmSPSim

 

Minha vontade e curiosidade começou em 2009, quando fiz amizades por lá. E sempre me questionei o motivo de tanta distância. Em 2014, desbravei a cidade (okei, nem tanto o quanto queria) sozinha. Fiz (mais) amizades. Irmandades. Parcerias. Pessoas que levo do lado esquerdo do peito. E me pergunto, como falam que não existe amor em SP? Claro que existe. Concordo que os nascidos na terra da garoa não são tão receptivos quanto nós, cariocas.

Acabei por me acostumar na cidade. E me adaptar. E virar rotina. E a criar rotina. Domingo, por exemplo era dia de ir na padoca na rua de trás. E tomar um café com pão.  A noite? Olhar pro céu ouvindo música eletrônica. Falar ‘Meo’ a cada frase. Ter que ouvir que pizza não deve ser comida com catchup. Ouvir muito sertanejo.

E voltar pro Rio e sentir falta de algumas coisas. E me pergunto: como ainda falam que não existe amor em SP? Sou a prova de que existe sim. Existe muito amor em São Paulo. E me espera, pois em breve eu volto.

Bienal do Livro

Não sei se vocês sabem, mas eu amo ler. Do tipo que devora tudo que tem letrinhas! E, como é de praxe em todo ano par acontece a Bienal do Livro em São Paulo, entre os dias 22 e 31 de agosto, no pavilhão de exposições do Anhembi.

O festival chega em sua vigésima terceira edição na capital paulista trazendo autores famosos como Harlan Coben, autor de “Confie em mim” e “Não conte a ninguém“, que fará uma palestra sobre “Os mistérios da ficção policial”.Contará também com a presença da autora da série “Instrumentos Mortais“, Cassandra Clare. Ambos estarão na feira no dia 23 de agosto.

Cassandra Clare se Halan Coban

Cassandra Clare e Halan Coban: dois autores que participarão da Bienal do Livro, em SP, no dia 23

 

Uma das novidades do evento internacional é um aplicativo (disponível no GooglePlay e no AppStore) que permite fazer consultas de expositores, as atrações, os produtos da feira e acompanhar em tempo real o que acontece por lá!

Para saber mais informações (como chegar, preço da entrada, melhor dia para você ir…) , acesse o site da Bienal e aproveitem!

http://www.bienaldolivrosp.com.br/