Devia ter, mas não teve!

foilme

Existem aqueles filmes tão legais que deveriam ganhar remake, certo? Semana passada foi assim, falei aqui daqueles que já garantiram uma segunda versão nas telonas. Mas tem os que são tão bacanas que por um motivo ou outro não ganharam uma refilmagem.

Sociedade dos poetas mortos

Eu amo esse filme – ele já apareceu aqui – e apesar de um dos finais mais tristes é um daqueles que mais que merecem uma nova versão. John Keating, papel do Robin Willians, chega para lecionar em uma escola só para garotos e altamente conservadora. São os anos 60 e ele provoca uma revolução entre os alunos quando estimula seus alunos a pensarem, com a antológica frase “Carpe Dien”. Para o papel do mestre, eu escalaria dessa vez Bradley Cooper.

O Clube dos Cinco

Cinco alunos totalmente diferentes – o nerd, o atleta, a gótica, a patricinha e o rebelde – e que nunca sequer trocaram uma palavra na escola, são colocados de detenção por um sábado inteiro, 24 de março de 1984. Ali, trocam segredos e seus medos em relação a vida adulta. Dessa vez, escolheria para os papéis: Nat Wolff, Ansel Elgort, Jenniffer Lawrence, Lily James e Cameron Boyce.

Sonho de verão

Brazuca na lista! Esse filme é meu favorito da vida inteira, daqueles que eu poderia ver milhões de vezes (e já falei um outro tanto aqui!). Sérgio Mallandro é Léo um cara pra lá de irresponsável que pra conquistar a garota que quer, se faz passar pelo sobrinho dos donos de uma mansão e que estão viajando. Agora Léo é Murilo Benício, que tal?

Curtindo a vida adoidado

Atire a pipoca quem falar que nunca viu esse clássico de Sessão da Tarde. Ferris Buttler  – Matthew Broderick – finge que está doente para matar aula e resolve dar uma tarde especial ao seu melhor amigo Cameron e a namorada Sloane. Pega o carro do pai de Cameron, uma Ferrarri e passear pela cidade. Destaque, claro, para a cena em que ele dança no meio da rua. Quem já viu o filme, sabe o que dá quando ouve “Twist and Shout”. O trio de protagonistas, ao meu ver, ficaria por conta de Alex Pettyfer, Skandar Keynes e Shailene Woodley.

Anúncios

Pra curtir a sexta: filmes de noivas

foilme

Nos últimos tempos o tema casamento anda rondando muito a minha vida. Explico: duas amigas resolveram casar, em um curto espaço de tempo – 20 dias, para ser mais exata! – e é claro que o assunto volta e meia vem à tona: fotos, quanto gastou e, principalmente o quanto estavam lindas as duas festas. Foi pensando nisso – e aproveitando a sexta, fato! – que eu trouxe nesse post cinco filmes que falam de noiva. É garantia de boas risadas e diversão.

Noivas em Guerra

Emma e Liv, melhores amigas desde sempre, tem um sonho em comum: casar e que o evento seja no hotel Plaza. Noivas, elas conseguem marcar as datas, as duas últimas disponíveis por um bom tempo. O que acontece é que por um engano, os casamentos são marcados no mesmo dia, em salões diferentes. Claro que nenhuma das duas quer abrir mão da sua festa e ai que a confusão começa. É estrelado pela Kate Hudson (Liv) e Anne Hathaway (Emma)

Vestida para casar

Jane (Katherine Heigl), é uma jovem que é sempre escolhida para ser dama de honra das suas amigas. Ela já foi 27 vezes e guarda todas os vestidos usados. Em um desses casamentos, ela conhece o jornalista Kevin (James Mardsen), que acaba escrevendo um artigo sobre ela.

Licença para casar

Ben (John Krasinski) e Sadie (Mandy Moore) estão noivos e querem se casar e por escolha tem que ser na tradicional igreja que a família frequenta. Para isso, tem que passar por um curso de preparação de noivos com o reverendo Frank (Robin Willians). Acontece vários problemas e confusões no meio disso tudo.

Noiva em fuga

Maggie (Julia Roberts) já fugiu do altar… três vezes. Tudo isso em nenhuma explicação. O jornalista Graham (Richard Gere) descobre o que aconteceu e publica a história sem antes provar a veracidade e é demitido. Ele vai atrás então da noiva fujona para conseguir seu emprego de volta.

Casamento Grego

Toula (Nia Vardalos), de 30 anos, quer ser alguém na vida. Seu pai quer que ela case com alguém da cultura grega. O problema é quando ela se apaixona por Ian Miller (John Corbett), um americano, ou seja, o oposto do desejo do seu pai. Eles começam a namorar escondidos até que a sua família descobre tudo.