#TemQueLer: 5 livros pra amizade

Como todo mundo sabe, (quase) toda quarta eu falo sobre um livro bacana que eu li e quis indicar pra todo mundo. Mas como hoje é um dia pra lá de especial – é dia do amigo, não sabia?- eu resolvi dar cinco dicas de livros cuja amizade é o tema.

Simplesmente Acontece

Muitos irão falar: “Aaah, mas eles viram um casal!!”. Sim, concordo! Mas tanto no livro quanto no filme (falei dos dois aqui já!) o relacionamento entre Sam e Rosie nada mais é do que amizade. Eles se conhecem aos 5 anos e então vivem grudados. Passam por altos e baixos na amizade. Claro que isso evolui pro amor, mas isso foi papo pra outro post.

É agora ou nunca 

Geralmente a Marian concentra em uma só protagonista e mulher, mas nesse livro ela te vem com uma diferença: agora são três (duas mulheres e um homem) e que são melhores amigos há anos: Tara, Katherine e Finn. Eles saíram da sua cidade pequena e arcaica e foram morar na grande Dublin assim que acabou o colégio. Apesar de bem diferentes, eles são bem amigos e se apóiam em qualquer situação. Kath tem a vida perfeita. Ou não. Ela trabalha numa ótima empresa, tem o apartamento dos sonhos. Tara tem um relacionamento falido e vive de dieta. E, Finn aparentemente é o mais normal e feliz de todos. O que vale é que sempre que eles precisam, um ta ali do lado do outro. Pronto pra ajudar.

Harry Potter e as Relíquias da Morte

Bom, pra mim é impossível falar de amizade – seja no mundo literário quanto no mundo das telas – sem citar esse trio incrível: Harry, Hermione e Rony.  E difícil escolher entre todos os sete livros um só pra representar essa irmandade! Mas, depois de muito pensar, acho que na última publicação da saga, é que o sentimento ta mais em evidência. O trio resolve não voltar a Hogwarts para poder procurar as últimas Horcruxes e poderem assim, derrotar o Lorde das Trevas. E então, eles passam por mil e uma aventuras (mais, né?) juntos. Amizade como essa, difícil de achar, hein?

Série “Os Karas”

Quem foi criança no final dos anos 90, começo dos anos 2000 e curte ler desde então, vai saber o que estou falando: Dos KARAS! O melhor quinteto de amigos no mundo literário. E posso afirmar: foi ai que começou a minha paixão por sagas. Crânio, Magrí, Calú, Miguel e Chumbinho. Pedro Bandeira começou há mais de trinta anos, com ‘A droga da Obediência’ e depois disso teve mais cinco livros com os mesmos protagonistas: “Pantâno de Sangue”, “A droga do amor”, “Anjo da Morte”, “A Droga da Americana” e, pra finalizar, “A droga da Amizade”, lançado há dois anos (e que ainda não li!). Os cinco adolescentes são metidos a detetives e se envolvem em várias aventuras, confusões e roubadas. Tudo no maior sigilo absoluto, com o código POLAR! Li quando eu tinha uns 13 anos e foi difícil escolher só um! Mas fica a dica.

Percy Jackson/Os heróis do Olimpo

Tai mais uma saga – viram, sou apaixonada por elas!- que não consegui escolher só um! Aqui, os personagens oscilam em vários grupos (são duas sagas!) e mesmo sendo absurdamente diferentes – quem já leu vai entender e que mesmo assim, lutam lado a lado com um objetivo maior. Além disso, rola muita coisa bacana e interessante. Outra dica!

 

Anúncios

Cinco sagas que viraram filmes!

 Já falei algumas vezes que sou dessas que tem um apego total por personagens de livros. Quando eles são parte de uma saga então, não tem jeito. Trato como se fosse da família. Alguns fazem tanto sucesso que pulam das páginas dos livros para as telas do cinema. Quer saber quais são?

Harry Potter

Impossível começar a minha lista sem falar do bruxo mais amado do Brasil. Conto nos dedos a quantidade de pessoas que nunca viram ou não gostam da saga de sete livros e oito filmes que viraram sucesso entre os anos 2001 e 2009. A história, todo mundo conhece, claro. Harry, descobre aos 11 anos que é bruxo e é levado para a Escola de Magia Hogwarts. Até então, ele pensava que seus pais tinham morrido em um acidente de carro e não pelas mãos do seu maior inimigo: Lord Voldemort. A cada livro (e filme, óbvio) Harry tinha que enfrentar algum perigo que na maioria das vezes tinha como finalidade colocar frente a frente com “aquele que não deve ser nomeado”. Comecei a ler quando estava com meus 14 anos, e foi até meus 21 e fui em quase todos os filmes ver no cinema. Impossível não ter um carinho todo especial.

Crepúsculo

Segunda saga que eu realmente li. E comecei meio que na ordem inversa. Vi o primeiro filme no cinema, por falta de opção e antes de virar essa febre toda, curti a história e comprei logo os três primeiros (o último foi lançado um pouco depois, caso não me engane). Tinha meus 22/23 anos, estava meio órfã de HP, confesso e o enredo era bacana ao meu ver. Já hoje, com quase 30 acho a história com um que de infantilidade. Ah, e antes que perguntem: sempre torci pelo lobinho por motivos de achar o vampiro um saco! O romance é tão açucarado que inspirou a autora do Cinquenta Tons de Cinza, vai entender

Jogos Vorazes

Essa saga eu não li, fui direto para os filmes mesmo, em casa, depois que foi para o canal a cabo. Vi o primeiro meio assim: ‘uhum. Ok. É isso? Mas cadê O momento?”. Pois é, para mim ele não veio. Em um ano e lugar não tão distante, os distritos – doze no total – tem que mandar para uma guerra que é transmitida no maior estilo reality show para o país todo um casal de jovens que são escolhidos em um sorteio. E detalhe: dos 24, apenas um sobrevive. Tenso, né? A irmã da Katniss (Jennifer Lawrence) é sorteada e ela se candidata no lugar dela. Bom, no fim do primeiro filme, tanto ela quanto Peta, o seu par conseguem sobreviver, já que um clima entre os dois começa a rolar e ela vê nisso uma oportunidade de sair dali ilesa. Isso, claro, causa ira nos poderosos. Ano que vem estreia a primeira parte do quarto livro. Sim, virou modinha eles dividirem o último livro em dois por motivos de bilheteria.

Divergente

Esse, ainda não consegui ver nem metade do primeiro muito menos ler os livros. O mundo, depois de uma guerra, foi dividido em cinco facções: Abnegação, Audácia, Erudição, Franqueza e Amizade. Cada facção possui uma função. Caso você não escolha ou não seja escolhido, vive à margem, ou seja sem facção e renegado por todos. Quando os jovens completam 16 anos eles fazem um teste para saber para qual devem ir, se é aquela em que nasceu ou um outra. Para isso, ele abandona a família, já que não há mistura. Aí que entra Beatrice Prior, papel da Shaillene Woods, que ao ser testada descobre que serve para todas as facções e que representa para quem está no poder, um perigo. Ela, que nasceu na Abnegação, escolhe ser da Audácia, facção conhecida por proteger a cidade e ser tipo a polícia do local. Lá, tem que provar que é capaz, ao mesmo tempo que tem que esconder o seu poder. Um minuto de silêncio pro guapo que interpreta o Quatro, aquele que faz par com a Trice, né? #suspiros

Percy Jackson

Menção honrosa da lista. Não se sabe o motivo da saga Percy Jackson só ter gerado dois filmes, pois a história é muito boa. Talvez, pelos roteiristas teram mudado e muito a história dos filmes em relação aos livros. O enredo – que conta com dez livros no total, dividido em duas sagas – conta a história de Percy Jackson, um semideus, filho de uma humana com Poseidon, deus do mar. Aos 11 anos (no filme é 16) ele é mandado para o Acampamento Meio Sangue e lá enfrenta diversas batalhas. Na segunda parte da saga, novos personagens, vindos do Acampamento Romano são apresentados. Ano passado, o décimo e último foi lançado finalmente, para delírio dos fãs, como eu. Mesmo não tendo rolado mais filmes, vale super a pena para quem quer conhecer um pouco mais da cultura grega e romana.

Vem ai, último livro da saga!

Confesso que tento fugir das sagas, mas elas me encontram. Explico: sou daquelas que acaba criando afinidade com os personagens (seja de livros ou séries) e sofro quando eles terminam. Quando o livro é único já sei quando vai terminar. Foi assim com Harry Potter. E tá sendo assim com a saga do Percy Jackson.

Sempre tive curiosidade em ler os livros dele, mas sempre adiei. Tomei coragem depois de ver o segundo filme, “Percy Jackson e o Mar de Monstros.” Na realidade, são duas sagas. Na primeira, o foco é o acampamento grego e o Percy é o personagem principal. Na segunda (“Heróis do Olimpo”), somos apresentados ao acampamento romano e para outros personagens como Jason, Piper, Léo, Frank e Hazel.

O quinto e último volume que tem 432 páginas, será lançado pela Editora Intrínseca no dia 07 de outubro, simultaneamente com os Estados Unidos. Tá ansioso?  Eu também! E triste por antecipação, é claro. Então o jeito é aguardar até mês que vem. Confira aqui a sinopse:

Capa do último livro da saga. A versão americana é igualzinha! (fonte: Google)

Capa do último livro da saga. A versão americana é igualzinha! (fonte: Google)

No desfecho da série Os heróis do Olimpo, os tripulantes gregos e romanos do Argo II têm feito progresso em suas constantes missões, mas ainda não estão nem perto de vencer a sanguinária Mãe Terra, Gaia. Os gigantes estão de volta — mais fortes do que nunca —, e os semideuses precisam impedi-los antes da Festa de Spes, momento em que Gaia planeja despertar, derramando o sangue do Olimpo. Para piorar, visões frequentes da terrível batalha no Acampamento Meio-Sangue assombram os sete semideuses. A legião romana do Acampamento Júpiter, comandada por Octavian, está se aproximando das fronteiras do acampamento grego. Por mais que seja tentador usar a Atena Partenos como arma secreta contra os gigantes, eles sabem que a estátua é necessária em Long Island, onde talvez consiga impedir uma guerra entre os acampamentos. A Atena Partenos irá para o oeste, enquanto o Argo II segue para o leste. Os deuses, ainda sofrendo com a dupla personalidade, não podem ajudar. Como os jovens conseguirão vencer sozinhos um exército de gigantes? A viagem para Atenas é perigosa, mas não há outra opção. Eles já sacrificaram muito para chegar onde estão. E se Gaia despertar, será o fim.
O jeito é aguardar mesmo até o dia 07. E já ficar triste por ser o último.