Haja Coração, a nova das sete!

Que eu sou fã de novela, isso não é novidade por aqui. Mesmo que não acompanhe a novela diariamente, tenho uma mania pra lá de interessante: gosto de ver o primeiro e último capítulo, sempre. Por mais que não acompanhe a novela como um todo – a última que vi toda foi “Boogie Oggie” – tenho essa curiosidade. E, como hoje entra no ar a nova das sete, “Haja Coração“, vou te dar aqui sete motivos para ficar ligados na frente da televisão.

O autor é o mesmo da novela Alto Astral…

… e a novela fez bastante sucesso na época! (lembra, teve post aqui sobre a estreia!) Por isso, Daniel Ortiz – agora não tão novato assim – volta escrevendo “Haja Coração“.

É quase um remake de Sassaricando

Quando digo quase, é que o autor afirmou que “Haja Coração” é uma homenagem para novela que bombou nos meados dos anos 80. Ainda segundo Ortiz, ele usou a história de Sassaricando como base para essa nova trama, incluindo novos personagens e quem sabe novos rumos. É esperar pra ver.

Começa numa terça!

Acreditem, mas dessa vez a Rede Globo resolveu inovar e diferente do que é sempre visto, a novela dá seu start hoje, numa terça feira (dizem também que é guerra de audiência com a Rede Record), dia 31 de maio. E quem disse que a semana começa na segunda, hein?

Vai ter blogueira fazendo blogueira

Tem Júlia Faria – sou fã demais dela – no papel de Estelinha, uma blogueira e é o primeiro papel de destaque da atriz. Além de atuar, JuFa é conhecida como uma blogueira – falei do blog dela que eu amo aqui – na vida real e uma das rainhas do Snapchat (e foi por causa dele que ela conseguiu o papel). Sinal que a realidade e a ficção andam juntas!

E os guapos?

Siim! Nós temos!! Zé Loreto, Malvino Salvador, Jayme Matarazzo e Nando Rodrigues são apenas alguns dos nomes desses gatos que vão fazer brilhar nossos olhos nos próximos meses. Alerta suspiro!

Não tem protagonista!

Como assim, não tem protagonista? Bom, as novelas ultimamente estão fugindo do estereótipo mocinha vs. vilã e inovando ao colocar várias histórias como centrais. Tradução? Não vai ter aquela protagonista sofredora do início ao fim da trama.

Elenco feminino não deixa a desejar

Se nós, mulheres, ficamos suspirando pelos rapazes, porque os caras não podem acompanhar a novela por causa das atrizes? Tem Mariana Ximenes, Cléo Pires, Tatá Werneck, Ellen Roche e Aghata Moreira.

Anúncios

Motivos para ver “Totalmente Demais”

Já falei algumas vezes o quanto eu sou noveleira de carteirinha. E hoje estreia mais um folhetim das sete, protagonizada pela ruiva Marina Ruy Barbosa, “Totalmente Demais”.  Na trama, ela é Eliza, uma jovem de 18 anos que depois de fugir de casa por brigas com o padrasto, se torna a garota ‘Totalmente Demais’ causando ciúmes em várias pessoas. Confira os motivos para acompanhar a novela escrita por Rosane Svartman e Paulo Halm.

Pegada jovem

Os autores da trama são os mesmos que escreveram a temporada passada de Malhação. Ou seja, os caras entendem quando o assunto é a galera adolescente e jovem. O elenco é formado pela nova geração de atores, como a protagonista Marina Ruy Barbosa, Felipe Simas, Juliana Paiva, Giovanna Rispoli e Daniel Blanco.

A volta do galã Fábio Assunção

Depois de quase quatro anos longe de uma novela – a última dele foi uma participação em TiTiTi, o galã que fazia a mulherada suspirar nos anos 90 com seus olhos azuis e carinha de bom moço, volta no papel de Arthur, dono da revista que dá nome a novela. No começo da trama, ele tem um caso com Carolina, papel de Juliana Paes, mas ao longo vai se envolver mesmo é com a prota Eliza.

Tem como bastidores uma revista de moda

A revista, cujo nome é o mesmo da novela, é um dos principais cenários. Lá, trabalham Juliana Paes, a editora chefe do lugar. Para quem, assim como eu, ama o mundo da moda e principalmente de uma revista vai curtir bastante as cenas, que prometem!

Anitta canta a música tema

Falem bem ou falem mal, o certo é que a cantora de funk (ou seria pop?) Anitta vem fazendo sucesso e foi a escolhida para regravar o tema de abertura, sucesso de outra funkeira (agora cantora gospel) Perlla e cujo título é o nome da novela. Aperta o play pra conferir.

Juliana Paes é a vilã

Depois de várias mocinhas, a atriz vai interpretar a sua primeira antagonista Carolina, editora chefe da revista ‘Totalmente Demais’ e disputar o amor do Arthur (Fábio Assunção) com Eliza. Segundo a atriz, que completa em 2015, quinze anos de carreira, Carolina é daquelas mulheres exigentes e gananciosa.

“Além do tempo”, a nova das seis.

Na próxima segunda feira começa a nova novela das seis da Globo, “Além do tempo”. O enredo – começa no século 18 – é escrito por Elizabeth Jhin, conta a história de amor do Conde Felipe (Rafael Cardoso) e a noviça Lívia (Alinne Moraes) que se apaixonam a primeira vista. O rapaz é sobrinho da poderosa Vitória, papel da Irene Ravache e é noivo da vilã Melissa (Paola Oliveira).

Por causa de vários empecilhos, os protagonistas não conseguem ficar juntos, vindo a se encontrar nos dias atuais, trazendo a temática espirita para a história. Mas essa não é a primeira vez que uma novela retratou sobre esse universo. Separei cinco pra te contar.

“A viagem” – 1994

De longe, a minha novela favorita da vida. Sério. Uhum. Daquelas que vejo to-das as vezes que ela passa na televisão, sabe? Alexandre (Guilherme Fontes) comete um assassinato e é condenado e se suicida na prisão. O rapaz então vai pro Vale dos Suicidas e volta pra se vingar daqueles que acha que foram os culpados pela sua prisão: o advogado Otávio Jordão (Antônio Fagundes), o irmão Raul (Miguel Falabella) e o cunhado Théo (Maurício Mattar). O que ele não conta é que sua irmã Dinah (Christiane Torlonni) descobre em Otávio o verdadeiro amor da sua vida. Destaque pras cenas das reuniões espíritas. do Dr. Alberto (Cláudio Cavalcanti) como forma de ajudar Alexandre. Nunca viu? Por favor, assista. Você vai amar. A novela é um remake de uma versão de 1975 e foi escrito pela Ivani Ribeiro.

Escrito nas Estrelas – 2010

O jovem Daniel (Jayme Matarazzo) conhece e se apaixona por Viviane (Nathália Dill), uma moça simples e que tá fugindo da polícia por conta de uma engano causado do seu pai. Eles acabam sofrendo um acidente de carro e Daniel acaba falecendo, deixando o seu pai, o médico Ricardo (Humberto Martins) transtornado pela perda do único filho. Um mês depois ele descobre que o rapaz congelou seu sêmen. Ele decide encontrar então uma mãe para seu neto para suprir a ausência de Daniel, que no plano astral, continua apaixonado pela Viviane. O caminho do médico e da moça se encontram e eles acabam se apaixonando. Foi escrita pela Elizabeth Jhin.

Alma gêmea – 2006

Rafael (Du Moscovis) e Luna (Liliana Castro) são um jovem casal apaixonado que vivem no começo dos anos 20 na novela escrita por Walcyr Carrasco. Ao saírem do teatro, vítima da inveja de sua prima Cristina (Flávia Alessandra), Luna é assassinada. Nesse mesmo tempo, seu espirito reencarna no corpo da índia Serena (Priscila Fantin) que depois de 20 anos vai ao reencontro do seu amado Rafael, que após a perda da esposa se torna um cara solitário e triste.

Amor eterno amor – 2012

De todas, foi a única que não acompanhei. Também escrita pela Elizabeth (deu pra ver que ela curte o assunto, né?) conta a história de Carlos, papel de Gabriel Braga Nunes, que quando criança foi sequestrado por seus tios, o que levou a longa depressão da sua mãe Verbena (Ana Lúcia Torres) que o procura por mais de 20 anos. Na infância, Carlos conhece uma menina, sua vizinha Elisa e nunca mais a esqueceu. Na fase adulta, se apaixona por Melissa (Letícia Persiles), que mal sabe ele que é a sua vizinha e que ela na verdade era um espírito, seu amor de outras vidas.

Alto Astral, 2014

A trama que terminou recentemente – e eu falei dela aqui, lembra?- era sobre um jovem médico Caíque, interpretado por Sérgio Guizé, que mesmo com medo de sangue conseguia operar graças a ajuda do seu mentor espiritual, Castilho (Marcelo Médici). Além disso, ele consegue ver outros espíritos e desde criança desenha o rosto de uma mulher, que depois quando a reencontra, se descobre apaixonado por ela, a Laura (Nathália Dill).

Pra grudar na telinha com a nova das sete!

Parece que foi ontem, mas já tem uns bons meses que falei aqui da estreia de Alto Astral. Bom, a novela acabou na última sexta-feira e hoje começa uma nova, a “I love Paraisópolis”, do autor Alcides Nogueira. E se tem uma coisa que eu curto de montão, é uma estreia de novela. Quer saber os motivos que vão te levar a ficar vidrado no novo folhetim? Continue lendo!

 O enredo é simples e leve.

Com uma pegada mais jovem, a história conta sobre duas irmãs (Bruna Marquezine e Tatá Werneck), moradoras da comunidade de Paraisópolis, vizinha do imponente e rico bairro Morumbi, na cidade de São Paulo e que desejam uma vida melhor e vão em busca do seu objetivo.

Tem história de amor, sim senhor!

Quem não curte um romance água com açúcar?

E é daquelas bem clichê: Marizete, papel da Bru, moça de classe média baixa se apaixona pelo rico Benjamim, feito pelo Maurício Destri. No meio disso tudo tem a mãe perua que vai separar o filho da amada e a ex-namorada perseguidora. Mais “história de novela”, impossível!

Tá recheada de guapos!

Sem título

Caio Castro, como bad boy, Henri Castelli como vilão, Maurício Destri como o mocinho protagonista e Alexandre Borges como o pai de família. Percebeu a listinha nada básica de boys magyas? Tem pra todos os gostos e idades.. o que vai ter de gente dando desculpa para não sair mais as sete…

A trilha sonora é de suspirar.

Eu nunca contei, mas eu sou apaixonada pelo Ed Sherran. E, para minha alegria, a melhor música dele, “Thinking out Loud” – na minha opinião, claro – é a canção que vai embalar o romance do casal protagonista. Isso sem falar da Meghan Trainor, Ana Carolina e da banda Janz (que participou da primeira temporada do SuperStar)

Vamos pirar na Letícia Spiller: incrível e vilã!

Confesso que uma inveja beeem grande rolou quando vi o shape + hair + pele da eterna Babalu. Aos 41 anos (SIIIIIIIIIIIIIM!!), a atriz vai dar a vida a vilã Soraya, uma perua mãe do mocinho e que vai fazer de tudo pra separar o casal protagonista. Além do corpo e cabelo e pele de fazer pirar qualquer mulher, a Letícia ainda vai fazer par com o Henri Castelli. Que chato, não?

#100: Anos 2000, eu vivi!

Pode parecer estranho – e de certa forma é – mas já tem quinze anos que os anos 2000 bateram à nossa porta. Clichê, mas parece ontem. Eu, que tinha quase 14 anos na época, começava uma nova fase: novo colégio, novas amizades que duram até hoje. Mas você lembra o que acontecia no mundo nessa época?

O atentado do 11/09 ainda não tinha acontecido e o único reality show era o “No Limite”, aquele programa que a gente tinha um certo nojinho, mas adorava a adrenalina, já que o BBB só apareceu nas nossas telas dois anos depois.

O que passava na nossa telinha no ano 2000: Nova fase da Malhação, começo da onda de Reality Show e uma das cenas mais emocionantes da história, em Laços de Família.

O que passava na nossa telinha no ano 2000: Nova fase da Malhação, começo da onda de Reality Show e uma das cenas mais emocionantes da história, em Laços de Família.

Ainda na nossa televisão, suspirávamos com o romance de Catarina e Petruchio, em “O Cravo e a Rosa” e sofríamos ao ver a Carolina Dieckmann chorar ao ficar careca na novela “Laços de Família”, uma das minhas preferidas do Maneco. Para os jovens, a nova Malhação começava a mudar seu formato: de academia com pessoas fitness, o retrato passou a ser o adolescente e a família.

Hoje em dia para escutar alguma música, basta conectar ou no Spotify ou na ITunes. Ou em uma playlist no Youtube. Mas nos anos 2000, ouvir boa música era sinônimo de: disc-man + inúmeras pilhas e uma caixa com seus CDs favoritos (poucos sabiam criar novos Cds). Ah, e para descobrir aquela música que você ouviu na rádio e queria saber quem cantava. Esquece, era um drama, pois muitas vezes… eles não falavam o nome muito menos quem cantou!

Para falar com alguém, hoje basta mandar um whatsapp. Ou até um SMS. Só que nos ano 2000, a nossa comunicação era feita por… telefone! Estranho, não é? Nos colégios, os papos rendiam pelos bilhetes trocados durante aquelas aulas super maçantes e que nós morríamos de medo que o professor acabasse pegando! #fail

Máquina fotográfica de filme, disc-man, celular que tinha o jogo da cobrinha: Quem nunca teve isso?

Máquina fotográfica de filme, disc-man, celular que tinha o jogo da cobrinha: Quem nunca teve isso?

Hoje, cada mergulho é um flash e em questão de segundos você consegue ver a foto tirada. Mas você lembra que para isso acontecer, precisava terminar o filme de 12, 24 ou 36 poses e ainda por cima torcer para que não queimasse ou a foto ficasse legal? As máquinas digitais foram ficar famosas só lá no final dos anos 2002 e era artigo de luxo. Em 2015, são poucos os celulares que não tem uma câmera digital.

E eles, aah, eles! Os celulares nos anos 2000. Aposto que o seu aparelho de hoje faz tudo: internet, tira foto, acessa conta, manda whatsapp, posta foto no instagram. Mas há 15 anos, o máximo que conseguíamos fazer era além de jogar o jogo da cobrinha, fazer ligações! E também era artigo de luxo. Estranho, né?

musicPor falar em música, você lembra quem bombava nas rádios nesse ano? Era a época que o pop adolescente se tornou beeem visado por conta das boys bands. Ou seja, Backstreet Boys, NSync, Five. Tinhamos também a princesinha do pop, Britney Spears, Christina Aguilera e as garotas do Spice Girls’. Dos artistas tupiniquins, a gente pode colocar nessa lista Sandy e Júnior, que estreavam um seriado e tinham um hit atrás do outro. A Wanessa (ex-Camargo) era outra artista que bombava na época.

Aquele momento vergonha ao perceber que você usou ao menos uma dessas coisas.

Aquele momento vergonha ao perceber que você usou ao menos uma dessas coisas.

E na moda? O que bombava há 15 anos? Aquele momento que você morre de vergonha alhia. Lembra não? Pra começar, aquelas gargantilhas trançadas, que eu, particularmente, achava um horror! Outra coisa que também fazia a cabeça da mulherada eram aquelas tatoos de strass. Perfeitinho para as adolescentes. Essa achava fofo, mas hoje, apenas não! Outra coisa que fazia a cabeça literalmente de nós, mulheres eram os lenços, que usávamos no melhor estilo piratinha. Nos pés, o que não podia faltar eram aqueles tamancos de borracha. Estabanada como sou, tive um só por motivos que torcia fácil o pé.

Rede social então, era utopia. Aliás, você se imaginava postando na web o lugar que estava, o que ia comer, o look do dia para todo mundo saber? Esquece. Para felicidade da nação, isso ainda não existia. O finado Orkut só apareceu uns quatro anos depois.

E você, qual a lembrança que tem desse ano?

Cinco motivos para ver a nova novela das seis

Depois de sete meses vivendo e respirando os anos 70 e as desventuras de Sandra, Rafael, Vitória e companhia, “Boogie Oogie” deu adeus na última sexta para minha tristeza e chegou a hora de dar boas vindas à nova novela das seis, “Sete Vidas”. A trama, que estreia hoje,  gira em torno de sete jovens – as sete vidas – que descobrem depois de adultos que foram concebidos por um doador anônimo. Eles então se conhecem e vão atrás desse cara. Ainda não sabe se vai ver? Tenho cinco motivos pra – tentar – te convencer.

A novela é escrita pela Lícia Manzo

licia

Não ligaram nome a pessoa? Ela é autora de outro grande sucesso das seis, “A vida da gente”, exibida entre setembro de 2011 e março de 2012 e uma das histórias mais fofas, doces e reais que já vi na telinha. Se ela seguir essa mesma linha de raciocínio, vai fazer muita gente derramar várias lágrimas.

Retorno da Fernanda Rodrigues para as novelas.

img_9059

Há quem não goste dela, mas eu sou muito fã desde sempre. Longe das novelas desde 2008, desde a novela “Negócio da China” (sua última aparição nas telinhas foi na minissérie O astro”), a atriz volta no elenco de “Sete Vidas” no papel de Virgínia, uma apreciadora de vinhos e fará par com o ator André Fratechi.

O casal de protagonistas: Jayme Matarazzo e Isabelle Drummond

 img1421

Meio irmãos na história, os personagens Pedro e Júlia se conhecem e se encantam um com o outro de cara, mesmo saber do laço biológico que os une. Depois da descoberta, ficam sem saber o que fazer com o sentimento. Mais água com açúcar impossível – a gente gosta muito! –  e o final ainda não sabemos, só que promete e muito!

O elenco é m-a-r-a e bem enxuto

Nomes como Domingos galã muso Montagner, Débora Bloch, Maria Flor, Thiago Rodrigues e Vanessa Gerbelli e Regina Duarte são alguns integram o elenco da novela das seis que conta com uns quarenta atores

A novela é bem curtinha

sete-vidas-logo

Diferente de muitas outras novelas que tem mais de 200 capítulos, “Sete Vidas” tem previsão para 107, ou seja, um pouco mais de quatro meses. Lado positivo? Bom, a história não cria “barriga”, ou seja, não há muita enrolação. Já o negativo é que as vezes o enredo é tão bom que passa muito rápido.

Vem ai a nova das 7, ‘Alto Astral’ !!

Depois de longos meses aturando “Geração Brasil” (que juro que tentei ver por motivos de Humberto Carrão, mas não deu realmente) e Jonas Marra e cia, a Globo anunciou a nova novela das sete, com estreia na próxima segunda, dia 3 de novembro.

A trama conta a história de Caíque (Sérgio Guizé), um médico que tem pavor de sangue e a capacidade de se comunicar com os espíritos (o que provoca crises nele). Ele é  filho de Maria Inês (Christiane Torloni) e meio- irmão do vilão Marcos (Thiago Lacerda), noivo da mocinha Laura, uma jornalista vivida pela Nathália Dill que sustenta não só o avó quanto os irmãos mais novos.

Caíque se apaixona pela cunhada, criando assim um triângulo amoroso que promete esquentar nos próximos meses.  Desde criança, ele desenha o rosto de uma mulher que nunca viu na vida. Já adulto, descobre que ela é na verdade Laura.

Nathália Dill e seu visual na nova trama das sete. Eu amei, e vocês? (fonte: Globo.com)

Nathália Dill e seu visual na nova trama das sete. Eu amei, e vocês? (fonte: Globo.com)

Além dessa trama, temos também as histórias de Samantha, personagem da Claudia Raia, uma médium trambiqueira que perde seus dons (conversar com os espíritos) já que os usa para ganhar dinheiro e fama.

A substituta de “Geração Brasil” ainda conta com nomes inusitados: a ex repórter do CQC, Mônica Iozzi. Ela interpreta a patricinha Scarlet, filha da falida ex-miss Kitty, vivida pela Maitê Proença. No mínimo inusitado. Estrelam também nomes como Sophia Abrahão, Kayky Britto, Guilherme Leican, Giovanna Lancelotti, Edson Celulari e Nando Rodrigues.

O enredo do folhetim fica por conta do autor Daniel Ortiz (e supervisão de Silvio de Abreu) e é baseado em uma história escrita pela autora falecida Andrea Maltarolli e tem a direção de Jorge Fernando e trilha da banda Malta, vencedora do reality show Superstar.

Estreia hoje nova novela das seis: Boogie Oogie!

Sou daquelas que não perdem uma boa estréia de novela. E quando tem algum ator ou atriz que eu adoro sou apaixonada eu largo tudo o que estou fazendo e corro pra frente da telinha. E hoje não poderia ser diferente. Ambientada nos anos 70 (discoteca, meia lurex!!!), “Boogie Oggie” traz de volta para o horário das seis Marco Pigossi e Isis Valverde como o casal protagonista. Mas na verdade, a trama começa lá no fim dos anos 50 quando a personagem Susana (Alessandra Negrini) troca a filha do seu amante Fernando (Marco Ricca) na maternidade, por puro desprezo já que ele decide que não vai mais abandonar a esposa, papel da Giulia Gam, que esta grávida. Mais clichê impossível! E a gente adora!

Isis Valverde e Marco Pigossi na coletiva de imprensa da novela. Eles farão o casal protagonista, Sandra e Rafael

Isis Valverde e Marco Pigossi na coletiva de imprensa da novela. Eles farão o casal protagonista, Sandra e Rafael

Essa bebê, quando cresce vira a Isis Valverde (Sandra) que foi criada pela Heloísa Perisse e Daniel Dantas. Já a criança que ficou no lugar dela é a Bianca Bin , a patricinha e mimada Vitória que é noiva do Rafael, personagem do Pigossi. E, claro, como todo bom folhetim, a vida das duas se cruza justamente no dia do casamento de Sandra quando Rafael vai contar que não conseguiu salvar o noivo dela, Alex, de um acidente. A partir de então, Sandra começa a odiar e culpar Rafael pela morte do rapaz. E, como toda boa novela eles se apaixonam, para desespero da Vitória. Além de disputarem o amor do Rafa (fazendo a íntima!) elas tem muito mais em comum do que pensam, já que as duas foram trocadas ao nascer.

O que acontece a partir de então, a gente não ainda sabe. Só o autor, Rui Vilhena, que pode nos dizer. Além deles, a trama conta com Deborah Secco, Betty Faria, Guilherme Fontes, Rodrigo Simas, Fabiúla Nascimento, José Loreto e Letícia Spiller. Não sei vocês, mas já separei minha pipoca e vou me jogar nos anos 70!