#TemQueLer: 5 livros pra amizade

Como todo mundo sabe, (quase) toda quarta eu falo sobre um livro bacana que eu li e quis indicar pra todo mundo. Mas como hoje é um dia pra lá de especial – é dia do amigo, não sabia?- eu resolvi dar cinco dicas de livros cuja amizade é o tema.

Simplesmente Acontece

Muitos irão falar: “Aaah, mas eles viram um casal!!”. Sim, concordo! Mas tanto no livro quanto no filme (falei dos dois aqui já!) o relacionamento entre Sam e Rosie nada mais é do que amizade. Eles se conhecem aos 5 anos e então vivem grudados. Passam por altos e baixos na amizade. Claro que isso evolui pro amor, mas isso foi papo pra outro post.

É agora ou nunca 

Geralmente a Marian concentra em uma só protagonista e mulher, mas nesse livro ela te vem com uma diferença: agora são três (duas mulheres e um homem) e que são melhores amigos há anos: Tara, Katherine e Finn. Eles saíram da sua cidade pequena e arcaica e foram morar na grande Dublin assim que acabou o colégio. Apesar de bem diferentes, eles são bem amigos e se apóiam em qualquer situação. Kath tem a vida perfeita. Ou não. Ela trabalha numa ótima empresa, tem o apartamento dos sonhos. Tara tem um relacionamento falido e vive de dieta. E, Finn aparentemente é o mais normal e feliz de todos. O que vale é que sempre que eles precisam, um ta ali do lado do outro. Pronto pra ajudar.

Harry Potter e as Relíquias da Morte

Bom, pra mim é impossível falar de amizade – seja no mundo literário quanto no mundo das telas – sem citar esse trio incrível: Harry, Hermione e Rony.  E difícil escolher entre todos os sete livros um só pra representar essa irmandade! Mas, depois de muito pensar, acho que na última publicação da saga, é que o sentimento ta mais em evidência. O trio resolve não voltar a Hogwarts para poder procurar as últimas Horcruxes e poderem assim, derrotar o Lorde das Trevas. E então, eles passam por mil e uma aventuras (mais, né?) juntos. Amizade como essa, difícil de achar, hein?

Série “Os Karas”

Quem foi criança no final dos anos 90, começo dos anos 2000 e curte ler desde então, vai saber o que estou falando: Dos KARAS! O melhor quinteto de amigos no mundo literário. E posso afirmar: foi ai que começou a minha paixão por sagas. Crânio, Magrí, Calú, Miguel e Chumbinho. Pedro Bandeira começou há mais de trinta anos, com ‘A droga da Obediência’ e depois disso teve mais cinco livros com os mesmos protagonistas: “Pantâno de Sangue”, “A droga do amor”, “Anjo da Morte”, “A Droga da Americana” e, pra finalizar, “A droga da Amizade”, lançado há dois anos (e que ainda não li!). Os cinco adolescentes são metidos a detetives e se envolvem em várias aventuras, confusões e roubadas. Tudo no maior sigilo absoluto, com o código POLAR! Li quando eu tinha uns 13 anos e foi difícil escolher só um! Mas fica a dica.

Percy Jackson/Os heróis do Olimpo

Tai mais uma saga – viram, sou apaixonada por elas!- que não consegui escolher só um! Aqui, os personagens oscilam em vários grupos (são duas sagas!) e mesmo sendo absurdamente diferentes – quem já leu vai entender e que mesmo assim, lutam lado a lado com um objetivo maior. Além disso, rola muita coisa bacana e interessante. Outra dica!

 

Anúncios

#TemQueLer: Los Angeles

Já falei milhares de vezes – e até me acho repetitiva – o quanto eu sou fã das publicações da irlandesa Marian Keyes e, claro, da família Walsh! O escolhido de hoje não é meu favorito da vida, nem da autora.

Foi o terceiro da família – antes foi Melancia, que até curti e “Férias”, que achei chato. – que eu li. E o escolhido pra hoje pro #TemQueLer é o livro “Los Angeles”, lançado em 2007.


Maggie sempre foi uma anjinha, a cria mais certinha da complicada (e engraçadíssima) família Walsh… até se cansar de andar na linha e mandar todas as regras que a prendiam a um dia-a-dia em sal (e muito menos açúcar) às favas – a começar pelo casamento (que, para o bem da verdade, nunca havia realmente engrenado) e o trabalho bitolante numa firma de advocacia. Ao largar essa vida em preto e branco no passado, Maggie decide se mandar para o lugar onde a realidade promete ser em Technicolor: Hollywood, claro! Terra do glamour, da liberdade, da beleza (até as palmeiras das calçadas são magras), da luxúria e, obviamente, da diversão! Em Los Angeles, o sexto romance de Marian Keyes, a consagrada autora de “Melancia” e “É Agora… Ou Nunca”, acompanhamos Maggie Walsh em sua busca por um sentido na vida em meio às calçadas estreladas de Hollywood, os subúrbios sofisticados de L.A., o bronzeado deslumbrante que só se consegue nas praias da Califórnia, vários martínis, algumas decepções… e muitas risadas, claro. Ao se hospedar com sua melhor amiga, Emily, uma pretendente a roteirista, Maggie começa a fazer coisas que jamais fizera antes: se infiltra em grupinhos de estrelas de Hollywood (mesmo que do segundo escalão), usa meias-calças na cabeça para firmar o penteado, se especializa em ser cara-de- pau profissional para realizar apresentações de roteiros a grandes (ou nem tanto) produtores… Mas será que em meio a tanta aventura, drama e comédia pastelão haverá espaço para um romance – daqueles bem cafonas e açucarados (ou seja, os melhores de todos)?”

Editora: Bertrand

Ano: 2007

Páginas: 490


Margaret Walsh é a mais normal das irmãs. Tem um casamento de nove anos com Garv e emprego estável em uma firma de advocacia. Até que ela surta e manda tudo pro espaço e foge pra… Los Angeles. Lá mora sua melhor amiga, Emily que é o oposto dela: desencanada e livre.

Em L.A, Maggie começa a fazer aquilo que sempre desejou e nunca fez por ser considerada a certinha na sua família. Começa a sair com pessoas completamente diferentes, encanta-se pela cidade e por novas relações. Enfim, se liberta.

Uma coisa que eu curto bastante nos livros da Marian Keyes é que ela retrata assuntos sérios sem drama demais, é no ponto certo. Realidade, sabe? Ela não problematiza – aliás, humaniza – os traumas das protagonistas. E são todas femininas!

 

#TemQueLer: Tem Alguém aí?

livro

Depois de um descanso maior do que o previsto, eis que voltamos com gás pra esse ano de 2016! E nada melhor do que começar com algo que eu mais gosto: livros. O da semana é da minha autora preferida, Marian Keyes e o último dela que eu li – e um dos mais emocionantes também – foi o:  “Tem Alguém ai?!”


capa_t1Sinopse:

Anna Walsh é um desastre ambulante. Ferida fisicamente e emocionalmente destruída, ela passa os dias deitada no sofá da casa de seus pais em Dublin com uma ideia fixa na cabeça: voltar para Nova York.
Nova York é onde estão seus melhores amigos, é onde fica o Melhor Emprego do Mundo®, que lhe dá acesso a uma quantidade estonteante de produtos de beleza, mas também, e acima de tudo, é a cidade que representa Aidan, seu marido.
Só que nada na vida dela é simples…
Sua volta para Manhattan se torna complicada não só por conta de suas cicatrizes físicas e emocionais, mas também porque Aidan parece ter desaparecido.
Será que é hora de Anna tocar sua vida pra frente? Será que ela vai conseguir (tocar a gente sabe que sim; o negócio é pra frente)?
Uma série de desencontros, uma revelação estarrecedora, dois recém-nascidos e um casamento muito esquisito talvez ajudem Anna a encontrar algumas respostas. E talvez transformem sua vida… para sempre.

Editora: Bertrand Brasil

Páginas: 602

Autora: Marian Keyes.


Quem conhece a trajetória da escritora irlandesa, sabe que entre todas as publicações dela, ela reserva algumas (Melancia, Los Angeles, Férias, Chá de Sumiço) para a família Walsh. Em TAA, a protagonista da vez é Anna. Quem já leu qualquer outro livro dessa família sabe o quanto derrotada ela era.

Dessa vez, Anna tem o melhor e mais desejado emprego do mundo: ela trabalha no marketing de uma empresa de cosméticos e mora em Nova York. Que mulher não iria pirar com isso? E ela ainda tem o marido mais maravilhoso, Aidan.

Mesmo que em todos os livros de Marian role um drama beeem forte (sempre misturado com um humor ácido), esse foi aquele que eu realmente chorei. Anna, depois de sofrer um acidente, está de volta à casa dos seus pais em Dublin. E ela só sente falta de uma coisa: sua vida e Aidan.

De volta ao seu lar depois de um tempo fora, Anna só quer retomar o que tinha antes de tudo acontecer e encontrar Aidan que sumiu sem nenhuma explicação. E, claro que ela entra em desespero. O que aconteceu com ele? Eu confesso que me surpreendi com o final. Não tem como contar, pois estraga com o suspense do livro. Minha sugestão é você correr mesmo e já colocar na sua lista.

 

#TemQueLer: Os meus preferidos!

livro

Sou uma pessoa completamente viciada em livros. Quer fazer os meus olhinhos brilharem? Me colocarem em uma livraria ou até me dando algum exemplar. Mas, é claro que eu tenho os meus preferidos da vida. Aqueles que eu já li e que tem um lugar pra lá de especial no meu coração. Por isso o #TemQueLer de hoje é especial. Vou falar dos meus cinco livros mais queridos de sempre

Casório – Marian Keyes

A Marian é a minha autora favorita! Já li quase todos os livros dela. E, entre todos, ‘Casório’ é aquele especial. Lucy Sullivan tem vinte e seis anos e a vida amorosa dela é uma desgraça. Mas então ela vai a uma cartomante que diz que ela vai se casar em breve. O único problema é que ela nem namorado tem. A nossa protagonista ainda divide o apê com mais duas amigas. E eis, que em uma festa ela conhece Gus e se apaixona de cara. Pra Lucy, ele é o princípe encantado. Só que o tempo vai passando e ele se transforma em sapo.

Um amor para recordar – Nicholas Sparks

Os livros do Sparks são conhecidos por virarem filmes. E não sei o motivo, eles sempre conseguem fazer uma história completamente diferente da original. Em “Um amor para recordar” os dois seguem mais ou menos a mesma linha de raciocínio. Landon Carter, o menino rebelde e irresponsável, com seus 17 anos, precisa fazer um trabalho comunitário com a certinha Jamie Sullivan depois de aprontar no colégio. Os opostos se atraem e eles acabam se apaixonando. Vai dar certo? Eu terminei esse livro chorando e muito. E quando vi o filme chorei de novo.

Simplesmente Acontece – Cecelia Ahern

Pra mim um dos livros mais lindos que já li. E mais reais. Daqueles que acontecem com você ou com a vizinha. Inclusive, ele já figurou no #TemQueLer, ano passado. E também já virou filme. Alex e Rosie são melhores amigos e grudados desde os cinco anos, quando se conhecem na escola. Quando se formam, a vida de ambos torna rumos diferentes e mesmo assim, a amizade não se deixa abalar. Em países ou momentos diferentes da vida, os protagonistas estão sempre participando de um modo ou de outro. Parte legal? Tudo é narrado através de cartas, mensagens, emails ou SMS.

O segredo de Emma Corrigan – Sophie Kinsella

Se tem uma característica bem forte das mocinhas da Kinsella é que todas são engraçadas. Quando você começa um livro dela, eu já te falo que a risada é certa. Aqui, Emma Corrigan é uma mulher de quase 30 que ao voltar de uma viagem a negócios passa por uma turbulência no voo e fala todos os segredos para o estranho ao seu lado. O que ela não conta é que esse rapaz é seu novo chefe. Agora, a protagonista fica nas mãos do cara e além disso ele é … hum, lindo demais. Emma fica desesperada e comete uma atrapalhada atrás da outra. Vale a leitura, os risos são certos.

Um coração em guerra – Li Mendi

Imagina uma pessoa querida e atenciosa. Essa é a Li Mendi, autora de vários livros e e-books. Tão fofa que me concedeu uma entrevista quando fiz o primeiro mês do nosso blog. Gostei tanto desse livro dela, que quando resolvi escrever meu próprio livro (não sabia? Tem o primeiro e segundo capítulo postados aqui!), o nome do personagem é o mesmo: Caio. Ele e Isabella, são melhores amigos de colégio. Ela, toda patricinha e a pop. Já Caio é roqueiro e tímido. Tudo muda quando Bella descobre que seu então amigo passou para uma prova e vai morar longe. O sentimento dela muda e assim, muita coisa acontece. Já li umas três vezes e sempre me emociono. Ainda não existe livro físico, só na versão digital. Mas posso garantir que vale a pena.

Pra pedir de Natal: Novo livro da Marian Keyes

Nada me dá mais alegria do que ver que um novo livro na área. E, se por um acaso, esse livro for de uma das minhas autoras preferidas, a felicidade é dupla. Foi assim que me senti ao saber que ela, Marian Keyes, em breve lança mais uma publicação, no fim de novembro, ainda sem data certa.

Depois de nos presentear com vários livros pra lá de engraçados e um tanto quanto profundos, a irlandesa, autora de sucessos como “Casório” (de longe, meu preferido!) e “Melancia”, conta dessa vez sobre a Stella Sweeney, em “A mulher que roubou a minha vida”.

Stella é uma escritora de livros de auto ajuda que viveu o último ano em turnê, na cidade de Nova Iorque. Agora ela está de volta a Dublin. O que levou a prestigiada autora a largar sua duplex de 10 quartos no bairro do Upper West Side, entrevistas e aparições  em talk shows?

O que ninguém sabe é que ela quer voltar a ser a mulher que costumava ser. Mas quem seria essa pessoa? Nesse meio tempo, Stella começa a receber telefonemas misteriosos.

Bom, não sei vocês, mas eu estou louca para comprar mais esse livro da Marian. E ai, conhece o trabalho da autora? Comente aqui!

Dia da mulher na literatura!

Hoje, no dia 8 de março é considerado o dia internacional da mulher. Essa data existe oficialmente desde 1910, mas tudo começou uns bons anos antes (mais precisamente em 1857) quando um grupo de operárias de uma fábrica de tecido de Nova Iorque, cansadas da jornada de trabalho e péssimas condições de trabalho, resolveram reivindicar com uma greve. Elas foram agredidas tanto pela polícia quanto pelos patrões e trancafiadas e a fábrica, incendiada causando a morte de todas.

Desde então, nós mulheres, tentamos nos equiparar em vários aspectos com os homens: queremos o direito de exercer profissões que antes era consideradas aparentemente masculinas e ganhar o mesmo salário, lutamos a favor de poder transar no primeiro encontro sem ser considerada ‘fácil’ perante a sociedade.

E, para celebrar o dia de hoje, eu que sou uma viciada em literatura de mulherzinha (conhecida também como gênero chick lit), vou dar meu Top #6 de livros cuja protagonistas são mulheres de fibra.

# Capitu, do livro “Dom Casmurro” de Machado de Assis

imagesLivro que deve ser um dos mais pedidos enquanto estamos no Ensino Médio, né? Li uma única vez, por conta do colégio e me encantei. A história é sobre a vida de Bentinho, mais conhecido como Dom Casmurro, mas vamos combinar que a dona dos ‘olhos de cigana oblíqua e dissimulada‘ é que tem mais destaque na trama, né? Amigos de infância e depois namorados, Bentinho e Capitu protagonizam uma das respostas mais misteriosas que ninguém nunca conseguiu responder: afinal, ela traiu ou não o marido com o seu melhor amigo?

# Aurélia, do livro “Senhora” de José de Alencar

564989Acho um dos livros mais lindos e fofos da literatura brasileira. Aurélia, moça pobre e simples se encanta por Fernando. Eles começam a namorar, mas logo depois ele a troca para ficar noivo de uma moça rica. Um tempo depois, ela recebe uma herança do avô e fica rica. O jogo vira e ela, sem Fernando saber consegue que ele se case com ela sem saber quem era a esposa (século dezenove, povo!) e faz dele gato e sapato como forma de se vingar pelo fato de ter sido trocada. Claro que o tiro saí pela culatra e o final todo mundo sabe, aquele velho clichê.

# Becky Blom, da série Becky Bloom, da Sophie Kinsellabecky-melina

Mulherada que é consumista: impossível não se identificar nem um pouco com a Becky. Dona de uma coleção de sete livros, a saga conta as trapalhadas da nossa shoppaholic (algo como viciada em compras) preferida. Ela é tão fofa (e os livros são tão bem escritos) e tão gente como a gente que no fim você acaba querendo ser amiga dela e se sente tão íntima que quando enlouquece ao ver uma roupa na vitrine da loja logo lembra dela.

# Hermione Granger, da saga Harry Potter

daniel-radcliffe-emma-watson-harry-potter-hermione-granger-Favim.com-529513Tudo bem, podem criticar falando que ela não é a protagonista. Mas vou ter que discordar. Para quem leu a saga do bruxo mais amado do século consegue imaginar a vida do Harry sem a Mione, sua melhor amiga e o cérebro do trio? Impossível, né?  E ainda foi defendida tão bem durante dez anos pela Emma Watson; Por isso que ela merece sim o destaque aqui na minha lista.

# Claire, do livro “Melancia” da Marian Keyes

ÍndiceQuem conhece ou já leu algum livro da Marian sabe que seu forte é escrever livros cujas personagens principais são mulheres. Eu escolhi a Claire – apesar de não ser meu livro preferido da Marian – pois é nela que começa a sequência de livros das mulheres Walsh (“Férias”, “Los Angeles”, “Tem alguém ai”, “Chá de sumiço” e “Dicionário da mamãe Walsh”) que me fizeram dar muitas risadas. E também, porque ela passa por poucas e boas: é abandonada pelo marido assim que tem a filha deles e é obrigada a voltar a morar com os pais e as irmãs.

# Ana, do livro “Simplesmente Ana” da Marina Carvalho

Simplesmente-AnaQualquer semelhança com um certo filme é mera coincidência, ok? O livro da autora brasileira Marina Carvalho, conta a história de Ana, uma estudante de direito moradora da cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais que acha que o pai abandonou sua mãe Olívia antes mesmo dela nascer. Acontece que depois de 20 anos ela descobre que ele nem sabia que ela existia e, pasmem, é rei de um – fictício- pequeno país europeu, Krósvia. A nova princesa decide passar um tempo lá para conhecer o seu pai, rei Andrew e se adaptar na sua nova vida. O livro é tão fofo que devorei em uns dois dias e pirei quando soube que tem continuação (que eu já li, claro),o “De repente, Ana”.