Filmes de aniversário + 2 anos do blog

É com imenso carinho que hoje, dia 01 de agosto, esse cantinho completa dois anos de vida. Terceiro cantinho meu no mundo virtual – o primeiro, no auge dos meus 17 anos nos primórdios do já extinto weblogger (quem tem mais de 25 vai saber o que to falando!) e o segundo, no começo da faculdade e como já falei aqui em um post anterior e que foi abandonado em 2011.

Em 2014, depois de fazer um curso em SP de Jornalismo Feminino e o bichinho do blog me mordeu de novo e demorei um pouco pra voltar pra esse mundo. Foi então que criei o “Entre Nós”, um lugar mais a minha cara, em que eu pudesse escrever um bocadinho do universo que eu tanto gosto: o feminino.

E, pra celebrar esse segundo ano, listei aqui cinco filmes que tem como tema… aniversários, é claro! Vamos começar?

De repente, 30

Esse é um dos filmes que me fez apaixonar e decidir pelo jornalismo. Jenny tem 13 anos e como tudo nessa idade é um drama só, ela sofre por ser rejeitada pelas populares da escola e pelo garoto que ela gosta. Eis que no seu aniversário de treze anos, ela faz um pedido para que tenha logo 30, idade que ela considera perfeita. O desejo é atendido e de repente, a idade nova ta ali e uma nova vida pra Jenny. Só que ta longe de ser perfeita. Destaque pro flashmob de Thriller, clássico do Michael Jackson.

Lua Nova

Nesse segundo filme da saga Crepúsculo, Bella Swan já sabe toda a verdade sobre seu namorado Edward e a família Cullen. O problema é que ela está prestes a completar 18 anos e o seu namorado terá eternamente 17. E é na sua festa de aniversário que um acidente acontece, o que acaba afastando Bella de Edward.

Hotel Transilvânia

Conde Drácula agora é dono de um hotel que abriga só monstros. Ele convida então alguns dos seus amigos mais famosos – Frankstein, Lobisomem e Pé Grande – para comemorarem o aniversário da sua filha Mavis, que ta fazendo apenas 118 anos. Acontece que nesse meio tempo, um jovem Jonathan entra sem querer no local. Mavis se encanta com Johnny – que Drácula disfarçou como monstro – e eles se beijam para desespero do pai da moça. Garante gargalhadas e owns.

Harry Potter e a Pedra Filosofal

Harry descobre no seu aniversário de onze anos – que foi ontem! – que ele vai pra Hogwarts, a escola mais legal de bruxos. E que ele não vai mais precisar morar com seus tios e primos que o detesta. Ah, ele descobre também que seus pais eram bruxos e que não morreram em um acidente de carro como a sua tia havia lhe contado. A vida do garoto muda a partir de então e todo mundo conhece o final. Conhecem, não é?

Gatinhas e Gatões

A década de 80 foi pra mim, a melhor quando o assunto é filmes para adolescentes. E um deles é Gatinhas e Gatões. A estudante Samantha Baker tá fazendo dezesseis anos e a família toda se esquece do seu aniversário por causa do casamento da sua irmã mais velha, Ginny que vai ser no dia seguinte. Além disso, o filme retrata – e muito bem, obrigada – os dilemas típicos dos jovens dessa idade: amores platônicos, dúvidas e neuras. Vale bem a pipoca.

 

#TemQueLer: 5 livros pra amizade

Como todo mundo sabe, (quase) toda quarta eu falo sobre um livro bacana que eu li e quis indicar pra todo mundo. Mas como hoje é um dia pra lá de especial – é dia do amigo, não sabia?- eu resolvi dar cinco dicas de livros cuja amizade é o tema.

Simplesmente Acontece

Muitos irão falar: “Aaah, mas eles viram um casal!!”. Sim, concordo! Mas tanto no livro quanto no filme (falei dos dois aqui já!) o relacionamento entre Sam e Rosie nada mais é do que amizade. Eles se conhecem aos 5 anos e então vivem grudados. Passam por altos e baixos na amizade. Claro que isso evolui pro amor, mas isso foi papo pra outro post.

É agora ou nunca 

Geralmente a Marian concentra em uma só protagonista e mulher, mas nesse livro ela te vem com uma diferença: agora são três (duas mulheres e um homem) e que são melhores amigos há anos: Tara, Katherine e Finn. Eles saíram da sua cidade pequena e arcaica e foram morar na grande Dublin assim que acabou o colégio. Apesar de bem diferentes, eles são bem amigos e se apóiam em qualquer situação. Kath tem a vida perfeita. Ou não. Ela trabalha numa ótima empresa, tem o apartamento dos sonhos. Tara tem um relacionamento falido e vive de dieta. E, Finn aparentemente é o mais normal e feliz de todos. O que vale é que sempre que eles precisam, um ta ali do lado do outro. Pronto pra ajudar.

Harry Potter e as Relíquias da Morte

Bom, pra mim é impossível falar de amizade – seja no mundo literário quanto no mundo das telas – sem citar esse trio incrível: Harry, Hermione e Rony.  E difícil escolher entre todos os sete livros um só pra representar essa irmandade! Mas, depois de muito pensar, acho que na última publicação da saga, é que o sentimento ta mais em evidência. O trio resolve não voltar a Hogwarts para poder procurar as últimas Horcruxes e poderem assim, derrotar o Lorde das Trevas. E então, eles passam por mil e uma aventuras (mais, né?) juntos. Amizade como essa, difícil de achar, hein?

Série “Os Karas”

Quem foi criança no final dos anos 90, começo dos anos 2000 e curte ler desde então, vai saber o que estou falando: Dos KARAS! O melhor quinteto de amigos no mundo literário. E posso afirmar: foi ai que começou a minha paixão por sagas. Crânio, Magrí, Calú, Miguel e Chumbinho. Pedro Bandeira começou há mais de trinta anos, com ‘A droga da Obediência’ e depois disso teve mais cinco livros com os mesmos protagonistas: “Pantâno de Sangue”, “A droga do amor”, “Anjo da Morte”, “A Droga da Americana” e, pra finalizar, “A droga da Amizade”, lançado há dois anos (e que ainda não li!). Os cinco adolescentes são metidos a detetives e se envolvem em várias aventuras, confusões e roubadas. Tudo no maior sigilo absoluto, com o código POLAR! Li quando eu tinha uns 13 anos e foi difícil escolher só um! Mas fica a dica.

Percy Jackson/Os heróis do Olimpo

Tai mais uma saga – viram, sou apaixonada por elas!- que não consegui escolher só um! Aqui, os personagens oscilam em vários grupos (são duas sagas!) e mesmo sendo absurdamente diferentes – quem já leu vai entender e que mesmo assim, lutam lado a lado com um objetivo maior. Além disso, rola muita coisa bacana e interessante. Outra dica!

 

#Top5 – casais: Especial Dia dos Namorados

Continuando a sequência de post especiais do #DiaDosNamorados, o post de hoje é dedicado aos casais mais fofos das telinhas, aquele que nós suspiramos – queremos um igual – só quando começa a intro da trilha. Vamos ver?

Romeu e Julieta

O.k, já sabemos que o final não foi feliz, mas a história de amor, levada às últimas consequências é maravilhosa. De famílias inimigas, Capuleto e Montéquio, proíbem o namoro dos filhos, e para viverem felizes e longe da rixa entre os pais, acabam morrendo, por falta de comunicação. Triste, não? A história foi escrita e imortalizada pelo poeta inglês William Shakespeare, e já foi levada para o teatro, televisão e cinema inúmeras vezes!

Mônica e Cebolinha

turma da monica 450

Existe ou não casal mais fofo dos quadrinhos? Eu sou fã confessa da dupla (e dos gibis também!) e entre tapas e coelhadas, eis que o pai da garotada, Maurício de Souza resolveu juntar a “gorducha” e o “5 fios” quando eles viram adolescentes!

A Bela e a Fera

A Bela nunca foi entre todas as princesa da Disney a minha preferida. #CinderellaFeelings. Mas existe casal mais fofo e cúmplice do que eles no mundo do conto de fadas?? Quem nunca se apaixonou por uma ‘fera’, aquele guapo que todo mundo não acha bonito, mas encanta você de um jeito todo especial e ponto!

A Dama e o Vagabundo

Quem foi que disse que o amor é só entre os humanos, hein? Essa linda cadelinha de raça, uma verdadeira dama se apaixona pelo pobre e vagabundo vira lata. Como não suspirar pela clássica cena deles dividindo um prato de macarrão e dando um beijinho sem querer?

Hermione Granger e Ronny Weasley

rony-hermione_cabana

Durante sete anos eles foram apenas bons amigos, mas desde o primeiro filme todo mundo torcia por eles, certo? Ela, a nerd e ele, o atrapalhado. A dupla de bruxos, melhores amigos do Harry Potter, demorou – e muito! – para ficarem juntos, mas também quando rolou, todo mundo pirou. Eu sempre ‘shippei’ o casal, você não?

Cinco sagas que viraram filmes!

 Já falei algumas vezes que sou dessas que tem um apego total por personagens de livros. Quando eles são parte de uma saga então, não tem jeito. Trato como se fosse da família. Alguns fazem tanto sucesso que pulam das páginas dos livros para as telas do cinema. Quer saber quais são?

Harry Potter

Impossível começar a minha lista sem falar do bruxo mais amado do Brasil. Conto nos dedos a quantidade de pessoas que nunca viram ou não gostam da saga de sete livros e oito filmes que viraram sucesso entre os anos 2001 e 2009. A história, todo mundo conhece, claro. Harry, descobre aos 11 anos que é bruxo e é levado para a Escola de Magia Hogwarts. Até então, ele pensava que seus pais tinham morrido em um acidente de carro e não pelas mãos do seu maior inimigo: Lord Voldemort. A cada livro (e filme, óbvio) Harry tinha que enfrentar algum perigo que na maioria das vezes tinha como finalidade colocar frente a frente com “aquele que não deve ser nomeado”. Comecei a ler quando estava com meus 14 anos, e foi até meus 21 e fui em quase todos os filmes ver no cinema. Impossível não ter um carinho todo especial.

Crepúsculo

Segunda saga que eu realmente li. E comecei meio que na ordem inversa. Vi o primeiro filme no cinema, por falta de opção e antes de virar essa febre toda, curti a história e comprei logo os três primeiros (o último foi lançado um pouco depois, caso não me engane). Tinha meus 22/23 anos, estava meio órfã de HP, confesso e o enredo era bacana ao meu ver. Já hoje, com quase 30 acho a história com um que de infantilidade. Ah, e antes que perguntem: sempre torci pelo lobinho por motivos de achar o vampiro um saco! O romance é tão açucarado que inspirou a autora do Cinquenta Tons de Cinza, vai entender

Jogos Vorazes

Essa saga eu não li, fui direto para os filmes mesmo, em casa, depois que foi para o canal a cabo. Vi o primeiro meio assim: ‘uhum. Ok. É isso? Mas cadê O momento?”. Pois é, para mim ele não veio. Em um ano e lugar não tão distante, os distritos – doze no total – tem que mandar para uma guerra que é transmitida no maior estilo reality show para o país todo um casal de jovens que são escolhidos em um sorteio. E detalhe: dos 24, apenas um sobrevive. Tenso, né? A irmã da Katniss (Jennifer Lawrence) é sorteada e ela se candidata no lugar dela. Bom, no fim do primeiro filme, tanto ela quanto Peta, o seu par conseguem sobreviver, já que um clima entre os dois começa a rolar e ela vê nisso uma oportunidade de sair dali ilesa. Isso, claro, causa ira nos poderosos. Ano que vem estreia a primeira parte do quarto livro. Sim, virou modinha eles dividirem o último livro em dois por motivos de bilheteria.

Divergente

Esse, ainda não consegui ver nem metade do primeiro muito menos ler os livros. O mundo, depois de uma guerra, foi dividido em cinco facções: Abnegação, Audácia, Erudição, Franqueza e Amizade. Cada facção possui uma função. Caso você não escolha ou não seja escolhido, vive à margem, ou seja sem facção e renegado por todos. Quando os jovens completam 16 anos eles fazem um teste para saber para qual devem ir, se é aquela em que nasceu ou um outra. Para isso, ele abandona a família, já que não há mistura. Aí que entra Beatrice Prior, papel da Shaillene Woods, que ao ser testada descobre que serve para todas as facções e que representa para quem está no poder, um perigo. Ela, que nasceu na Abnegação, escolhe ser da Audácia, facção conhecida por proteger a cidade e ser tipo a polícia do local. Lá, tem que provar que é capaz, ao mesmo tempo que tem que esconder o seu poder. Um minuto de silêncio pro guapo que interpreta o Quatro, aquele que faz par com a Trice, né? #suspiros

Percy Jackson

Menção honrosa da lista. Não se sabe o motivo da saga Percy Jackson só ter gerado dois filmes, pois a história é muito boa. Talvez, pelos roteiristas teram mudado e muito a história dos filmes em relação aos livros. O enredo – que conta com dez livros no total, dividido em duas sagas – conta a história de Percy Jackson, um semideus, filho de uma humana com Poseidon, deus do mar. Aos 11 anos (no filme é 16) ele é mandado para o Acampamento Meio Sangue e lá enfrenta diversas batalhas. Na segunda parte da saga, novos personagens, vindos do Acampamento Romano são apresentados. Ano passado, o décimo e último foi lançado finalmente, para delírio dos fãs, como eu. Mesmo não tendo rolado mais filmes, vale super a pena para quem quer conhecer um pouco mais da cultura grega e romana.

Dia da mulher na literatura!

Hoje, no dia 8 de março é considerado o dia internacional da mulher. Essa data existe oficialmente desde 1910, mas tudo começou uns bons anos antes (mais precisamente em 1857) quando um grupo de operárias de uma fábrica de tecido de Nova Iorque, cansadas da jornada de trabalho e péssimas condições de trabalho, resolveram reivindicar com uma greve. Elas foram agredidas tanto pela polícia quanto pelos patrões e trancafiadas e a fábrica, incendiada causando a morte de todas.

Desde então, nós mulheres, tentamos nos equiparar em vários aspectos com os homens: queremos o direito de exercer profissões que antes era consideradas aparentemente masculinas e ganhar o mesmo salário, lutamos a favor de poder transar no primeiro encontro sem ser considerada ‘fácil’ perante a sociedade.

E, para celebrar o dia de hoje, eu que sou uma viciada em literatura de mulherzinha (conhecida também como gênero chick lit), vou dar meu Top #6 de livros cuja protagonistas são mulheres de fibra.

# Capitu, do livro “Dom Casmurro” de Machado de Assis

imagesLivro que deve ser um dos mais pedidos enquanto estamos no Ensino Médio, né? Li uma única vez, por conta do colégio e me encantei. A história é sobre a vida de Bentinho, mais conhecido como Dom Casmurro, mas vamos combinar que a dona dos ‘olhos de cigana oblíqua e dissimulada‘ é que tem mais destaque na trama, né? Amigos de infância e depois namorados, Bentinho e Capitu protagonizam uma das respostas mais misteriosas que ninguém nunca conseguiu responder: afinal, ela traiu ou não o marido com o seu melhor amigo?

# Aurélia, do livro “Senhora” de José de Alencar

564989Acho um dos livros mais lindos e fofos da literatura brasileira. Aurélia, moça pobre e simples se encanta por Fernando. Eles começam a namorar, mas logo depois ele a troca para ficar noivo de uma moça rica. Um tempo depois, ela recebe uma herança do avô e fica rica. O jogo vira e ela, sem Fernando saber consegue que ele se case com ela sem saber quem era a esposa (século dezenove, povo!) e faz dele gato e sapato como forma de se vingar pelo fato de ter sido trocada. Claro que o tiro saí pela culatra e o final todo mundo sabe, aquele velho clichê.

# Becky Blom, da série Becky Bloom, da Sophie Kinsellabecky-melina

Mulherada que é consumista: impossível não se identificar nem um pouco com a Becky. Dona de uma coleção de sete livros, a saga conta as trapalhadas da nossa shoppaholic (algo como viciada em compras) preferida. Ela é tão fofa (e os livros são tão bem escritos) e tão gente como a gente que no fim você acaba querendo ser amiga dela e se sente tão íntima que quando enlouquece ao ver uma roupa na vitrine da loja logo lembra dela.

# Hermione Granger, da saga Harry Potter

daniel-radcliffe-emma-watson-harry-potter-hermione-granger-Favim.com-529513Tudo bem, podem criticar falando que ela não é a protagonista. Mas vou ter que discordar. Para quem leu a saga do bruxo mais amado do século consegue imaginar a vida do Harry sem a Mione, sua melhor amiga e o cérebro do trio? Impossível, né?  E ainda foi defendida tão bem durante dez anos pela Emma Watson; Por isso que ela merece sim o destaque aqui na minha lista.

# Claire, do livro “Melancia” da Marian Keyes

ÍndiceQuem conhece ou já leu algum livro da Marian sabe que seu forte é escrever livros cujas personagens principais são mulheres. Eu escolhi a Claire – apesar de não ser meu livro preferido da Marian – pois é nela que começa a sequência de livros das mulheres Walsh (“Férias”, “Los Angeles”, “Tem alguém ai”, “Chá de sumiço” e “Dicionário da mamãe Walsh”) que me fizeram dar muitas risadas. E também, porque ela passa por poucas e boas: é abandonada pelo marido assim que tem a filha deles e é obrigada a voltar a morar com os pais e as irmãs.

# Ana, do livro “Simplesmente Ana” da Marina Carvalho

Simplesmente-AnaQualquer semelhança com um certo filme é mera coincidência, ok? O livro da autora brasileira Marina Carvalho, conta a história de Ana, uma estudante de direito moradora da cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais que acha que o pai abandonou sua mãe Olívia antes mesmo dela nascer. Acontece que depois de 20 anos ela descobre que ele nem sabia que ela existia e, pasmem, é rei de um – fictício- pequeno país europeu, Krósvia. A nova princesa decide passar um tempo lá para conhecer o seu pai, rei Andrew e se adaptar na sua nova vida. O livro é tão fofo que devorei em uns dois dias e pirei quando soube que tem continuação (que eu já li, claro),o “De repente, Ana”.