Motivos para ver a nova temporada de ‘Os homens são de Marte…”

Lá no comecinho do ano, falei aqui sobre a série “Os Homens são de marte…”, transmitida pelo canal GNT, né? Quem lembra? A notícia boa é que no começo do mês, a segunda temporada estreou – finalmente! – depois de longos meses de espera.

O que vai rolar de novidade? Bom, a nossa protagonista agora é mãe de uma linda menina de cinco anos e está casada com o professor de filosofia Miguel. Isso sem falar da ausência da sua melhor amiga, Nathalie, que foi morar no exterior além de dois novos sócios. Quer mais? Então continua lendo que vou te dar os motivos que vão te fazer vibrar de alegria com a volta do seriado.

A prota é gente como a gente

Fernanda, personagem da Mônica Martelli, é gente como a gente: insegura, e atrapalhada e toda trabalhada nos dilemas da vida: como lidar com carreira, família e relacionamento. Ao mesmo tempo que é uma empresária de sucesso, Fernanda, precisa mostrar que é uma boa mãe e esposa.

Nina

Não sabe de quem estou falando? Lembra quando falei da filha da Fernanda? A garotinha – interpretada pela atriz mirim Maria Júlia -, de apenas 5 anos, é uma graça e tem umas tiradas, típicas da idade, que dão vontade de apertar e muito a personagem. Além disso, tem tu-do para se destacar.

A trilha é mara!

Desde o longa de 2013, que Lulu Santos embala as desventuras da nossa querida protagonista. Além dele, outras canções – na sua maioria brazuca mesmo – fazem parte da trilha do seriado

Rio de Janeiro

Que me desculpem as outras cidades, mas o Rio de Janeiro continua lindo. Uhum. E, com isso, a série aponta volta e meia uma cena passada em um baita visu da cidade maravilhosa

Quem nunca?

Fernanda passa por cada roubada – seja na família ou na sua nova empresa – que em vários momentos a gente se pega pensando – e percebendo, claro! – que já vivemos aquilo. Ou a nossa amiga, irmã, vizinha.. afinal, quem nunca?

Anúncios

[Resenha]: The Taste Brasil

Sou fã confessa de reality show: BBB, A Fazenda, Esquadrão da Moda, Extreme MakeOver. Todos eles tam um cantinho guardado no  meu coração. Foi zapeando a televisão que encontrei meu mais novo vício: “The Taste Brasil“, pelo canal a cabo GNT.

Felipe Bronze, André Mifano e Claude Troisgros: trio de mentores

O programa, começou tem um pouco mais de um mês – com doze pseudo chefs de cozinha, quatro em cada time – e tem uma lógica bem simples e diferente dos outros programas gastronômicos: toda a comida é provada as cegas.

Os mentores são: Felipe Bronze, aquele que faz ‘mágica’ com a cozinha e apareceu algumas vezes no Fantástico e no BBB, o Claude Troisgros, chef francês mais conhecido pelo seu programa “Que marravilha”, também do GNT e meu preferido, André Mifano. O formato, claro, não é novo e existe a versão americana, cujos mentores são Anthony Bourdain, Nigella Lawson, Ludo Lefebvre, e Marcus Samuelsso (que participou apenas da primeira temporada).

A cada episódio, um tema é escolhido e vira o motivo da prova (já foi: comida da infância, raizes, bebidas alcóolicas e comida latina). Cada pessoa da equipe tem que preparar um prato de acordo com o tema proposto. O mentor, então, escolhe o melhor prato que vai ser provado pelo chef convidado (e que tem a ver com o tema, claro). Ele escolhe o que mais gostou e a pessoa é imune.

Na próxima etapa, ocorre a prova para eliminar algum concorrente. E essa que me dá mais dó, confesso. Ainda no mesmo tema, cada chef tem que preparar um colherada (sim, os pratos são servidos em uma colherada!) para que os três mentores provem, novamente, sem saber quem preparou.

É escolhido além do melhor prato, os três piores que correm o risco de saírem. Depois, os chefs principais já sabendo de quem são os piores pratos, decidem quem vai ser eliminado. Nessa última quinta, foi eliminado o quarto participante. Só restam oito.

Passa todas as quintas, as 22:30! Ah, e uma boa notícia para quem perdeu os primeiros episódios: assinantes da NET, no canal NOW, existe a opção para que você veja tudo o que já passou.

[Resenha] “Os homens são de marte..”

Confesso, sou (muito) fã do gênero mulherzinha tanto em termos de livro quanto de filmes e séries. Não me convide para ver nada que seja do estilo ‘tiro, porrada e bomba’ que vou sim, torcer o nariz. Foi por isso que me encantei ao primeiro episódio da série “Os homens são de marte…”, estrelada pela Mônica Martelli e que passou recentemente, entre os meses de setembro e dezembro, no canal GNT.

Sem títuloSe você viu o filme e curtiu, provavelmente vai adorar a série que praticamente segue a mesma linha de raciocínio. A história gira em torno de Fernanda – personagem da Mônica – que tem uma empresa de eventos cujo o sócio é seu melhor amigo gay, Aníbal (Luís Salén) que tem um casamento sólido com Edgar (Gustavo Machado). Pra completar o trio, temos a Natalie, interpretada pela Julia Rabello, a melhor amiga deles que é uma atriz frustrada, completamente insana e divertida.

hsm-01-620

Quarentona e divorciada, Fernanda é uma das pessoas mais azaradas quando o assunto é amor (acho que ela só perde para mim) e jura de pé junto que o cara do momento é o amor da sua vida. Tudo o que ela quer é formar uma família feliz: marido e filhos. E precisa ser logo, pois segundo ela, o relógio biológico já está dando sinais de alerta.

S1HSM-1Logo nos primeiros episódios, ela se envolve com Cláudio, personagem do lindo ator Carmo Della Vechia e que na metade da temporada termina tudo com ela por email, sem maiores explicações. Como toda mulher, ela sofre mas consegue superar e dar a volta por cima. Quando ela pensa que tudo são flores, arruma um cara bacana que era apaixonado por ela, ele volta e bagunça tudo.

Vida real? Muito! Impossível você que está lendo não ter passado por isso ou ter no mínimo uma amiga ou conhecida que também sofreu desse modo. Vai, atire a primeira pedra se você faz parte desse time! Então se você é dos que adoram esse gênero, pode ver sem preocupações que eu garanto: vai amar!

Sem títulop

Não dá pra contar muito mais da série (mesmo achando que já contei muito), mas o figurino é incrível, do estilo #queroter, a trilha é m-a-r-a (Lulu Santos, Marisa Monte, só para você ter uma ideia!), a fotografia e os lugares das cenas externas (a história se passa no Rio de Janeiro) são de babar. No meu caso, além disso tudo, rolou uma baita identificação com pelo menos um acontecimento na vida da protagonista.

São treze episódios no total e bem curtinhos, não chega a meia hora de duração com histórias independentes e que tem um começo, meio e fim. Ótimo para reunir as amigas em uma festa do pijama regada a muitos comes e bebes (não esqueça do item obrigatório de noite das garotas: brigadeiro)

Para quem tem televisão a cabo da NET, boa notícia: é possível assistir tudo pelo canal NOW (era lá que eu via!) ou no site do canal GNT. E, ah, uma ótima notícia: a segunda temporada tá mais que garantida!

(fotos: Google)