Bem vindo a Salvador – Carnaval, parte 1.

Fevereiro já chegou e advinha o que temos? Sim, isso mesmo: CARNAVAL. Cinco dias de descanso ou de folia pra quem curte. Esse ano eu preferi coisas mais leves – 31 chegou com força! – mas pedi pra uma amiga – Luciana Santos – contar como é as coisas por Salvador. A Lú é minha amiga de São Paulo e apesar de morar na terra da garoa é baiana de alma e coração. Confere só.

Quem aqui já pensou em passar o carnaval na Bahia? Pois é, com certeza você já ouviu muitos comentários sobre um dos maiores carnavais do país!  Afinal, somente em Salvador é possível ver a Daniela Mercury cantando ao som de um piano em cima do palco, ou Ivete, Gil e Caetano cantando juntos.

Como atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu, diz a lenda, e como você está vivo, não importa a sua preferência musical, são sete dias de festa – que começa na terça anterior e dura até a quarta feira de cinzas – na qual você escutará absolutamente de tudo, do axé até a música clássica.

*Dicas*

Tá com a grana contada? Bom, nesse caso vale a pena ir de pipoca. Lá, você não ficará em nenhum dos blocos , que são cercados por uma corda, que é segurada pelos cordeiros. Seu lugar é no lado de fora e, teoricamente sem a segurança dos guardinhas que protegem os blocos. Dessa forma, nunca leve coisas de valor, evite locais tumultuados, não vá sozinha e, se vê que está rolando briga, se afaste. Os principais circuitos são: Barra-Ondina e Campo Grande-Osmar

“Que bom você chegou, bem vindo a Salvador!”

É válido procurar um hostel ou pousada que fique próximo ao circuito, assim você economizará no transporte e ainda ficará próximo à praia. Nessa época os locais para hospedagem costumam ficar bem caro. O legal é procurar com pelo menos seis meses de antecedência um lugar pra ficar. Se for de galera, uma boa pedida é alugar um apê ou casa, muitas pessoas alugam suas próprias casas para a galera de fora. Uma das vantagens de rachar um local é que além da maioria delas terem áreas de lazer – como piscina – , acaba saindo mais barato.

Mas se você conseguiu comprar o abadá – passaporte pro lado de dentro dos blocos – cuidado na hora de buscar: muita gente costuma ficar de olho pra poder te roubar. Detalhe: cada abadá é exclusivo do seu bloco. Ah, e não se esquece de comer coisas leves e beber muita água! Se não está acostumada com o tempero forte, da uma maneirada.

Mas, se você não é fã de tumulto, sem problemas, afinal de contas estamos na Bahia! Cercada por ilhas e uma região metropolitana que abrange inúmeras praias, é possível passar o carnaval curtindo sombra, mar e água fresca. Um dos maiores e principais meio de transporte para as ilhas é o ferry boat – e que transporta até teu carro – que sai do porto de Salvador, que fica ali na cidade baixa.

A praia do Forte, localizada na região metropolitana, e onde se encontra o projeto Tamar, é um dos pontos mais visitados durante o feriado, tanto por pessoas que vão passar apenas um final de semana quanto por aqueles que escolhem o vilarejo para passar o período. Lá tem muitos hotéis e pousadas, nas quais acontecem diversas festas e passeios.

Costa do Sauípe também é ponto de encontro de diversas tribos, nacionais e internacionais. O vilarejo litorâneo, que fica no município de Mata de São João, é conhecido pela sofisticação atrelada à simplicidade. Embora esteja distante da folia da capital, no local ocorre o que pode ser chamado de carnaval particular, uma folia dedicada aos visitantes da região.

E ai, animada para passar algum carnaval na Bahia?

Turnê Meu Canto: eu fui!

Quem já me conhece, pode perceber o quanto eu sou fã da cantora Sandy Leah. Ano passado eu contei aqui a minha aventura na plateia do programa SuperStar em que ela é jurada. E, no último sábado, lá fui eu conferir a nova turnê dela, intitulado ‘Meu Canto’. Esse nome, segundo a propria Sandy, tem dois significados: o seu amor por cantar e mostrar ao seu público um pouco mais dela.

Diferente das outras apresentações que eu fui, resolvi escolher um lugar lá atrás. Queria ver o show por completo, ter uma visão total do palco, sem o murmurinho dos fãs mais eufóricos. E dessa vez consegui ver uma Sandy mais madura e segura no palco, com composições que mostram o seu melhor momento.

A apresentação em solos cariocas da cantora , trouxe uma surpresa: o making off do seu DVD que conta com duas participações pra lá de especiais: Gilberto Gil, em “Olhos Meus” e Tiago Iorc, com uma música inédita ‘Me Espera‘. Essa última, aliás, foi escolhida por Sandy para ser o carro chefe nesse seu novo trabalho e é deliciosa de se ouvir.

O show começa com a música “Sim“, seguida pela minha favorita e a que mais vibrei, confesso: “Aquela dos 30“. Sandy então vai embalando seus fãs com um sucesso atrás do outro dessa sua fase solo. Com quatro canções inéditas – “Respirar“, “Salto“, “Colidiu” e “Me Espera” – ela vai contando como foi o processo de criação de cada uma.

Além disso, Sandy faz duas homenagens: ao cantor Nando Reis com a canção “All Star” e ao seu avô, cantando “Canção para Luciana“. E, é claro aos seus fãs desde o tempo com o seu irmão Júnior, e as escolhidas da vez foram ‘Nada é por acaso’ e ‘Desperdiçou’. E é nesse momento que os fãs digamos mais eufóricos, correm para mais perto do palco. Lembra no começo do texto que escolhi uma mesa lá atrás? Por isso. Mas, como boa fã dela, foi impossível não me levantar e começar a dançar ali mesmo, no meu lugar.

Sai de lá com a alma mais leve, rouca, olhos inchados de tanto chorar e a certeza que o meu amor e admiração por ela só aumentam! E você, tem algum ídolo ?

Créditos das fotos: Google e Instagram da Sandy