Qual o seu estilo?

moda

Existem muitos jeitos de se vestir e de combinar roupas. Você sabe o seu? Bom, eu fiz um guia explicando os cinco estilos mais usados. Se quiser saber em qual você se encaixa, continua lendo esse post:

Boho

Originaria dos habitantes da região da Europa Central, que eram conhecidos como pessoas que iam contra as regras, o estilo boho surgiu nos anos 70. Ele traz influências e mistura vários estilos em um só: romântico, hippie, folk e vintage. Se aproveita de acessórios como chapéus, botas e lenços e muita biju: cordão, anéis e pulseiras. Os tecidos usados são leves e combina estampas e sobreposições. Saias, vestidos e jeans flare são algumas das peças que compõe esse estilo que é mais descompromissado, mas ao mesmo tempo elegante.

Activewear

Praticidade e conforto são as duas palavras chaves do activewear, que tem a palavra de origem inglesa. Mistura roupas esportivas, como jaquetas, moletom, camisetas, leggings e tênis. Além disso, as peças de quem segue esse estilo, são leves e soltas.

Lady Like

Considerado um dos estilos mais femininos, doces e suaves, o ladylike é o queridinho das celebs. Atemporal, investe em vestidos com as saias rodadas ou plissadas– na sua maioria em tons pastel, como azul bebê, amarelo claro e rosa claro e branco – e valorizam as curvas das mulheres. Além disso, salto alto – tire as suas dúvidas sobre eles aqui – é uma peça que não pode faltar no guarda roupa de quem adora essa tendências. Com uma pegada meio anos 50, o ladylike é também pra quem curte um look bem arrumadinho e delicado. Estampas florais ou de poá, bolsinhas, babados e rendas também compõe o estilo ladylike.

Glam

Na tradução, são peças que tem muito brilho, tachas, paetê, correntes e peles. Mas, a sua origem vem mesmo da palavra glamour! A mulherada que adota esse estilo apostam em roupas um pouco mais justas – vestidos, blusas – sem se preocupar se o evento é diurno ou noturno. Possuem algumas variações como o Glam Rock, o Retrô Glam e o Glam Chic.

Cool

Divertido, despojado e despreocupado. É assim que a mulher que adota esse estilo se veste. Antenada com as tendências, sabe misturar peças muito bem e em qualquer ocasião. Abusa de sobreposição e peças sexys.

Síndrome de Cinderela: com que sapato vou?

Os leigos vão falar: ah, mas é tudo sapato. Na na ni na não! Pra quem tem essa teoria de que é tudo igual, o post de hoje tá trazendo um mini guia de quais os estilos de alguns sapatos – seis ao total – e um pouquinho dos motivos que levam esse nome. Afinal, não vamos ter a Síndrome de Cinderela e achar que todo sapatinho é de cristal não é mesmo?

A história conta que a sua origem vem de cerca de 10 mil anos antes de Cristo, porém alguns acreditam que foram os egípcios os responsáveis pela criação.

Oxford

Originalmente, o Oxford era exclusivamente masculino, porém nos últimos anos, a mulherada começou a incorporar esse sapato no seu guarda roupa com versões mais coloridas e até de saltos. O nome é proveniente da universidade do mesmo nome, lá na Inglaterra, já que os alunos de lá usavam muito. Na figura popular, é um tênis mais sofisticado, né?

Scarpin e Peep Toe

O ibope confirma: a cada dez mulheres, nove desejam ter scarpin no seu armário! Explico: considerado o sapato mais feminino de todos, foi popularizado nos anos 40 por nada mais nada menos Christian Dior, que queria popularizar entre as mocinhas. Em uma época pós guerra e com vários serviços escassos, Dior quis que a mulherada se sentisse mais glamourosa. Totalmente fechado, o scarpin possui salto entre 4 e 10 cm.  Já o peep toe é um calçado que tem abertura na parte dos pés. Existe também o stiletto quando o salto passa dos dez centímetros.

Chanel

Criada pela estilista Coco Chanel nos anos sessenta, esse tipo de sapato é considerado outro clássico na moda pelas mulheres. No começo, foi feito para aparentar era produzido em duas cores: uma clara e outra escura. O bico – sempre escuro – é fino e o calcanhar é aberto com uma tira fina. Hoje, a gente encontra o calçado em vários modelos coloridos.

Alpargatas

Ícone fashion nos anos 70 e entre os árabes, as alpagartas são o tipo de calçado que é a cara do verão. Com solado de borracha ou de corda e confeccionado com lona, ele é totalmente fechado e é bom pros dias em que os dedos dos pés não estão agradáveis. Além disso, são bem unissex e confortáveis e combinam com qualquer look que a gente usa quando a temperatura tá alta.

Espadrilha

Assim como a alpargata, esse tipo de calçado ficou mais pop na década de 70, já que era uma alternativa mais chique para o chinelo.  Com salto – que pode ser de corda, camurça ou palha – a espadrilha é ótima para os dias mais fresquinhos e esbanja feminilidade. Ah, detalhe: ela pode ser aberta ou fechada, ok?