A minha infância – Dia das Crianças

Quem aqui sente saudades da sua infância? Bom, eu sinto. E muitas! Vamos combinar que essa é a melhor das nossas fases em que não há neuras, cobranças e responsabilidades! E, amanhã é dia de comemorar o dia daqueles que tem uma pureza e um brilho próprio.

Nasci em janeiro de 86 e vivi a minha infância até quase o final dos anos 90. Em uma época que o bom mesmo era brincar na rua e sentar na frente da televisão – nessa época, sem o ‘a cabo’ pra saborear os desenhos inocentes, separei 5 coisas que marcaram essa fase que não volta mais.

Show da Xuxa

Não podia começar essa lista sem ela, minha querida e adorada Xuxa! A eterna Rainha dos Baixinhos estreou o seu programa na Rede Globo uns seis meses depois do meu nascimento e segundo fontes dignas de confiança, ela foi a minha babá por muitos e muitos tempos. O Show da Xuxa marcou toda uma geração com a nave, Paquitas – eu sou fã até hoje! – e beijinho, beijinho, tchau tchau.

Tamagoshi

Muito antes de caçar Pokemon pela cidade, as crianças da minha geração – tão velho falar isso! – tiveram outra febre: o tamagoshi. Era um brinquedo e que você precisava cuidar de um animal: dava comida, banho, brincava e não podia deixar ele doente. Cada dia era um ano de vida do bichinho e se ele morria, era só resetar o jogo que começava tudo novamente. Não sem antes chorar algumas pitangas, é claro.

Vivemos a Copa de 94

Lembro bem como se fosse semana passada e não há mais de vinte anos! Sim, meus leitores! Tem exatos vinte e dois anos que comemoramos e gritamos com o Galvão a célebre frase: “É TETRA!!’ e da também “Vai que é tua, Taffarel!” , depois de vinte anos de jejum de títulos de Copa do Mundo. A seleção era composta de Romário, Bebeto, Dunga, Tafarrel e um Ronaldo ainda não Fenômeno. Lembro que do alto dos meus oito anos, colecionei o álbum de figurinhas. Lado triste? De lá pra cá só rolou mais uma taça de campeão, em 2002.

Dançamos ao som do “É o Tchan”

Sim, era uma festinha sim e outra também que rolava esses clássicos do grupo baiano “É o tchan” e que a gente dançava como se fossemos a Carla Perez, Sheila Mello ou a Scheilla Carvalho. Aliás, até hoje quando toca ninguém fica parado! Inclusive você, que tá ai nesse exato momento lendo esse post! Com eles fomos pro Havaí, Japão, Egito e ainda nos aventuramos na selva!

Chocolate da Mônica

Outra coisa que marcou e MUITO a minha infância foram os chocolates da Turma da Mônica e que 10 entre 10 pessoas na casa dos 30 e poucos pedem pra voltar. E, posso falar? Tinha toda uma técnica para comer: primeiro era a parte preta e depois o personagem e que dava uma pena! Volta, pessoal. Ninguém nunca te pediu nada!

FELIZ DIA DAS CRIANÇAS!

Anúncios

Meus desenhos preferidos da infância.

Tem coisa melhor do que ser criança? É uma época de inocência, de mundo cor de rosa e que não há preocupações com a vida adulta e sim, a melhor fase. Aliás, a única preocupação era fazer o dever de casa antes de qualquer coisa, algo que eu cumpria com muito prazer.. Eu, nascida em 1986, tenho muito orgulho da minha infância: era pura.Não existia tecnologia, as crianças não sabiam mexer em tablets, smartphones, não tinham redes sociais. Era fácil e simples ser criança. E os desenhos animados? Eram ótimos e sempre que posso (ou lembro!) procuro alguns episódios na internet. Para comemorar esse dia das crianças, vou fazer a vintage e listar os meus desenhos preferidos da minha infância!

images

#1. Cavalo de Fogo: é de longe meu desenho preferido por motivos de: cavalo. Quem me conhece sabe que cavalo é meu animal preferido desde sempre e é impossível esse desenho não figurar na lista, em primeiro lugar! Conta a história da princesa Sara que foi salva das mãos da sua tia Lady Diabolyn, por um cavalo falante, o Cavalo de Fogo quando ainda era bebê. Ela é entregue para ser criada para seu pai John, que foi enfeitiçado. Por volta de 13 anos ela descobre que o seu medalhão brilha e isso faz com que o seu salvador apareça, levando Sara para uma realidade paralela, o reino de Dar Shan. Infelizmente, o desenho só teve uma temporada com treze episódios, que eu vi inúmeras vezes.

ursinhosc#2. Ursinhos Carinhosos: Fofura num nível alto, daqueles que você tem certeza que quer voltar a ser criança e ficar lá pra sempre! O desenho fala da história de uma família de ursinhos que moram na Nuvem Rosa, cheio de nuvens e arco-íris! Eles ajudam pessoas a terem bons sentimentos e protegem a Terra de forças do mal. O arqui-inimigo deles é o temido Coração Gelado, que tenta a todo custo acabar com o amor. Além do desenho animado, tem ainda filme! Ah tá! Apesar do nome, a família conta com outros animais como leão, coelho, macaco. Cada um deles capaz de produzir um sentimento bom. Na hora do vamos ver, eles liberam esse sentimento em forma de ‘raios’ que geralmente são atrelados ao nome de cada um.

 

Alf-o-ETeimoso-nos-Cinemas-01

#3. Alf, o E.Teimoso: Clássico! Apesar de não ser desenho, eu a-m-a-v-a e tinha até o bonequinho! Alf, do planeta Melmac, cai acidentalmente aqui na Terra, mas precisamente em Riverside, na Califórnia e vai parar na casa da família Tanner, aquela típica família americana. Vale a pena dar uma olhada no Youtube e ver alguns episódios.

heman

#4. He-Man: Pelos poderes de Grayskull!!”.. era assim que o desenho chamava a minha atenção. Meio claro que o público alvo eram os meninos, mas não sei o motivo de curtir tanto essa animação, que se passasse hoje seria considerada boba até. He-Man é Adam, filho do rei Randor que vive no planeta Eternia, mundo que apesar de medieval tem tecnologias avançadas e seres mágicos. Em contrapartida do mundo justo, encontramos o vilão Esqueleto cujo principal objetivo é dominar o castelo de Grayskull e conseguir o poder de todo o universo. No final de cada episódio, tinha uma lição de moral do tipo: não fale com estranhos.  Depois fizeram também um desenho com a irmã dele, a She-ra.

 

Índice

#5. Muppets Babies: A série fala de um grupo de bebês que são criados em um berçário, sob os cuidados da Babá, personagem adulta, que nunca aparecia seu rosto, ou seja, a gente conhecia ela pelo ponto de vista deles. Lá eles criavam 1001 histórias e se envolviam em várias confusões típicas do imaginário infantil e que geralmente eram salvos pela Babá.

 

Foi muito difícil escolher apenas cinco, deixei mais um monte de fora. Pena que hoje em dia, os desenhos não são mais tããão legais assim. E você, quais são os desenhos que marcaram a sua infância?