Filmes de aniversário + 2 anos do blog

É com imenso carinho que hoje, dia 01 de agosto, esse cantinho completa dois anos de vida. Terceiro cantinho meu no mundo virtual – o primeiro, no auge dos meus 17 anos nos primórdios do já extinto weblogger (quem tem mais de 25 vai saber o que to falando!) e o segundo, no começo da faculdade e como já falei aqui em um post anterior e que foi abandonado em 2011.

Em 2014, depois de fazer um curso em SP de Jornalismo Feminino e o bichinho do blog me mordeu de novo e demorei um pouco pra voltar pra esse mundo. Foi então que criei o “Entre Nós”, um lugar mais a minha cara, em que eu pudesse escrever um bocadinho do universo que eu tanto gosto: o feminino.

E, pra celebrar esse segundo ano, listei aqui cinco filmes que tem como tema… aniversários, é claro! Vamos começar?

De repente, 30

Esse é um dos filmes que me fez apaixonar e decidir pelo jornalismo. Jenny tem 13 anos e como tudo nessa idade é um drama só, ela sofre por ser rejeitada pelas populares da escola e pelo garoto que ela gosta. Eis que no seu aniversário de treze anos, ela faz um pedido para que tenha logo 30, idade que ela considera perfeita. O desejo é atendido e de repente, a idade nova ta ali e uma nova vida pra Jenny. Só que ta longe de ser perfeita. Destaque pro flashmob de Thriller, clássico do Michael Jackson.

Lua Nova

Nesse segundo filme da saga Crepúsculo, Bella Swan já sabe toda a verdade sobre seu namorado Edward e a família Cullen. O problema é que ela está prestes a completar 18 anos e o seu namorado terá eternamente 17. E é na sua festa de aniversário que um acidente acontece, o que acaba afastando Bella de Edward.

Hotel Transilvânia

Conde Drácula agora é dono de um hotel que abriga só monstros. Ele convida então alguns dos seus amigos mais famosos – Frankstein, Lobisomem e Pé Grande – para comemorarem o aniversário da sua filha Mavis, que ta fazendo apenas 118 anos. Acontece que nesse meio tempo, um jovem Jonathan entra sem querer no local. Mavis se encanta com Johnny – que Drácula disfarçou como monstro – e eles se beijam para desespero do pai da moça. Garante gargalhadas e owns.

Harry Potter e a Pedra Filosofal

Harry descobre no seu aniversário de onze anos – que foi ontem! – que ele vai pra Hogwarts, a escola mais legal de bruxos. E que ele não vai mais precisar morar com seus tios e primos que o detesta. Ah, ele descobre também que seus pais eram bruxos e que não morreram em um acidente de carro como a sua tia havia lhe contado. A vida do garoto muda a partir de então e todo mundo conhece o final. Conhecem, não é?

Gatinhas e Gatões

A década de 80 foi pra mim, a melhor quando o assunto é filmes para adolescentes. E um deles é Gatinhas e Gatões. A estudante Samantha Baker tá fazendo dezesseis anos e a família toda se esquece do seu aniversário por causa do casamento da sua irmã mais velha, Ginny que vai ser no dia seguinte. Além disso, o filme retrata – e muito bem, obrigada – os dilemas típicos dos jovens dessa idade: amores platônicos, dúvidas e neuras. Vale bem a pipoca.

 

Anúncios

Paulistas x Cariocas: o vídeo!

Nunca contei aqui, mas entre 2008 e 2011 (ou menos, talvez!) eu tive um blog, já deletado. Ainda era uma mera estudante de jornalismo e quis me aventurar na parte da escrita, mas nada muito profissional. Dava na telha de escrever um assunto X, abrir o blogspot e tcharan. Post novinho. Escrever o texto, sem lead, sem saber se o feedback era ok, sem pensar. Aprendi muito que vocês nem imaginam!

1240631_10151834447093901_585803596_n

Nós duas no RiR/2013

E entre tantas coisas bacanas que a internet proporciona foi nesse momento também que veio as amizades. E a primeira, sem dúvida foi a Camilla, que também tinha um blog. Era 2009, o momento era conturbado pra mim. Ela, terminando a faculdade, também de jornalismo. Eu, na metade e sem saber que rumo tomar. Emails e mais emails trocados quase que diariamente. Sim, meus caros. O whatsapp nem tinha dado as caras por aqui.

O tempo passou, nos conhecemos pessoalmente e ficamos mais unidas. Rimos, bebemos, brincamos e nos entendemos pelo olhar já, mesmo com pouca convivência. A Cá é daquelas amigas loucas que embarcam na suas maluquices e teorias sem te julgar! Dividimos nosso amor pelo ator Marco Pigossi, olha! Somos fãs de novelas antigas e até já temos o projeto de escrever a nossa a quatro mãos.

Até que resolvi largar minha vida em 2014 aqui no Rio e passar uma temporada pra fazer um curso lá em São Paulo, cidade em que a Camilla vive. E quem estava comigo, na mesma sala de aula? A Camilla, claro! Tanto ela quanto a família e os amigos me receberam super bem.

10262023_10152095627226434_590237997995634787_n

Aniversário da Cá – SP, 2014

E foi entre uma aula e outra sobre o que a gente ama – o Jornalismo Feminino -que o mosquitinho do blog picou nós duas novamente e o cantinho dela – o Fik Dik – nasceu poucos meses antes do Entre Nós. E desde o comecinho do ano, a Camilla resolveu se aventurar no mundo dos vlogs! Metida que sou, quando soube que ela iria passar no começo do mês um findi aqui em terras cariocas, fui bem direta: ‘Quero participar do seu canal!”. E como deu pra perceber lá no título, o tema foi beem bacana: falamos – e muito! – as diferenças que existem entre os Paulistas (Camilla) e Cariocas (Eu, Natália).

Espero que vocês curtam e se divirtam tanto quanto nós duas curtimos gravar! E aquilo que vocês já sabem: dá o like e se inscreva no canal. Quem sabe, um dia, não me animo para fazer um canal meu também. Só dar play no vídeo abaixo:

Anota aê: Brownie no copinho

O meu amigo André Ferreira, chef and vlogueiro do Adorável Vida Light, que já falei dele aqui, preparou um presente pra lá de especial pro mim uns meses atrás: um Brownie com o nome do nosso blog: Entre Nós. E como no próximo domingo é dia dos namorados, que tal preparar essa sobremesa pro amado/amada? Pega o papel, caneta e .. anota aê!

Lembrando que não mudei nada, copiei e colei a receita certinha aqui, ok?

  • Do que preciso mesmo?

– 230gr de manteiga sem sal (1 pacote mais 1 colher de sopa bem cheia)
– 400gr de açúcar (2 xícaras)
– 230gr de chocolate ao leite ou meio amargo (3/4 de xícara)
– 140gr de farinha de trigo (1 xícara mais 2 colheres de sopa)
– 25gr de cacau em pó sem açúcar (4 colheres de sopa cheias)
– 4 ovos em temperatura ambiente
– 1 colher de chá de sal

  • E agora, #comofaz?

#Parte 1 – o brownie!

1. Forre uma fôrma de 20cm com papel manteiga.
2. Pré aqueça o forno a 150 graus.
3. Derreta a manteiga, junte o açúcar e misture.
4. Derreta o chocolate em banho maria (ou no micro ondas, de 30 em 30 segundos) e junte à mistura de manteiga com açúcar.
5. Junte os ovos ligeiramente batidos com o sal (à mão mesmo).
6. Misture a farinha peneirada com o cacau.
7. Leve ao forno por aproximadamente 40 minutos (ou até que forme uma película de chocolate sobre a massa do brownie).
8. Desligue o forno e deixe-o entre aberto, para que o brownie termine o cozimento com este “finzinho” de calor. Se fizer um dia antes, é só cortar. Se for fazer tudo na hora, deixe o brownie descansar no freezer por 40 minutos.

#Parte 2 – a geleia:

1. Em uma panela, adicione 250g de frutas vermelhas (pouco mais que uma xícara de chá), 75ml de vinho do Porto (ou qualquer vinho tinto) e 150g de açúcar (1/2 xícara de chá + 3 colheres de sopa cheias). Faça uma redução (deixe que o volume dos ingredientes na panela diminuam – cuidado para não cozinhar demais e queimar as frutas).
2. Se aparecerem bolhas por cima das frutas, durante o cozimento, retire-as com o auxílio de uma colher de sopa.
3. Leve a geladeira e reserve.

#Parte 3: as casquinhas de chocolate

1. Derreta 250g (1/4 de barra de 1kg) de chocolate fracionado meio amargo (no micro ondas ou em banho Maria). Este chocolate não precisa ser temperado (muita gente conhecesse este processo como “choque térmico” – que é voltar o chocolate a sua temperatura ideal). Com o chocolate fracionado, ou cobertura, você apenas precisa derretê-los e esperar que voltem ao estado “sólido”.
2. Encha pequenos balões na medida de uma taça de de sobremesa.
3. Molhe o “bumbum” destes balões no chocolate e deixe em uma fôrma de bolo envolta em filme PVC (também pode deixar que descansem em tapetes de silicone) ou papel manteiga. Se você não fizer isso, são grandes as chances do chocolate agarrar no recipiente e colocar tudo a perder.
4. Repita esta operação por 4x (até que as casquinhas fiquem firmes, como um pratinho).

#Parte4: creme de leite fresco:
1. Na batedeira, coloque 250g (ou 250 ml) de creme de leite fresco e 2 colheres de sopa de açúcar.
2. Bata até chegar em ponto de chantilly (tomando cuidado para não bater demais e tudo virar manteiga).

Para montar:

1. No copinho de chocolate, coloque alguns quadradinhos de brownie, 2 colheres de chá de geleia e despeje o chantilly. Para fazer a voltinha, utilizei o bico de confeitar “Pitanga”, da marca Wilton (você encontra em lojas de artigos para festas).
2. Por cima, adicione algumas frutinhas, raspas de chocolate e o que mais a sua imaginação deixar fluir.

Ficou tonta com tanta informação? Sem problema! O Dé ensina passo a passo nesse vídeo aqui:

Haja Coração, a nova das sete!

Que eu sou fã de novela, isso não é novidade por aqui. Mesmo que não acompanhe a novela diariamente, tenho uma mania pra lá de interessante: gosto de ver o primeiro e último capítulo, sempre. Por mais que não acompanhe a novela como um todo – a última que vi toda foi “Boogie Oggie” – tenho essa curiosidade. E, como hoje entra no ar a nova das sete, “Haja Coração“, vou te dar aqui sete motivos para ficar ligados na frente da televisão.

O autor é o mesmo da novela Alto Astral…

… e a novela fez bastante sucesso na época! (lembra, teve post aqui sobre a estreia!) Por isso, Daniel Ortiz – agora não tão novato assim – volta escrevendo “Haja Coração“.

É quase um remake de Sassaricando

Quando digo quase, é que o autor afirmou que “Haja Coração” é uma homenagem para novela que bombou nos meados dos anos 80. Ainda segundo Ortiz, ele usou a história de Sassaricando como base para essa nova trama, incluindo novos personagens e quem sabe novos rumos. É esperar pra ver.

Começa numa terça!

Acreditem, mas dessa vez a Rede Globo resolveu inovar e diferente do que é sempre visto, a novela dá seu start hoje, numa terça feira (dizem também que é guerra de audiência com a Rede Record), dia 31 de maio. E quem disse que a semana começa na segunda, hein?

Vai ter blogueira fazendo blogueira

Tem Júlia Faria – sou fã demais dela – no papel de Estelinha, uma blogueira e é o primeiro papel de destaque da atriz. Além de atuar, JuFa é conhecida como uma blogueira – falei do blog dela que eu amo aqui – na vida real e uma das rainhas do Snapchat (e foi por causa dele que ela conseguiu o papel). Sinal que a realidade e a ficção andam juntas!

E os guapos?

Siim! Nós temos!! Zé Loreto, Malvino Salvador, Jayme Matarazzo e Nando Rodrigues são apenas alguns dos nomes desses gatos que vão fazer brilhar nossos olhos nos próximos meses. Alerta suspiro!

Não tem protagonista!

Como assim, não tem protagonista? Bom, as novelas ultimamente estão fugindo do estereótipo mocinha vs. vilã e inovando ao colocar várias histórias como centrais. Tradução? Não vai ter aquela protagonista sofredora do início ao fim da trama.

Elenco feminino não deixa a desejar

Se nós, mulheres, ficamos suspirando pelos rapazes, porque os caras não podem acompanhar a novela por causa das atrizes? Tem Mariana Ximenes, Cléo Pires, Tatá Werneck, Ellen Roche e Aghata Moreira.

#TemQueLer: Bendita Cuca

Eu sou bem fã mesmo desses blogs que são só textos e mais textos. Crônica pura. Dá uma inspiração, uma leveza e principalmente, uma identificação forte com algum trecho. O de hoje, é o “Bendita Cuca”, cuja dona é a Samantha Silvany.

Sem título

E esse topo? Lindo! ❤

A Samantha conta que resolveu criar o blog para “conseguir suportar a convivência consigo mesma. Ou para um tratamento psicológico gratuito. Ou os dois.” Os textos são aqueles bem tapa na cara, bem aquilo que a amiga te avisa. Uhum. Bem isso mesmo. De pegar aquele vinho e se deliciar o dia todo.

Eu não vou permitir que faça isso de novo e chegue de mansinho trazendo no bolso o sossego que eu perdi da última vez que o vi sair pela porta. Você não sabe por quantas noites desejei que isso acontecesse, nem sabe que todas às vezes que meu celular vibrava, eu só queria que fosse você. Você não imagina de quantas saídas eu tive que me desvencilhar e como meu coração disparava toda vez que uma foto sua surgia na timeline do meu Facebook.

O blog tem um pouco mais de dois anos – foi criado em abril de 2013 – e conta com colaboradores.Curtiu e quer saber mais? Acesse aqui : Bendita Cuca

insta

facebook

#TemQueLer: Dona Oncinha

Já falei aqui o quanto eu sou apaixonada por blogs de textos, né? Pra mim, são muito mais atrativos do que aqueles de moda/beleza. O blog que trago pro #TemQueLer, descobri por acaso, no instagram. Fui, dei uma olhada e tcharan.. já sigo, indico pras amigas, leio sempre..

Sem título

Só o nome eu achei bem peculiar: ‘Dona Oncinha’ e é bem feminino. Sabe quando você já começa a curtir só pelo nome? Então, foi isso. Lá, eles escrevem sobre ‘Dose diária de Poesia. Vida. Festa. Cotidiano. Fotografia. Moda. Feminices’. É texto, muito texto. E isso é muito legal.

Sozinho ou acompanhado, aprendi na vida que a melhor cia que tenho é a minha. Eu mesma me perdi para o mundo e não estou em busca de endereço fixo ou caixa postal evidente. Decidi que o meu lugar vai ser em qualquer lugar. E isso significa ser feliz independente de todas as provas que a vida me coloque. Um sincero: desafia que eu dobro a aposta.

O instagram deles também é bem bacanão. Várias frases lindas e inspiradoras. A criadora, Juliana Manzato, conta que sempre foi apaixonada por internet e informação e nunca achou um lugar que falasse diretamente para as mulheres. E tudo isso incentivado pelas amigas, lá em 2010. Ju ainda fala que o nome saiu de uma expressão que faz referências às mulheres bravas e fortes

Outra coisa que eu curti bastante é quando eles colocam trilha sonora em cada textinho. Uhum. Eu, como leitora ávida, adoro saber o que passava no coração do autor/escritor na hora da composição do texto.

Ficou curiosa? Corre lá pra saber mais: http://www.donaoncinha.com.br/

Clica também para saber as redes sociais deles:

insta facebook

Especial 1 ano: Entrevista com Daniel Bovolento

niver

Há cerca de um mês, quando percebi que o “Entre Nós” estaria fazendo um ano (mas já? Parece que foi ontem!) fiquei com meus botões querendo saber como comemorar essa data tão especial para mim. Depois de ter uma infinidade de blogs, esse é o meu projeto mais sério, mais voltada para a minha profissão, o jornalismo. As postagens que faço aqui são pensadas bem direitinhas, nada de escrever qualquer coisa. E foi por isso que quebrei a cabeça quando comecei a pensar no que fazer nesse post de um ano. Dispensei logo o sorteio, queria algo beeem especial para mim, principalmente.

“Queria tanto que você tivesse gostado de mim que me esqueci de dizer antes, aquela hora em que você me acordou cedo, que você nem tinha ideia do quanto eu tinha gostado de ti. “

Trecho do texto “Eu queria que você tivesse gostado de mim”

Antes de mais nada, preciso contar a minha experiência com o Dani para essa ‘entrevista’ sair. Me armei de coragem e mandei um tweet pedindo o email dele, que to-do fofo respondeu na hora. Pronto, a sorte estava lançada. Entrevista enviada e, pasmem, respondida no mesmo dia. Sou fã do cara – ele é bem fera- , disse isso pra ele, inclusive. Quando recebi o email com a resposta, ele me deixou tão a vontade que quase liguei o computador pra contar a minha vida pra ele. Sabe quando encaixa pensamento e dúvidas? Então, foi ele. #tipoalmagêmea

Foi quando decidi entrevistar o Dani. Sim, eu faço a íntima com ele. Não conhece ele? Bom, lááá no comecinho do meu blog, eu falei nesse post do Entre Todas as Coisas, blog fundado por ele, Daniel Oliveira, 22 anos, conhecido nas redes como Daniel Bovolento. Além disso, ele tá lançando um livro – “Por onde andam as pessoas interessantes” , escreve três colunas para sites (entre eles, o SuperEla e o Casal SemVergonha que falei dos dois aqui já!) e, geralmente uma vez por semana lança um vídeo no youtube, além de trabalhar em um agência. Ufa! Cansou? Pois ele não. E ainda quer mais, vamos ler?

Começo assim, pá pum: Como foi que um garoto carioca, swing sangue bom, amante de praias foi se jogar na terra da garoa? Existe amor em SP?

Eu conto pra todo mundo que foi por trabalho, mas a verdade é que eu tava vendo a minha vida ir por um caminho muito monótono, saca? Terminei a faculdade, arrumei um emprego num lugar legalzinho, fazendo algo mais ou menos que iria me dar notoriedade na carreira corporativa e tal. Não via muito futuro nisso e vi que eu tava negando fortemente um chamado interior. Resolvi admitir que não tava feliz e consegui ser demitido. Peguei as coisas, vim tirar umas férias em São Paulo – e eu sempre amei essa cidade por algum motivo. Rolou uma entrevista de trabalho e me chamaram pra cá. Vim sem pensar duas vezes e tem sido uma experiência incrível, tenho crescido demais.

Só 22 anos e escreve sobre amor de uma forma tão pura e tão natural. Me pergunto as vezes se você existe ou se te inventaram, sabe? Como acontece esse processo? Levou pé na bunda, texto. Se apaixonou, texto. Pegou alguém na balada, texto? Ou você é daqueles que conseguem ouvir uma música e colocar em palavras um sentimento ‘desconhecido’?

Tudo e todo mundo pode virar texto. O namorado da amiga do trabalho pode virar texto, a frase estampada no outdoor de comercial de shampoo também. Uma vez eu ouvi que pra escrever bem sobre comportamento, você deveria escrever sobre o que te dá medo, ou seja, abrir o seu diário para as pessoas. Comecei a praticar assim e perceber que eu teria que me encontrar em todos os textos, até os que não falavam sobre mim. Então me pus neles. Cada personagem que já escrevi tem um pouco de mim, um pouco de quem eu gostaria de ser, de sentir, de ter vivido. Ou então eles são o que eu vi, vivi, fugi e tudo mais. Mas eu embarco muito em emoções pecualires. Ligo uma música e sintonizo o sentimento, já chorei escrevendo sobre coisa que nunca vivi. Já romantizei gente que vi em 10 minutos. Tudo é possível.

Não é novidade que você tá prestes a lançar um livro. Como foi a concepção? Acordou feliz e decidiu: ‘já plantei a árvore, o filho vai demorar e vou escrever um livro!!’ ou foi algo que você foi amadurecendo? Escrevendo uma coisa no guardanapo do happy hour, no bloco de notas do celular.. Ah, nem preciso dizer que serei a #1 na fila de lançamento aqui no Rio de Janeiro!!

O blog nasceu de uma ideia torta de escrever um livro. Com o tempo, deixei a ideia pra lá e fui brincando de blog. O negócio cresceu demais e cá estamos nós, com um lançamento pela frente. Eu queria escrever um livro que eu gostaria de ler, com as referências que gosto e que meus leitores já conhecem. Queria um livro pra deixar na cabeceira e ler de vez em quando, sabe? O que eu pensei sobre ele foi o tema, depois mudei, depois entendi qual história queria contar através dos textos dele e defini um tema central. São todas sobre mim, até as que não são. E acho que muita gente vai se identificar com ele e com o tema.

Capa do livro do Dani

Sobre a concepção: foi noite sem dormir, foi texto sendo escrito durante um encontro, foi espera de vôo na ponte aérea, foi bloco de notas do celular. Tudo quanto é jeito de escrever funciona. Eu gosto muito de virar a noite em cafés 24h aqui em SP, levar um moleskine e um computador e ficar alternando entre escrita de mão e digitação. A escrita de mão dá a impressão de que você tá “vomitando” mais no papel, porque você não edita ali na hora. Já no computador você tem um impulso maior de editar, mexer no texto, ele não sai muito cru. E eu gosto das vísceras, da coisa nua e crua, tanto é que não reviso meus textos (eu sei, deveria revisá-los, mas não reviso)

Sonhos. Você tem ou acha que eles são só aqueles que vendem nas padarias e só servem pra engordar?

O blog era um sonho. O livro era um sonho. Vir pra São Paulo era um sonho.

Acho que tenho muitos e tô conseguindo realizá-los pouco a pouco. Cada hora surge um sonho novo e noutras alguns somem. Essa é a beleza de sonhar: cada noite você pode se enfiar num desejo diferente e encontrar motivação pra perseguir algum, nem que seja o grande sonho da sua vida. Muita gente acha que sonho é pra ficar na imaginação e não tenta ir atrás do que quer. E te digo que é o maior erro dessa gente. Eu saí de lugar nenhum, um garoto suburbano que começou um blog e hoje tô lançando um livro por uma das maiores editoras do país. Sonhos acontecem e são ótimos, a gente só precisa acreditar mais e transformá-los em metas. Assim eles ficam mais próximos da realidade.

Um blog, um canal no youtube, e em breve um livro. Qual o próximo passo? Ou você faz coro com o Zeca e deixa a vida te levar?

Eu trabalho em horário integral em agência, sou editor-chefe do ETC, escrevo 3 colunas pra sites diferentes, presto consultoria de serviços de conteúdo e ainda quero botar outro blog no ar e dar mais ênfase ao YouTube. Pra esse ano os planos são seguir com tudo e dar um jeito de botar o blog novo no ar. Pro ano que vem, talvez, escrever outro livro e morar fora do país por um tempo. Eu sinto muita falta de viajar, de conhecer outras culturas, outros autores, dar um mergulho mais íntimo em mim, sabe? Tenho o sentimento de que tô perdendo algo o tempo todo, mas vou com o mundo. Onde tem oportunidade eu me enfio. Com medo, mas me enfio.

Quer conhecer mais sobre o Dani? Segue ele aqui oh, garanto que não vai se arrepender #conselhodeamiga

instattyt

#TemQueLer: A terapia de Alice

Tá chegando agora no blog? Sim? Então deixa eu te avisar: toda quarta, eu tento indicar aqui um blog ou um livro que eu tenha adorado. É a nossa #TemQueLer. Pois é isso: tem que ler mesmo. Depois de muito procurar, achei esse blog, que eu apresento para vocês hoje.

Se tem uma coisa que eu curto – e muito – são os blogs que tem crônicas. Uhum. Muito mais que só falam de looks, tendências da moda, beleza. Sempre tento procurar e pedir indicações para os amigos e eles já sabendo disso, volta e meia rola uma recomendação. E também vou caçando daqui e acolá. Foi assim que descobri mais um blog para indicar aqui:  A Terapia de Alice”. Ele é daqueles bem delícias que a gente vicia já no texto de prima. E indica pra amiga, pro chefe, pra vizinha, aqui…

“A terapia” surgiu segundo as quatro fundadoras – sim! São em quatro! Milene, Mylena, Natália e Priscila  – de que elas acharam de compartilhar informações e principalmente: falar, algo que to-da mulher ama! Essas quatro amigas, curitibanas, falam sobre tudo no blog: relacionamento, comportamento, culinária, música, beleza. Enfim, assunto para qualquer tipo de mulher.

“Ela é assim: sorriso contagiante, olhos compreensivos e um coração sempre pronto para acolher o seu. É alguém em quem você pode confiar. Os cabelos dela são um charme quando caem no rosto, mesmo assim ela prefere prender para trás – questão de praticidade. Mas quando o assunto em questão é você, ela não sabe ser nada prática, muito menos racional.”

O layout do site é daqueles beeem clean, suave, do jeito que eu adoro e sem aquelas 1001 dificuldades pra achar sobre certo assunto. E o melhor, existe versão mobile. Algo que me dá muitas alegrias, pois acabo vendo – como muita gente – no celular.

As Quatro Alices: Milene, Mylena, Natália e Priscila

O blog existe desde abril de 2014 (ou seja, tem um pouco mais de um ano) e já é sucesso, são cerca de 40 mil curtidas no facebook e mais de 8 mil de seguidores no instagram.

Quer saber mais sobre “A Terapia de Alice” ? Clica aqui para poder seguir todas as redes sociais dele!

instafacebookyttt

#TemQueLer: De repente dá certo

Sou apaixonada por blogs que tenham textos/crônicas que te fazem pensar ou refletir sobre a vida. Foi assim com Entre Todas as Coisas, com o SuperEla. E tá sendo assim com “De repente, dá certo”.

Sem título

Conheci ele em um post da Jú Faria (uma dos primeiros a aparecer no #TemQueLer), quando ela postou um texto incrível que a autora (e atriz, e jornalista e editora, ufa!) do blog Marcela Picanço cujo título era: “Se o amor da minha vida não chegar”. Uhum. Aquele texto soco no estômago. Passei uns dias e fui, dessa vez direto no blog dela. Último texto: ‘O nosso primeiro não na carreira’. Outro soco, dessa vez, daqueles bem certeiros. Encaixou como uma.. luva!

E começa a ler os outros. E se identifica. Muito. E, claro, já quer essa pessoa como amiga pra te dizer exatamente aquilo, naquele momento. Quem nunca, não é?

Acho que se um dia, por acaso, eu te encontrasse na rua, eu ia fingir que eu não te conheço. Porque meu coração ia acelerar tanto que eu não ia conseguir falar nada. Eu sempre consigo disfarçar meu nervosismo falando mais. E tudo bem, porque eu já sou o tipo de pessoa que fala demais. Mas com você eu recuo. Minha vontade era pular no seu pescoço e falar o quanto eu senti sua falta por todo esse tempo. Depois eu ia segurar sua mão e te levar pra algum lugar que só existisse a gente.

Segundo o que a Marcela conta, ela criou o blog – em outra plataforma – lá pelos idos de 2008, já que “tinha cansado de escrever um monte de bobagem nos meus cadernos e escondê-los atrás do meu quadro de fotos”.

Quer saber mais? Olha aqui as redes sociais do blog.

facebook insta

#TemQueLer: SuperEla

Quando comecei a escrever o #TemQueLer, a minha ideia principal era trazer toda semana blogs/sites novos que eu olhasse e pensasse: “Hum, vale a pena indicar pro mundo!” Depois de um tempo, resolvi intercalar com resenhas de livros que tinha lido e gostado muito.

Sem título

A indicação de hoje,é o SuperEla, blog completamente feminino. Quando eu digo feminino, eu digo que fale sobre a alma feminina. Não fala sobre make ou sobre moda. Fala sobre os dilemas que nós, mulheres, temos. E olha, posso garantir. São muitos!

Criado pela Ju Bretas, o SuperEla conta hoje com mais de 70 colunistas – entre eles o lindo do Daniel Bovolento (aliás, foi por causa dele que conheci esse blog) e que já deu as caras aqui no #TemQueLer, bem lá no comecinho.

Segundo a Ju, a missão do SE é “ajudar o maior número de mulheres possíveis”. Tá querendo desabafar e tá precisando de uma visão nova? Lá é O lugar. Funciona muito como uma terapia  grupo. E você pode ter a visão da amiga, de um cara, da pessoa do contra que te dá um choque de realidade. Uhum. Vale a pena gastar algumas horas lendo os textos.

Os textos são divididos em cinco categorias: Amor, Sexo, Vida, Beleza e Estilo. Ah, você tá pensando que acabou? Não! Curte escrever? Eles te querem também. Lá tem uma sessão que você pode mandar seu texto. Bacana, não é?

Para saber mais – e seguir nas redes sociais – só clicar aqui:

ttinstafacebook

Lala Rudge para Riachuelo!

Não dá pra negar: a parceria entre as redes de lojas fast fashion com marcas – recentemente a C&A lançou uma com a NkStore – e blogueiras tem bombado tanto que surge uma atrás da outra. A mulherada adora: pode ter roupa de marca com um preço bem acessível, né? A próxima – e primeira de 2015- , com lançamento hoje, é da blogueira Lalá Rudge com sua coleção La Rouge Belle pela Riachuelo (que já contou com a fitness Gabi Pugliessi e a fashionista Camila Coutinho).

Com peças inspiradas no próprio closet da Lalá, a coleção vem, segundo a própria blogueira, com roupas que toda mulher deve ter. Ela também afirmou que tudo foi feito seguindo as suas orientações. As roupas retratam a mulher “que é sexy, contemporânea, gosta de estar sempre chique e de provocar, mas nunca está vulgar.”

Algumas peças e valores (fonte: Garotas Estúpidas)

Algumas peças e valores (fonte: Garotas Estúpidas)

A coleção vem com muita renda e couro. Na cartela de cores,  preto, branco e rosa e vamos combinar: dá pra variar e muito nos looks. Tudo foi supervisionado por ela, que passava quais eram as suas inspirações pras estilistas. Com um total de 43 itens, os valores variam entre R$ 49 e R$ 199. Achei preços bem acessíveis e que cabem no bolso, não é gente?

Agora é só correr pras lojas, sacar o cartão e sair desfilando em um look Lalá Rudge.

Confira o making of

“#2”: o segundo capítulo

 Para ler o capítulo número 1, clique aqui

Não sei como, mas eu consegui acordar na minha cama na manhã seguinte. Toda dolorida, talvez pelo sono agitado, mas acordei. Devia ser aquele anjinho que me protegia sempre, sabe? E acordei, “droga! Atrasada”. Pulei da cama, com o sonho da última noite martelando na minha mente. Tomei um banho rápido, engoli o café e sai apressada para o trabalho. Já no carro, selecionei as minhas músicas preferidas e no caminho para a redação, fui repensando a minha vida nestes últimos quinze anos.

Entrei no colégio que meu pai e meus tios haviam estudado e tinha muito orgulho por isso. Definitivamente foi uma das melhores coisas que me aconteceram: lá, pude conhecer as pessoas mais importantes da minha vida que eu conservo até hoje, como uma segunda família e me fez também passar os meus melhores anos.

Dei risada, sozinha, relembrando todos os momentos engraçados que passei por lá. Foram tantos choros, tantas risadas, tantas confidências. Depois disso veio a faculdade. Chopadas, trabalhos, outros amigos que irei levar pra vida toda também. E nesse ínterim veio ‘aquela noite’.

Sempre tive a pretensão de escrever e viver disso, só não sabia que minha carreira no jornalismo ia chegar até esse ponto em tão pouco tempo. Atualmente, eu sou a editora de cultura de umas das principais revistas femininas do país, a ‘La Belle’. Foi lá o meu primeiro e único estágio. Me identifiquei de primeira com o ambiente e desde então só fiz crescer na empresa. Nas horas vagas, seguia fazendo a segunda coisa que mais amava: montava a cavalo.

Não sei se inconscientemente era uma forma que eu achei de me deixar mais próxima do Caio. Já fazia um pouco mais de quatro anos que ele tinha ido embora. Desde aquela noite eu não contava o tempo. Não percebi que com as lembranças reavivadas, eu cheguei ao trabalho. Incrível que quando você se conecta ao passado, o tempo voa. Quando sentei na minha mesa, abri a minha caixa de entrada e havia a resposta do Fred, me confirmando na competição. Eu tentei ignorar a resposta dele durante toda a noite, mas foi em vão: na minha frente constava a confirmação da minha inscrição. Peguei meu celular da bolsa e disquei para o Fred, que atendeu ao segundo toque.

– Alô?

– É sério mesmo que a cidade é essa? – perguntei com falsa esperança.

-Claro que é, não te falei ontem e no e-mail que te mandei?

– É que sei lá, tive esperanças que a cidade houvesse mudado. Tudo bem, mais tarde a gente se fala. Tenho muito que fazer.

Obviamente, não consegui fazer mais nada. Essa competição me tirava dos nervos. Não a competição em si, mas a cidade em que ela iria ser realizada. Meu melhor amigo havia se formado no ano seguinte e seguido a mesma carreira que o Caio, mas eu o proibi de comentar qualquer coisa. Não fui eu que tinha ido embora? Então, que arcasse com as consequências. Nem sei se eles já tinham se visto depois disso. Provavelmente sim, pois eles tinham muitos amigos em comum. Com o meu pedido de não me contar nenhuma informação, ele não iria me contar nada agora. Imediatamente mandei um torpedo para o Léo contando as últimas notícias bombásticas. Ao fim do dia, chegando em casa, fui tentar me organizar para viajar dali a quinze dias. A semana prometia ser longa.

Sexta-feira à noite:

‘Tem certeza de que você quer fazer isso?’ A frase da mensagem de texto na qual o meu amigo Léo tinha me respondido estava me martelando a semana inteira. Respondi com um:

‘Eu preciso fazer isso. Espantar os meus fantasmas.’

A porta do táxi bateu atrás de mim, me fazendo voltar ao presente.

– Moça, suas malas! – gentilmente o motorista me ofereceu.

– Obrigada, respondi sem graça por estar distraída. Ele deve ter me achado uma tola, aposto.

Coloquei a bagagem no carrinho e fiz um sinal da cruz. Estava entrando no aeroporto.

Seja o que Deus quiser, ouvi meu coração dizer.

#TemQueLer: Entenda os homens.

Quarta feira é dia que eu escolhi pra ser o #TemQueLer aqui no Entre Nós, né? Nas últimas semanas eu tinha escolhido resenhas de livros, mas nessa semana eu vim com um blog que conheci essa semana, o “Entenda os Homens“. Acho que deu para perceber que eu gosto de crônicas, né? Tanto que volta e meia escrevo umas por aqui mesmo.

Se você souber lê-la, vai conseguir criar boas histórias. Não que ela precise de calma. Ela precisa de caos, eu sei. Muita calmaria vai faze-la adormecer de tédio. Seja seu caos, mas saiba respeitar os seus silêncios, também. Vai murmurar, vez em quando. Vai resmungar tantas vezes. Vai calar gargalhadas em risos miúdos, com beicinho tímido só pra não te premiar como a razão dos seus sorrisos

E sou daquelas que pra recomendar algo, tenho que gostar primeiro. Me encantar, suspirar por dias. Falar pra todas as amigas. Praticamente abrir o site e mandar um: leia. Foi assim com esse blog. Uma amiga comentou ou curtiu no facebook e apareceu no meu feed. Olhei bem rápido, achei o.k, mas não estava no clima. Uns dias depois, comentou (ou curtiu, sei lá) de novo e fui dar uma segunda chance. Pronto. Danou-se. Li, reli, indiquei para as amigas. Fiquei com o texto na mente por dias.. aff.. paixão mesmo!

Sem título

O autor é Frederico Elboni, mas segundo ele, pode chamar de Fred mesmo. Publicitário e paulista, foi roteirista do programa Amor e Sexo e hoje mora em Santa Catarina. Segundo ele, o blog que foi criado em 2011, é voltado para mulheres que querem mais. Garante também suspiros e sorrisos múltiplos.

Meu amor ainda tá muito no começo, li poucos textos deles ainda. Sabe aquele começo de namoro que você vai conhecendo a pessoa aos poucos? Então. Tá sendo assim meu relacionamento. Aliás, nosso. E posso parecer louca, mas de todos os textos que li, foram escritos por homens.


 

Quer saber mais sobre o blog?? Clica aqui:

http://www.entendaoshomens.com.br/

facebook insta ttyt

#TemQueLer: Casal Sem Vergonha

O #TemQueLer de hoje é sobre o Casal Sem Vergonha. Conheço o blog/site há uns dois anos e uma amiga querida que me indicou. Do tipo: ‘Leia, pois você vai a-m-a-r”. Confesso que já curti mais e já fui muito mais leitora assídua de lá, mas volta e meia eu tiro um tempinho e me perco nos bons textos.

O 'tal' Casal Sem vergonha:  Jaque e Eme.

O ‘tal’ Casal Sem vergonha: Jaque e Eme.

Criado em setembro de 2010, pelo casal o publicitário Eme Viegas, de 31 anos e pela tradutora Jaque Barbosa, de 25 anos. que perceberam que o tema sexo era tratado pela mídia de forma muito séria. Por isso, segundo eles, resolveram se “rebelar e falar sobre sexo e relacionamentos com papo reto, de cara limpa e sem vergonha, da forma que você falaria com seu melhor amigo ou amiga.”

Página do blog "Casal Sem Vergonha"

Página do blog “Casal Sem Vergonha”

O blog conta com cinco categorias: sexo, amor, atitude, listas (de longe, minha preferida!)  e lifestyle. Os textos são escritos tanto pelo casal quanto por colaboradores. Sabe o Daniel Bovolento, que  já falei aqui? Então, ele escreve para lá também. Vale muito a pena perder um tempinho pra ler os textos.

Espero que gostem da dica de hoje do #TemQueLer. E você, tem algum blog bem bacana pra indicar? Deixe aqui nos comentários!

 


 

Redes Sociais do blog:

http://twitter.com/@ksalsemvergonha

http://instagram.com/casalsemvergonha

https://www.facebook.com/casalsemvergonha

 

 

#TemQueLer: “Cheguei ao mundo”

Pela primeira vez, o #TemQueLer é de um assunto que não domino e que não leio sempre e espero que demore muuuuuito algum tempo para que eu me torne expert: gravidez e filhos. Mas como a minha fase é de amigas ficando grávidas- tendo bebês, a dica de hoje vai especialmente para elas!

O blog foi criado há um pouco mais de um ano pela atriz Fernanda Rodrigues, mãe da fofa Luisa e mais duas amigas, Isabel e Júlia que são apaixonadas pelo mundo dos bebês.

Sem título

Os post são dedicados para as mães; falam de gravidez, alimentação, chá de bebê, amamentação, entrevistas especiais, dicas de decoração, de festas, bolo de aniversário.. ou seja, tudo do universo mãe e bebê.

Para quem é novo no assunto, super indico o “Cheguei ao Mundo”, vale super a pena. Eu, por enquanto, só indico mesmo!

 

E você, tem algum site ou blog legal e acha que todo mundo #TemQueLer? Deixa aqui nos comentários!


 

Informações: