[Top 6]: Estreias de 2017

foilme

Todo começo de ano é assim: a expectativa de novas estreias consomem os amantes da sétima arte. Para quem gosta, é um prato cheio. E em 2017 não poderia ser diferente. Alguns filmes – dos mais diferentes gêneros – são bem aguardados, como é o caso do “A Bela e a Fera”, adaptação do desenho da Disney. Trouxe os seis mais esperados por mim nesse post. Vamos conferir quais são?

A Bela e a Fera

Sou fã das histórias de princesa da Disney. E, acredito, que a da Bela seja uma das minhas favoritas da vida. Bom, a história é conhecida . Um senhor acaba sendo feito de prisioneiro de uma criatura pra lá de esquisita. A sua filha, Bela, resolve ficar no lugar dele e é mantida de refém pela Fera, que foi enfeitiçado anos atrás. Final mais clichê impossível, não é? Destaque para Emma Watson, a nossa eterna Hermione. Já o papel da Fera fica a cargo do ator britânico Dan Stevens.

Antes que eu vá

Mais um filme vindo de adaptação de livro e que leva o mesmo nome.  Samantha é uma menina que tem tudo o que quer: namorado maravilhoso e amigas fiéis. E, aparentemente não dá muito valor pra isso. Porém, por conta de um acidente de carro, ela começa a viver o mesmo dia  – 12 de fevereiro – várias vezes. Até perceber o quanto a sua vida é boa demais. A protagonista vai ser vivida por Zoey Dutch.

Cinquenta Tons Mais Escuros

Esse é o segundo filme da trilogia do Cinquenta Tons de Cinza, que estreou ano retrasado. Particularmente eu tenho uma preguiça  imensa dessa narrativa. Dessa vez, Anastacia resolve seguir com a sua vida sem o namorado Grey. Só que é claro ela acaba voltando pro empresário. No meio várias confusões acontecem. Estreia mês que vem.

Power Rangers

Dez a cada dez crianças e pré-adolescentes que viveram nos anos 90 tinham o seu Ranger – cada um de uma cor, ok – favorito, sim! E na roda de amigos, sempre queria ser ele. Além do mais, sonhava em saber lutar quanto eles. Nostalgias a parte, o certo é que um novo grupo de adolescentes diferentes entre si e até então comuns e que foram escolhidos por Zordan – para salvar a Terra de ataques alienígenas.

Meu Malvado Favorito

Preciso falar que esse é um dos meus desenhos favoritos por motivos de: Minions. Isso sem falar das meninas mais fofas e do atrapalhado Gru. Dessa vez, o pai de Margo, Edith e Agnes tem o posto de supervilão ameaçado por Balthazar Bratt, um ex-ator mirim. Só pelo trailler, deu pra perceber que as risadas são pra lá de garantidas. A previsão de estréia é de junho.

Liga da Justiça

Os super-heróis – Batman, Superman, Mulher Maravilha, Aquaman, Flash e Ciborgue – decidem unir as suas forças para conseguirem lutar com uma ameaça. Com estreia prevista pro final de 2017, o longa conta com boatos de ter uma continuação.

Anúncios

O dia em que eu conheci o Bovo.

Quem já é velho conhecido por aqui , sabe o quanto eu sou fã do Daniel Bovolento – lembra que quando o blog comemorou um ano eu bem bati um papo com ele e trouxe pra cá? Ele também foi figurinha fácil lá no comecinho da nossa história, um dos primeiros #TemQueLer.

Pra quem não sabe, o Dani tá lançando o seu segundo livro, intitulado “Depois do Fim”, em que reúne 50 crônicas sobre o fim dos relacionamentos.


img-20161006-wa0113
Foi então que há duas semanas, eu vi que ele iria fazer uma noite de autógrafos aqui no Rio! Vi ai a oportunidade perfeita para finalmente poder ficar cara a cara com ele. Recrutei amigas, comprei o livro e fui pra fila.

Comecei lembrando – ou tentando lembrar – que eu tinha esse espaço aqui e que ele me deu ‘entrevista’. Ele disse que lembra, mas duvido muito. Mas perdoei por esse esquecimento.

O que dizer do Dani? Que pessoa atenciosa! A cada pessoa que chegava, ele fazia questão de ou levantar antes ou no fim e dar um abraço. Explicava sobre a sinopse do seu livro, perguntava se tava rolando o “fim pra você” e emendava em um papo bem gostoso e divertido. Sim, eu poderia ficar horas e horas conversando com ele.

img-20161006-wa0134

Sabe aquela pessoa que você podia passar horas conversando e rindo abertamente? Foi exatamente assim que me senti, como se ele fosse um amigo meu de anos que soubesse a minha vida toda – e de fato sabe, tamanha exatidão e conhecimento quando me identifico a cada texto.

Fui dedurada por uma das amigas e precisei confessar que não saberia se tinha maturidade emocional pra ler ‘Depois do Fim’ sem uma panela de brigadeiro do lado. Dani falou que era assim mesmo, que os primeiros sete ou oito textos são os mais tensos. Mas que depois melhora, ele promete.

img-20161006-wa0130

Conversamos ainda sobre frio, Buenos Aires, livros de amor e a promessa que a cada texto eu iria mandar uma mensagem pra ele. Me despedi com um novo abraço e a certeza que sai de lá muito mais fã do que entrei, com um bando de foto e o livro autografado por ele.

img-20161006-wa0114

Ah, e um agradecimento especial pras meninas que me acompanharam nessa jornada. Girls, i love u.

Campo Grande, o filme

foilme

Vocês lembram que contei em um outro post que eu passei uns dias em Tiradentes, não é? O que não falei é que na época estava rolando um festival de cinema brasileiro na cidade e aproveitei para conhecer alguns filmes que estavam passando. Um deles foi o longa “Campo Grande“, que entrou em circuito nacional recentemente, dirigido pela Sandra Kogut.

Cartaz do filme

A história, densa que só, começa contando sobre Rayane (Rayane do Amaral) que aparece na porta de uma moradora da Zona Sul do Rio de Janeiro, a Regina (Carla Ribas). A menina, de uns cinco anos, aparece depois com seu irmão mais velho Ygor (Ygor Manoel). Assustados, os dois tentam a todo custo voltar para a casa da avó, no bairro carioca Campo Grande – dai o nome do filme – só que eles não sabem chegar.

Regina, que anda em crise financeira e pessoal desde que se separou do marido, fica confusa quanto a origem das crianças, já que a menina afirma que foi a mãe que deixou ela ali na promessa de voltar para buscar. Começa então um embate sobre o que fazer com Ygor e Rayane.

Os protagonistas infantis, Ygor e Rayane, que você tem vontade de levar para casa!

Contra a opinião da sua filha adolescente, a mulher decide leva-los deixa-los em um orfanato, onde o menino logo foge e volta para a casa dela. Em meio a tantos problemas, Regina então começa a se afeiçoar a ele e esquece por ora os seus problemas – separada, o marido decide vender o apartamento deles e ela está de mudança para um novo lugar – e tenta ajudar o garoto a encontrar a avó.

Chegando lá, em um pergunta daqui e ali, descobrimos que o lugar que ela morava foi vendido para uma construtora e avó faleceu. Nesse meio tempo, podemos ver a desigualdade entre os dois bairros: Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro e onde a Regina reside e Campo Grande, zona oeste carioca.

A todo momento, eu ficava me perguntando o que teria acontecido com a mãe das crianças e nas quase duas horas inventei várias teorias a cada cena que passava. Além disso, como carioca – e minoria ali, já que estava assistindo o filme em outro estado – conseguia entender as diferenças gritantes entre dois bairros de uma mesma cidade.

Quem curte um bom drama, sem pecar pelos excessos, realidade da vida, pode procurar o cinema mais próximo, pegar a pipoca e mandar ver que o filme é bom e o final tão surpreendente quanto. Ficou interessado? Confere o trailer aqui:

Aperta o Play: trilha do meu livro!

Não é surpresa para quem acompanha o blog há um tempinho que eu estou escrevendo um livro, não é? Já coloquei inclusive o primeiro e o segundo capítulo aqui. E, como eu sou apaixonada por música, o Aperta o Play de hoje tá mais que especial: ele traz a playlist do livro – ainda sem nome definido, ok? – com as seis músicas que mais me inspiraram – ou me remetem aos momentos – de algumas partes do livro.

Costumo dizer que a minha história é puramente ficcional. Ou não. Costumo que todos os personagens existem e que pode ser o meu amigo, vizinho ou colega de trabalho.

Here Without You – 3 Doors Down

Saca aquela música do casal de protagonistas e que toca tanto na novela – e nos rádios também – que gente ama enjoar? É essa, do 3 Doors Down. Tanto que ela foi citada em dois momentos cruciais da história e é de longe uma das minhas canções favoritas da vida.

Not a Bad Thing – Justin Timberlake

Minha queridinha do momento, a canção do príncipe do pop Justin Timberlake, é uma verdadeira declaração de amor, gente! E isso se aplica aos nossos protagonistas da vez, pessoal. Eu não posso contar muita coisa – ou iria estragar a surpresa, né? – e quando vocês lerem vão entender o que estou falando.

Ruas de Outono – Ana Carolina

Admito: os nomes dos personagens principais foram inspirados em um livro que eu já li tranquilamente umas três vezes. A história em questão é “Um coração em guerra”, da Li Mendi que já apareceu aqui no #TemQueLer. No e-book, a Li citava uma música a cada capítulo e uma delas era Ruas de Outono, que acabei conhecendo por lá e trazendo pro meu universo também.
Take a Bow – Lea Michelle

Eu podia dizer que essa apesar de não ser a música principal, foi a trilha de uma viagem que fiz ao interior do Rio de Janeiro em maio de 2009 e que acredito que desencandeou o começo da história. Algo como o star do processo. Mesmo a canção original ser da Rihanna, foi na voz da Lea Michelle, em um episódio da primeira temporada de Glee, que eu me apaixonei por ela e precisei colocar ela aqui.

Zen – Anitta

O processo de escrever esse livro tem umas duas partes. A primeira, lá em 2009/2010, o começo de tudo – eu coloquei ele em um blog, já extinto – e a segunda depois de um longo período em 2013. Quando essa música fazia todo o sentido pra mim e pra história e pras inspirações.

Segredo- Sandy

O começo da história é simples: há um desencontro entre Isabella e Caio de pelo menos uns cinco anos. Ela muda, ele também. E é isso que a música da Sandy confessa: “Me assusta não saber nada de você. E não ter com quem falar de mim” e por ai vai.


Se você quiser ouvir o resto da playlist – ela tá no Spotify com 34 músicas – é só clicar nesse link aqui. E o livro, prometo, chega em breve.

Resenha: Fuller House

Vai, confessa. Se você tem no máximo trinta anos ficou em polvorosa quando soube que a Netflix iria produzir o spinoff da série Full House, sucesso nos anos 90 e durou oito anos. A série, que alavancou a carreira das gêmeas Olsen, contou sobre a vida de Danny Tanner, viúvo e pai de três filhas pequenas. Para poder dar conta de tudo, ele conta com a ajuda do seu cunhado Tio Jesse e do seu melhor amigo, Joey.  As filhas são DJ, Sthephanie e Michelle que tem dez, cinco e nove meses. Imagina a confusão, não é?

Pula pro ano de 2016 e agora as situações se inverteram. DJ, a irmã mais velha é agora veterinária e como o pai, viúva. E, como não poderia deixar de ser, ela tem três filhos em idades – e personalidades – bem parecidas com ela e suas irmãs.

Danny e Becky, a mulher do tio Jesse foram convidados para apresentar um programa nacional e vão morar em outro estado. Joey é um famoso comediante e os gêmeos estão na faculdade. Com isso, a história se repete. Só que dessa vez, as companhias da mais velha são sua irmã Stheph e a melhor amiga Kimmy e sua filha pré adolescente Ramona. Os filhos agora são Jackson, Max e Tommy.

Entrego agora que não vi todas as temporadas do original (que aqui no Brasil ficou conhecido como ‘Três é demais e passava no SBT), mas esses trezes episódios do spin off me trouxeram um sabor e cheiro de infância, sabe? As referências das meninas aos anos 90 (cantando Spice Girls!) é apenas muito maravilhoso! Eu amei reviver tudo com elas.

Pra mim, o melhor da série são as tiradas da Stheph que me fez lembrar o porque ela sempre foi a minha favorita. Nenhuma das gêmeas aceitaram aparecer no projeto (alegaram quererem férias das telinhas!) e a personagem é citada como uma estilista de sucesso e alfinetadas são dadas em uns dois momentos. Aproveita que o findi ta chegando e corre pra fazer maratona e a nova versão da música de abertura ficou por conta da Carly Rae Japsen! Ah, boa notícia: a segunda temporada ta garantida!

Na telona em 2016

foilme

Alguém concorda que 2016 tá logo ali? Só piscar que o novo ano tá batendo na nossa porta. E, com isso, começamos a ver o que vem por ai. Nesse post, trouxe cinco filmes – todos sequências – que tem tudo pra bombar nos cinemas ano que vem. 

Vai que dá Certo 2

 

No primeiro filme eles tentaram ficar ricos e fracassaram. Agora, o grupo de amigos formado Rodrigo (Danton Mello), Amaral (Fábio Porchat) e Tonico (Felipe Abib) decidem chantagear Elói (Vladimir Britcha), já que ainda precisam da grana. O que eles não esperavam é que não são só eles a entrarem nessa jogada. A estreia tá prevista para 7 de janeiro. Boa pedida para uma tarde de cinema com os amigos.

Capitão América: Guerra Civil

Terceiro filme da saga e com estreia prevista para abril do ano que vem, o longa vem falando da disputa de Steve Rogers, vulgo Capitão América com Tony Stark, o Homem de Ferro.

Batman vs Superman – A origem da justiça

8589130557081-batman-vs-superman-wallpaper-hd-cinemundo-2

O ano vai ser especial para os amantes de histórias de super heróis. Dessa vez, a luta é entre os mais famosos: Batman – interpretado pelo meu muso mor, Ben Affleck –  e Superman (Henry Cavill). Eu, que não sou fã do gênero, devo ver só por causa do Bruce Wayne

X-men: Apocalypse

Nesse que promete ser o último da saga X-Men, conta sobre a volta do ancestral dos mutantes, En Sabah Nur, e pretende colocar o mundo em apocalipse para conseguir dominar. Chega nas telonas em maio de 2016.

Procurando Dory

“Oi, eu sou a Dory”. Treze anos depois – SIIIM!!! –  de “Procurando Nemo”, o trio – Marlin, Nemo e Dory – voltam pra alegrar nossas vidas. A dona do bordão “Continue a nadar, continue a nadar”, é a perdida da vez. A história se passa um ano depois do resgate do peixe palhaço Nemo. Vai pros cinemas nas férias da garotada, no fim de junho.

Mixed para C&A

moda

Vamos combinar? Esse ano a rede de lojas C&A se superou no quesito parceria com algumas das maiores marcas de roupas. Já rolou com a Isabela Capeto, com a Lollita, NkStore e até com a modelo Kim Kardashian. A queridinha da vez, é a marca Mixed, que chega nas lojas hoje, 17 de novembro.

Não é a primeira vez que rola uma interação entre as duas. Em 2012, uma edição da marca já ornou nas araras da C&A. Agora, a special collection, vem recheada de peças básicas e uma estampa de borboletas criada exclusivamente para  essa coleção.

resize_cea_mixed_04_09_2015_217936

A inspiração ficou por conta de um jardim, com peças leves. Os tecidos usados foram o crepe e o tweed. Além disso, a coleção vem recheada em calças flares e peças em jeans, que parece que voltou com tudo.  Tem poá e listras também!

Com 60 peças no total, a coleção tem preços entre 69,90 e  290 reais – sim, o valor tá bem salgado.

mixed8

Pra pedir de Natal: Novo livro da Marian Keyes

Nada me dá mais alegria do que ver que um novo livro na área. E, se por um acaso, esse livro for de uma das minhas autoras preferidas, a felicidade é dupla. Foi assim que me senti ao saber que ela, Marian Keyes, em breve lança mais uma publicação, no fim de novembro, ainda sem data certa.

Depois de nos presentear com vários livros pra lá de engraçados e um tanto quanto profundos, a irlandesa, autora de sucessos como “Casório” (de longe, meu preferido!) e “Melancia”, conta dessa vez sobre a Stella Sweeney, em “A mulher que roubou a minha vida”.

Stella é uma escritora de livros de auto ajuda que viveu o último ano em turnê, na cidade de Nova Iorque. Agora ela está de volta a Dublin. O que levou a prestigiada autora a largar sua duplex de 10 quartos no bairro do Upper West Side, entrevistas e aparições  em talk shows?

O que ninguém sabe é que ela quer voltar a ser a mulher que costumava ser. Mas quem seria essa pessoa? Nesse meio tempo, Stella começa a receber telefonemas misteriosos.

Bom, não sei vocês, mas eu estou louca para comprar mais esse livro da Marian. E ai, conhece o trabalho da autora? Comente aqui!

Isabela Capeto e C&A

moda

Vamos combinar? Ninguém sabe fazer parceria como a rede de lojas C&A. A mais nova parceria – a quarta só esse ano – é com a marca Isabela Capeto e dessa vez a novidade fica por conta das roupas que serve tanto para nós, adultas quanto para a criançada!

Essa é a terceira edição da estilista carioca para a fast fashion (já rolou parceria das duas em 2009 e 2010!) e ela traz pras araras, peças inspiradas em jardins lúdicos e muita estampa de flor. Com cores que vão do coral ao branco e muito jeans, a collection vem com regatas, jardineiras (must have do último verão!), bermudas e regatas, no maior estilo carioca de se vestir.

Ao total, a coleção que chegou nas lojas no último dia 22 de setembro, conta com 12 peças e os preços são a partir de R$ 60. Vale lembrar que já rolou só esse ano parceria com a NKStore, com a Lollita e com a celeb internacional Kim Kardashian.

Becky Bloom está de volta!

livro

Quem é fã da Becky Bloom, pode comemorar. Chegou às lojas o sétimo livro da saga escrita pela querida Sophie Kinsella (uma das minhas autoras favoritas. Amo! <3). “Becky Bloom em Hollywood”. Atenção, o resto do post contem spoiller!

Quem leu o último livro (Mini Becky Bloom: Tal Mãe, Tal filha), lembra que Luke Brandon, marido da Becky, tinha sido chamado para trabalhar com a estrela de cinema Sage Seymour, certo? E quer coisa melhor do que morar na cidade das celebs? Claro que Becky pira.. ela já se imagina melhor amiga das atrizes e desfilando no tapete vermelho!

Isso sem falar nas milhares de compras que L.A tem a oferecer, claro. Afinal, estamos falando da nossa shopaholic mais louca do mundo dos livros! O lance é que nem tudo é conto de fadas, luxo e puro glamour e assim que eles chegam à cidade, confusões acontecem. Quais? Bom, pra começar, uma antiga rival – Alicia – volta. E, para completar, Becky tem a chance de se tornar a stylist da maior concorrente da cliente do marido.

Já previu as mais diversas loucuras? Pois é, eu também. Para mim, a escrita da Kinsella é tão leve, simples e natural e as trapalhadas da Becky tão insanas que você fica com pena dela que estou ansiosa para começar a ler. Estava com saudades, Becky! Ah! Notícia boa para os moradores da cidade maravilhosa e da capital paulistana: Sophie estará autografando os livros na Bienal (RJ) e em uma livraria (SP). Não vi notícias de passagem da autora em outras cidades/capitais

Colorama, Giovanna e a nova coleção

bele

Quem acompanha o mundo fashion, com certeza ficou de surpresa com a novidade que a Colorama anunciou na última segunda, 27 de julho. Para a sua nova coleção de esmaltes, eles fizeram uma parceria com a atriz Giovanna Antonelli, chamada de #EuColorAmo.

Com onze novas cores, traz na sua coleção cores vivas e puras e segundo a marca, refletem muito na personalidade da Gio. Além disso, eles afirmam que o esmalte traz para as nossas unhas um acabamento matte imediato.

Quem conhece um pouco a atriz, seja na vida pessoal ou na profissional, vai conseguir entender os motivos que levaram aos nomes que deram a cada cor: Postando, Tagarelando, Arrasando, Sensualizando, Eletrizando, Estilizando, Mimando, Preguiçando, Modernizando, Purpurinando e Cobertura Fosca.

Todos eles contam com a tecnologia 5free, ou seja, livre de cinco produtos que causam alergia e já são dermatologicamente testados. A Colorama sempre inova quando o assunto são as suas coleções de esmaltes. Ano passado, eles lançaram uma cujo os nomes eram inspirados em algumas vilãs das novelas.

Para quem não lembra, essa não é a primeira vez que a atriz se envolve com assuntos relacionados ao mundo da beleza, mas precisamente dos esmaltes. Em 2014, enquanto fazia a personagem Clara, da novela das nove “Em Família”, Giovanna fez sucesso ao aparecer com o famoso esmalte azul “Frio na Barriga” e que fazia parte da sua coleção com a Hits Speciallità.

Nova coleção da C&A: Lolitta

moda

Uma coisa não se pode negar: a C&A é campeã quando o assunto é juntar o seu nome com marca/estilistas/gente famosa. De NkStore à Kim Kardashian, a fast fashion resolveu firmar parceria com a Lolitta, da estilista Lolita Hannud.

O esquema da vez é o seguinte: a coleção vem trazendo releituras da marca, em um total de – OMG – quarenta peças e que vão desde vestidos de shape mais estruturado até os vazados. Ela  afirmou também que a modelagem não mudou, é tudo no mesmo jeito como se fosse pra Lolitta. Vamos encontrar também nas araras da C&A calças misturando bandage e couro, calças flares e peças de alfaiataria.

Sem título-1ll

Além disso, a coleção capsula traz para as Becky Bloom de plantão, dois modelos de sapatos e um de bolso. O jeito é preparar o cartão, ladies. As peças vêm com o preço um tanto quanto salgado, estão entre 80 e 350 reais.

Ah, atenção: apesar de ainda não ter uma data, vai rolar pré-venda SIM no e-commerce da C&A. Nas lojas físicas, elas chegam em apenas 43 unidades, no dia 11 de agosto.

“Além do tempo”, a nova das seis.

Na próxima segunda feira começa a nova novela das seis da Globo, “Além do tempo”. O enredo – começa no século 18 – é escrito por Elizabeth Jhin, conta a história de amor do Conde Felipe (Rafael Cardoso) e a noviça Lívia (Alinne Moraes) que se apaixonam a primeira vista. O rapaz é sobrinho da poderosa Vitória, papel da Irene Ravache e é noivo da vilã Melissa (Paola Oliveira).

Por causa de vários empecilhos, os protagonistas não conseguem ficar juntos, vindo a se encontrar nos dias atuais, trazendo a temática espirita para a história. Mas essa não é a primeira vez que uma novela retratou sobre esse universo. Separei cinco pra te contar.

“A viagem” – 1994

De longe, a minha novela favorita da vida. Sério. Uhum. Daquelas que vejo to-das as vezes que ela passa na televisão, sabe? Alexandre (Guilherme Fontes) comete um assassinato e é condenado e se suicida na prisão. O rapaz então vai pro Vale dos Suicidas e volta pra se vingar daqueles que acha que foram os culpados pela sua prisão: o advogado Otávio Jordão (Antônio Fagundes), o irmão Raul (Miguel Falabella) e o cunhado Théo (Maurício Mattar). O que ele não conta é que sua irmã Dinah (Christiane Torlonni) descobre em Otávio o verdadeiro amor da sua vida. Destaque pras cenas das reuniões espíritas. do Dr. Alberto (Cláudio Cavalcanti) como forma de ajudar Alexandre. Nunca viu? Por favor, assista. Você vai amar. A novela é um remake de uma versão de 1975 e foi escrito pela Ivani Ribeiro.

Escrito nas Estrelas – 2010

O jovem Daniel (Jayme Matarazzo) conhece e se apaixona por Viviane (Nathália Dill), uma moça simples e que tá fugindo da polícia por conta de uma engano causado do seu pai. Eles acabam sofrendo um acidente de carro e Daniel acaba falecendo, deixando o seu pai, o médico Ricardo (Humberto Martins) transtornado pela perda do único filho. Um mês depois ele descobre que o rapaz congelou seu sêmen. Ele decide encontrar então uma mãe para seu neto para suprir a ausência de Daniel, que no plano astral, continua apaixonado pela Viviane. O caminho do médico e da moça se encontram e eles acabam se apaixonando. Foi escrita pela Elizabeth Jhin.

Alma gêmea – 2006

Rafael (Du Moscovis) e Luna (Liliana Castro) são um jovem casal apaixonado que vivem no começo dos anos 20 na novela escrita por Walcyr Carrasco. Ao saírem do teatro, vítima da inveja de sua prima Cristina (Flávia Alessandra), Luna é assassinada. Nesse mesmo tempo, seu espirito reencarna no corpo da índia Serena (Priscila Fantin) que depois de 20 anos vai ao reencontro do seu amado Rafael, que após a perda da esposa se torna um cara solitário e triste.

Amor eterno amor – 2012

De todas, foi a única que não acompanhei. Também escrita pela Elizabeth (deu pra ver que ela curte o assunto, né?) conta a história de Carlos, papel de Gabriel Braga Nunes, que quando criança foi sequestrado por seus tios, o que levou a longa depressão da sua mãe Verbena (Ana Lúcia Torres) que o procura por mais de 20 anos. Na infância, Carlos conhece uma menina, sua vizinha Elisa e nunca mais a esqueceu. Na fase adulta, se apaixona por Melissa (Letícia Persiles), que mal sabe ele que é a sua vizinha e que ela na verdade era um espírito, seu amor de outras vidas.

Alto Astral, 2014

A trama que terminou recentemente – e eu falei dela aqui, lembra?- era sobre um jovem médico Caíque, interpretado por Sérgio Guizé, que mesmo com medo de sangue conseguia operar graças a ajuda do seu mentor espiritual, Castilho (Marcelo Médici). Além disso, ele consegue ver outros espíritos e desde criança desenha o rosto de uma mulher, que depois quando a reencontra, se descobre apaixonado por ela, a Laura (Nathália Dill).

Kim Kardashian e C&A.

Nessa última semana, a famosa e comentada Kim Kardashian desembarcou aqui no Brasil para lançar a mais recente parceria da rede de fast fashion C&A. Apesar de não gostar muito dela (confesso que não entendi ainda como ela ficou ‘famosa’!), não podemos negar: Ela é marketing puro!

Foi pensando nisso – eu acho – que a C&A resolveu investir em uma mini coleção para a sua rede. E não é a primeira vez que eles fazem esse tipo de parceria, seja com famosas ou com outras marcas. Já rolou com a PatBo e com a NkStore, por exemplo.

Kim na coletiva de imprensa

Os cerca de vinte itens da coleção custam entre R$ 25,90 e R$189 e, na minha singela opinião tem muito a cara da senhora West. “São simples e sexy e representam bem quem eu sou”, disse a modelo à revista Vogue. Quando se trata de guarda roupa, ela gosta e muito de ousar!

E nas araras da C&A, o que vamos encontrar? Peças com comprimento midi, claro, como as saia-lápis (aquele modelo que afunila desde o quadril e as coxas e não dão volume), top cropped, blusa com gola alta e vestidos colados, além de dois modelos de sapatos: um escarpim e uma sandália. Bem o tipo de peça que vemos a modelo usar por ai, né?

Já deu pra perceber que as modelagens foram feitas para valorizar o corpo não é? Tudo básico, mas muito sensual, sem ser vulgar. Ou seja, a cara da Kim! Então, amiga, use do seu adorado bom senso ao pensar em comprar algum item da coleção. Ah, e uma péssima notícia: as suas peças não tem quase nenhuma variação de cor, é basicamente preto, branco e cinza. No máximo um vestido vermelho e uma blusa rosa de gola alta – a única que talvez iria pro meu guarda roupa. E só.

As roupas já estão disponíveis no e-commerce e nas lojas físicas a partir do dia 21 de maio.

Pra grudar na telinha com a nova das sete!

Parece que foi ontem, mas já tem uns bons meses que falei aqui da estreia de Alto Astral. Bom, a novela acabou na última sexta-feira e hoje começa uma nova, a “I love Paraisópolis”, do autor Alcides Nogueira. E se tem uma coisa que eu curto de montão, é uma estreia de novela. Quer saber os motivos que vão te levar a ficar vidrado no novo folhetim? Continue lendo!

 O enredo é simples e leve.

Com uma pegada mais jovem, a história conta sobre duas irmãs (Bruna Marquezine e Tatá Werneck), moradoras da comunidade de Paraisópolis, vizinha do imponente e rico bairro Morumbi, na cidade de São Paulo e que desejam uma vida melhor e vão em busca do seu objetivo.

Tem história de amor, sim senhor!

Quem não curte um romance água com açúcar?

E é daquelas bem clichê: Marizete, papel da Bru, moça de classe média baixa se apaixona pelo rico Benjamim, feito pelo Maurício Destri. No meio disso tudo tem a mãe perua que vai separar o filho da amada e a ex-namorada perseguidora. Mais “história de novela”, impossível!

Tá recheada de guapos!

Sem título

Caio Castro, como bad boy, Henri Castelli como vilão, Maurício Destri como o mocinho protagonista e Alexandre Borges como o pai de família. Percebeu a listinha nada básica de boys magyas? Tem pra todos os gostos e idades.. o que vai ter de gente dando desculpa para não sair mais as sete…

A trilha sonora é de suspirar.

Eu nunca contei, mas eu sou apaixonada pelo Ed Sherran. E, para minha alegria, a melhor música dele, “Thinking out Loud” – na minha opinião, claro – é a canção que vai embalar o romance do casal protagonista. Isso sem falar da Meghan Trainor, Ana Carolina e da banda Janz (que participou da primeira temporada do SuperStar)

Vamos pirar na Letícia Spiller: incrível e vilã!

Confesso que uma inveja beeem grande rolou quando vi o shape + hair + pele da eterna Babalu. Aos 41 anos (SIIIIIIIIIIIIIM!!), a atriz vai dar a vida a vilã Soraya, uma perua mãe do mocinho e que vai fazer de tudo pra separar o casal protagonista. Além do corpo e cabelo e pele de fazer pirar qualquer mulher, a Letícia ainda vai fazer par com o Henri Castelli. Que chato, não?