Ô abre alas – Carnaval parte 3

Foliões! Tá chegando a hora! Falta apenas uma semana pro Carnaval. E se antes eu falei de Salvador e de Recife/Olinda, o terceiro post especial é da festa na Cidade Maravilhosa. E hoje quem fala sou eu mesma! Preparados? Assim como na Bahia e em Pernambuco, Carnaval aqui no Rio de Janeiro é bem democrático. Por ser uma cidade grande, existem opções pra todos os gêneros.

Vamos começar pelos blocos. Gratuitos, você encontra de todos os estilos musicais. Tem pro fã de sertanejo, de pagode, de axé, de marchinha, de funk e de música pop. Tem até aquele que toca de tudo um pouco! Dica: fuja dos tradicionais (Bola Preta, Banda de Ipanema e de cantoras famosas como Anitta e Preta Gil), que lotam e você não acaba curtindo tanto. Detalhe: você escolhe se prefere ir de dia ou de noite.

Um outro conselho é: escolha blocos que saem perto de praia. Explico: como o carnaval rola em fevereiro e ainda é verão, os dias são bem quentes. Além de ser mais frescos, se você cansar de pular, a ideia é partir pra pegar um bronze na areia e se refrescar no mar.

Se você é fã de uma boa escola de samba, o ideal é já curtir algum ensaio de quadra que começam em outubro, com a escolha do samba enredo. E de dezembro até o último findi antes do carnaval começar, lá na Sapucaí, rola os ensaios técnicos, de graça. A cada final de semana, escolas da série A e de Acesso, usam o espaço pra saber como fica na Avenida.

E de sexta até segunda, rolam os desfiles propriamente dito. E eles são pagos e o valor depende do setor. Eu nunca fui, só consigo acompanhar pela televisão mesmo.

Mas se você tá fugindo de tumulto, a dica é dar uma de turista e aproveitar a praia e cachoeiras que a cidade oferece e que em dias normais. A minha sugestão é ir pra Zona Oeste – Recreio e Guaratiba – que são mais sossegadas.

De resto, é só tomar alguns cuidados durante esses cinco dias, escolher uma fantasia bacana, se jogar no brilho. E ai, decidiu qual o seu destino na próxima semana?

Anúncios

O dia em que eu conheci o Bovo.

Quem já é velho conhecido por aqui , sabe o quanto eu sou fã do Daniel Bovolento – lembra que quando o blog comemorou um ano eu bem bati um papo com ele e trouxe pra cá? Ele também foi figurinha fácil lá no comecinho da nossa história, um dos primeiros #TemQueLer.

Pra quem não sabe, o Dani tá lançando o seu segundo livro, intitulado “Depois do Fim”, em que reúne 50 crônicas sobre o fim dos relacionamentos.


img-20161006-wa0113
Foi então que há duas semanas, eu vi que ele iria fazer uma noite de autógrafos aqui no Rio! Vi ai a oportunidade perfeita para finalmente poder ficar cara a cara com ele. Recrutei amigas, comprei o livro e fui pra fila.

Comecei lembrando – ou tentando lembrar – que eu tinha esse espaço aqui e que ele me deu ‘entrevista’. Ele disse que lembra, mas duvido muito. Mas perdoei por esse esquecimento.

O que dizer do Dani? Que pessoa atenciosa! A cada pessoa que chegava, ele fazia questão de ou levantar antes ou no fim e dar um abraço. Explicava sobre a sinopse do seu livro, perguntava se tava rolando o “fim pra você” e emendava em um papo bem gostoso e divertido. Sim, eu poderia ficar horas e horas conversando com ele.

img-20161006-wa0134

Sabe aquela pessoa que você podia passar horas conversando e rindo abertamente? Foi exatamente assim que me senti, como se ele fosse um amigo meu de anos que soubesse a minha vida toda – e de fato sabe, tamanha exatidão e conhecimento quando me identifico a cada texto.

Fui dedurada por uma das amigas e precisei confessar que não saberia se tinha maturidade emocional pra ler ‘Depois do Fim’ sem uma panela de brigadeiro do lado. Dani falou que era assim mesmo, que os primeiros sete ou oito textos são os mais tensos. Mas que depois melhora, ele promete.

img-20161006-wa0130

Conversamos ainda sobre frio, Buenos Aires, livros de amor e a promessa que a cada texto eu iria mandar uma mensagem pra ele. Me despedi com um novo abraço e a certeza que sai de lá muito mais fã do que entrei, com um bando de foto e o livro autografado por ele.

img-20161006-wa0114

Ah, e um agradecimento especial pras meninas que me acompanharam nessa jornada. Girls, i love u.

Olimpíadas 2016, eu fui!

Ano passado, quando saiu o calendário das competições das Olimpíadas, eu não pensei duas vezes: preciso ver o Hipismo. Mesmo sendo fã das outras modalidades, era lá, com os cavalos que eu queria estar. Corri pra me inscrever pra primeira fase – que foi de sorteio – e nem acreditei quando recebi o email me avisando que eu havia sido sorteada. Era abril de 2015.

Mais de um ano depois, finalmente o grande dia chegou. Seis de agosto de 2016. Eu havia escolhido assistir o CCE, que é o Curso Completo de Equitação e é dividido em três dias de provas: Adestramento, Country e Salto. A nossa equipe é composta pelos cavalheiros: Márcio Appel, Carlos Parro, Ruy Fonseca e Márcio Jorge.IMG_20160806_121450_203

Os dois primeiros dias são dedicados ao Adestramento que é a etapa em que o conjunto – cavalo e cavalheiro – precisa comandar o animal em certos movimentos: trotes, passos e galopes. E, nisso, eles são julgados por três juízes que vão descontando pontos a cada erro. No primeiro dia, foram um total de trinta e três apresentações.

Como a prova envolve animais, o silêncio por parte dos espectadores é algo indispensável, pois atrapalha o desenvolvimento da demonstração do conjunto. E, como eu sou apaixonada pelo universo, ficava maravilhada a cada entrada.

Snapchat-1264466141630835635

A competição começou às dez horas da manhã em ponto e eu cheguei com uns trinta minutos de antecedência. Escolhi meu lugar bem de frente a pista em que os movimentos iriam ser executados. Porém, por causa do calor nível Senegal, precisei me ausentar algumas vezes pra lavar o rosto e encher a minha garrafa de água, já que os preços por lá são bem absurdos.

Ao total foram quatro blocos de oito apresentações, com intervalos de trinta minutos em média (apenas um foi de um pouco mais de uma hora) e no meio do segundo bloco precisei trocar de lugar para um mais calmo, já que as pessoas a minha volta insistiam em conversar e não prestar atenção no que tava rolando. E foi até melhor, já que pude ter uma visão total da pista

O evento foi até as quatro da tarde e fiquei até o final mesmo, queria aproveitar tudinho e respirar hipismo, cavalos e competição! Apesar dos problemas que enfrentamos antes, foi emocionante estar lá e fazer parte e torcer, sabe? Tentei aproveitar ao máximo, então quase não fiz vídeos ou tirei fotos. Juntei três vídeos que fiz pro meu snap (natalia.mylonas) e coloquei aqui.

Festa Junina: 5 motivos para amar

Junho para você é sinônimo de…? Bom, para mim é a época em que temos a melhor festa do ano – sorry, Natal and Reveillon – mas as juninas são sensacionais! E pra refrescar sua memória, o post de hoje traz cinco motivos para correr pra quadrilha mais próxima!

Tem quadrilha…

Não, não é algo que você só podia dançar quando era criança. Mesmo adulto, participar de uma quadrilha – seja ela ensaiada ou não – é delicioso. O Nordeste – mais especificamente em Campina Grande – tem a tradição de quadrilhas enormes com pessoas adultas. E eu diria mais: a diversão é maior que quando somos pequenos. Afinal, o que seria da vida se não fosse pagar micos?

… tem canjica, tem quentão!

E mais um monte de comida gostosa! Quer ver mais? Salsichão, pé de moleque, paçoca, bolo de fubá, milho cozido, arroz doce, caldos, doce de leite.. é uma delícia atrás da outra que é impossível você não gostar de uma! Dieta? Esquece, vai

Ser brega é ser cool

Acredite, nada mais bacana do que ser brega nessa época de festa junina. Vale combinar umas coisas que no resto do ano, não dá pra usar. Chapéu de palha, camisa xadrez, vestido de chita. A ordem é ousar!

O que falar das brincadeiras?

Além da quadrilha, outra coisa ma-ra-vi-lho-sa das festas juninas são as barracas de brincadeira que é garantia certa de diversão: Pescaria, corrida do saco, derrubando latas, pau de sebo e correio elegante. Escolha a sua e se divirta!

A decoração é maravilhosa, vai

Bandeirinhas, Fitinhas, Luzinhas. Isso é apenas parte de uma decoração que a gente pode ver nessa época. E é tudo tão coloridinho que não ofusca os olhos. E dependendo do lugar, pode rolar até fogueira de verdade.

Pra se divertir: jogos de tabuleiro

Quer coisa melhor do que feriado prolongado? Em muitos estados, hoje é comemorado o dia da Consciência Negra. Se ainda tá sem planos, que tal juntar os amigos no findi e rolar uma rodada de jogos de tabuleiros? Esse tipo de diversão começou a ficar popular no século XIX, quando a classe média tinha mais tempo para o lazer.

Tá esperando o que? A diversão é garantida, vai por mim. Eu separei aqui 4 deles. É só escolher!

Catan

mapa_catan

Conheci esse jogo no começo desse ano, em um almoço com amigos. Em uma primeira explicação, parece praticamente impossível de entender. Mas nada que jogando, não pegue o ritmo. O objetivo principal do jogo é fazer dez pontos. E pra isso, vai se construindo aldeias e vilas com os recursos (palha, madeira, tijolo e ovelha) que se ganha a cada rodada. Pra sair vencedor, a melhor arma é usar de astúcia e inteligência. Existe também as expansões do Catan, mas essas eu ainda não conheço.

Uno

1748_1

Também conhecido como destruidor de amizades! Quem já jogou, sabe que relacionamentos ficam bastante abalados com algumas cartas. As regras são bem óbvias. Sete cartas são distribuídas entre os jogadores e ganha quem não tiver mais nenhuma na mão. Para eliminar, a sua carta precisa ser ou da cor ou do mesmo número da última jogada. Não tem? Compra até encontrar uma que sirva. Outras cartas bônus também fazem parte como ‘+4’, aquela cuja faz o participante compre quatro cartas e acabe com amizades, como falei lá no começo.

Banco Imobiliário

banco-imobiliario-monopoly

Para os nascidos nas décadas de 70 e 80, esse jogo tem gosto de infância. Originalmente, se chamava Monopoly e é um dos brinquedos mais vendidos na história do Brasil. O maior objetivo dele é adquirir imóveis, bairros, hotéis e empresas e não ir à falência. As versões mais recentes desse jogo, contam com uma novidade: no lugar do dinheiro, uma máquina de cartão de crédito. Prefiro o original, com aqueles dinheiros falsos.

War

De todos os jogos, acho que é o único que nunca joguei. Para sair vencedor no War, você precisa completar seu objetivo que é entregue ao começo do jogo. O tabuleiro, também um mapa mundi, é dividido nos seis continentes. O jogador precisa atacar o seu oponente, cada qual em um território. Há variações, como o “War Imperio Romano”.

Hoje é dia de rock, bebê!

Daqui umas poucas horas, o RockInRio 2015 finalmente começa e dura não só esse, mas também o outro findi. Apesar de ter amado a minha ida na última edição (fui no dia do Justin – muso – Timberlake!) esse ano decidi curtir de casa e da televisão mesmo (apesar de morar super perto) e preparei esse post com dicas para a galera que vai se jogar festival.

Use roupas confortáveis.

São Pedro resolveu colaborar e o tempo tá bem quente nessa primeira parte. Então, prefira looks bem confortáveis e leves (nada de calça jeans, pelamor!), como blusinha + short + tênis. Óculos escuros também completam o visual. Ah, sem muita make. E não esqueça do filtro solar.

Descanse bem

Para a tchurma que ainda vai pros outros dias, o bacana é dormir bem no dia anterior para que na hora não role cansaço (já que isso é uma das partes ruins do festival) e sono na hora do show principal.

 – Faça refeições leves

Lá o desgaste é bem grande, tanto na hora dos shows quanto antes … então, para enfrentar  essas horas, antes de ir faça refeições bem leves e abuse de frutas, água e sucos para hidratar. Ah e também evite bebidas alcoólicas para conseguir curtir tudo, né? Passar mal não é legal!!

Leve cangas

Como lá não tem cadeiras para sentar, a melhor opção é se jogar nas cangas mesmo para dar aquela descansada quando o corpo pede.

Rio, eu gosto de você!

Hoje, no dia 1° de março, a cidade do Rio de Janeiro comemora seus 450 anos. E, para mim, não existe melhor lugar para morar do que a chamada Cidade Maravilhosa, mesmo com todos os nossos problemas. Por exemplo, no verão – e em todas as estações também –  existem alguns lugares bem especiais para curtir e eu já falei deles por aqui. Mas não é só por isso que torna o Rio de Janeiro uma cidade encantadora. Quer ver só?

 Yes, nós temos praia! E de todos os jeitos

10995272_864776690235910_550049285_n

Praia do Recreio – dia de semana, praia particular. 😍

Tudo bem, não é só no Rio de Janeiro que existe praia, eu sei disso. Outras cidades também possuem, mas mesmo assim aqui podemos encontrar desde as mais cheias e famosas como Copacabana e Ipanema – conhecidas no mundo todo – até praias que em dia de semana são tão desertas que podem ser consideradas particulares, como no Recreio dos Bandeirantes (a minha preferida, diga-se de passagem!). E, não só isso: nós temos a melhor dupla de todos os tempos: biscoito O Globo e Mate com Limão!

O nosso Carnaval é o melhor

0000001 00001

Foi mal, Salvador. Foi mal, Ouro Preto. Mas acho que sim nosso Carnaval um dos melhores e mais bem feitos no mundo. Por aqui, tem para todos os gostos e gastos: tá sem dinheiro, pode se jogar nos milhares de blocos gratuitos (sem esse lance de corda, pipoca e abadá) – e que tocam desde as típicas marchinhas até blocos temáticos como “Chora, Me liga” (sertanejo), “Favorita” (funk) e “Sargento Pimenta” (Beatles). E se tem uma grana sobrando e curte, pode aproveitar a data na Sapucaí durante esses quatro dias em um dos melhores espetáculos da Terra.

O ano novo aqui é o maior do mundo:

copacabana-2

Em Copacabana, bairro da zona sul carioca, ocorre todo dia 31 de dezembro o maior Réveillon do mundo: nada mais, nada menos que aproximadamente 2 milhões de pessoas vão curtir a virada de ano na chamada princesinha do mar. Tá bom para você?

Cariocas são bonitos, bacanas … e receptivos!

Desculpa, galera de outros estados, mas uma coisa a maioria tem que concordar: nós, cariocas somos bem simpáticos e receptivos principalmente com turistas. Pra tudo e todos damos papo, puxamos conversa e fazemos amizade eterna com uma facilidade incrível! Não se espante ao conhecer um carioca e ele te cumprimentar com dois beijos no rosto e um abraço caloroso!

Short e havaiana são nossos uniformes

 Havaianas-1

Informalidade é nosso sobrenome. Não se assuste ao ver um morador do Rio de short e havaiana em um shopping, por exemplo. Ou até no barzinho com amigos. Não torça o nariz quando der de cara com alguém vestido dessa forma no aniversário do seu amigo. Isso não é questão de desleixo não, meus caros. Além de sermos bem irreverentes no modo de nos vestir, o calor é tanto que é a melhor pedida mesmo.

Nosso sotaque é o mais legal.

Dizem que falamos chiando.. e eu acho um absurdo comentarem isso só porque na nossa boca biscoito sai como bixxxxcoito, esquenta vira ixxxquenta e espelho para nós, cariocas é como se fosse ixpelho. Podem confessar, nosso sotaque é o mais lindo do mundo!!

A nossa vista é uma das mais lindas

 10173815_10152313343503901_1886861345220724701_n 10428717_10152849677658901_5711697820738480945_n

Desculpa, São Paulo e sua selva de pedra e prédios para tudo que é lado. Mas é impossível ficar de mau humor quando do alto de um prédio, passeando no terraço de um shopping ou indo para o trabalho, você pode dar aquela espiadinha esperta seja no Cristo Redentor, Pão de Açúcar ou em alguma praia, dependendo do lugar que você se encontra, claro. Não importa o horário, a vista é sempre ma-ra-vi-lho-sa!

1939620_10152213199983901_870617551_n 1545901_10152117432193901_2025545205_n

fotos: arquivo pessoal e Google.

Como aproveitar melhor o Carnaval

Já dizia a canção do Jorge Ben, “País tropical“, em “fevereiro tem carnaval” e é um dos maiores feriados que existe no ano, com cerca de cinco dias, de sexta até quarta e o bom é que todo mundo consegue aproveitar.

1622797_10152232083798901_876660073_nSeja caindo na folia ou desfrutando de um descanso. Para você, que assim como eu, pretende curtir quase todos os dias pulando, é bom ficar atento em algumas dicas pra não passar perrengue pra curtir os cinco dias de festa.

images

Use roupas confortáveis

Mulherada, esqueça o salto durante a folia, mesmo que você saiba andar. Você tem outros 360 dias para usar, de verdade. Prefira por tênis ou sandálias fechadas em lugares que for mais cheio ou tumultuado. Dependendo de onde você vai curtir (bloco, trio elétrico, desfile de escola de samba), chinelo ou sandálias de dedo são uma roubada porque podem acabar pisando no seu pé.

roupascarnaval_01

Para as roupas, dê preferência a tecidos leves, como shorts e blusas. Caso a folia seja perto de praia, biquíni por baixo é a melhor pedida para se quiser, curtir uma antes/depois do bloco. Particularmente não sou adepta de fantasias, prefiro melhorar o meu look  com acessórios divertidos e coloridos e um make legal que me deixam mais a vontade para curtir o dia inteiro.

Se hidrate e não exagere nas bebidas alcoólicas

hidratação no carnavalBom, acho que essa dica é a ideal para que você não tenha problemas durante o carnaval e não vá parar no hospital. Como é uma época de verão e o normal do tempo é o calor ou pelo menos abafado, a solução é beber bastante água, suco, isotônicos ou água de coco  para repor o líquido que você perdeu, no mínimo dois litros/dia. Tudo bem que você é adepto de uma cervejinha ou caipirinha para curtir a folia do Momo, mas tente intercalar com alguma água (que elimina mais rápido o álcool), ok? E nada de beber de estômago vazio. Ah, e se beber não dirija! Sempre!

Não se esqueça de se alimentar

refeições leves e carboidratos no carnavalNada de ‘ah, mais tarde eu como’. Ninguém quer desmaiar no meio da diversão, não é mesmo? Então, tire pelo menos uma hora entre um bloco e outro (se programe antes pra isso, ainda mais se a distância entre os dois for grande!) para se alimentar. E nada de saladinha ou ‘algo para beliscar’. O ideal mesmo são as refeições a base de carboidratos (massas!), pra poder manter o pique e te dar energia. Fuja de comidas gordurosas e frituras e veja bem se o lugar que você escolheu prepara os alimentos direito (intoxicação alimentar no meio do carnaval não, né?).

Dormir bem é fundamental

ÍndiceEssa dica é meio difícil de seguir, principalmente para aqueles que curtem as quase 24 horas de todos os dias do carnaval, mas é super importante dormir entre 6 e 8 horas por noite se quiser chegar ao final bem e no pique. Ao se programar para se jogar nos blocos (ou desfile das escolas de samba ou trio elétrico), veja o melhor horário para descansar, ok?

Use filtro solar

levar para o carnavalAssim como o Pedro Bial nos disse naquele texto, essa é uma outra dica pra seu carnaval ser perfeito: use filtro solar, não importa se está muito sol ou ‘ah, o tempo tá nublado nem precisa’.. tem que usar sim. Se estiver muito sol, o ideal é o bloqueador solar que ai no fim ninguém vai ficar com aquela marquinha de camiseta e óculos. Já para os lábios não ficarem rachados e sempre hidratados, use um protetor labial que cabe no bolso do short, vai

Dicas anotadas? Agora só nos resta esperar o dia 13 de fevereiro e curtir !

(fotos: Google)

220Volts: Eu fui!

No último sábado ganhei de surpresa de uma amiga um presente de aniversário (é amanhã!!!) bem legal: ingressos para irmos ver o show do Paulo Gustavo, o 220 volts! Era o último final de semana de espetáculo aqui no Rio de Janeiro (mês que vem ele vai pra São Paulo, atenção paulistas) e lá fomos nós.

O show dura uma hora e meia,  tem participação especial de dois atores (Gil Coelho e Christian Monassa) que contracenam com o PG em algumas esquetes, além do ator-comediante-amigo Marcus Majella e que meio que funciona de escada para o Paulo entre uma entrada e outra. Ah, no elenco ainda tem um corpo de baile muito bom que participa de quase todos os quadros.

São seis esquetes no total e em todas elas o PG faz uma personagem feminina com um toque de critica a qualquer assunto. A apresentação inicial fica por conta do Majella que aparece para dar aqueles recados básicos (não pode fumar, fotografar, interagir com os atores e etc.) e alfinetar de forma que só fazemos com os amigos o Paulo Gustavo. Não adianta que vocês não irão ver o Paulo Gustavo interpretar homem nessa peça. Ele não consegue

10710540_10203047410501012_494171062477633349_n

O show começa com uma cantora, que é uma mistura de Beyoncé (musa mor do ator) e Shakira. Ela é prepotente, acha que por ser famosa, tem que ser venerada por todos. Através de um diálogo com o seu agente (Monassa), ela se diz muito importante e faz 1001 exigências absurdas (como três camarins e flores sem pólen). Qualquer semelhança com muitos artistas por aê, bom não é mera coincidência, né?

A segunda esquete é com a Mulher Feia, que indiretamente critica o padrão de beleza imposto pela atual sociedade. Nesse ponto, é quase um bate papo informal entre o ator e a platéia e ele só usa o telão. A terceira nos apresenta uma mulher, no maior estilo “piriguete” que vai curtir a balada e dá mole pra vários caras. Encontra o namorado que enganou dizendo que ia ficar em casa. Divertido, mas não é o melhor da noite. Não me empolgou tanto quantos os outros.

 paulogustavo-personagem-mulherfeia-220volts-boadiversao_20286

A próxima é da mais conhecida personagem dele, a “Senhora dos Absurdos” e, para mim, a esquete com a maior crítica de todo o espetáculo. A personagem, uma moradora rica do Leblon é daquelas que, infelizmente encontramos pelas ruas: é do tipo  preconceituosa com tudo: gays, pobres e gordos.

PG220VAPeca_Estreia_CreditoPapricaFotografia_00003A quinta e penúltima apresentação do Paulo Gustavo é um monólogo de uma apresentadora de programa feminino matinal. Senti uma alfinetada em Ana Maria Braga e seu Mais Você e outros programas do gênero que conseguimos ver trocando de canal até a hora do almoço quando de forma direta trata a telespectadora (maior público alvo) como uma mulher alienada que acredita em tudo que se fala.

Para terminar, a última esquete nos apresenta a Ivonete, empregada doméstica que mora no morro e tá esperando o resultado se ela foi ou não escolhida para ser madrinha de bateria da escola de samba na comunidade. Nessa, a crítica fica por conta do descaso do governo com a população.

Senti falta do Paulo Gustavo e das suas piadas, mas depois entendi que ali não era o show dele, mas sim das cinco personagens que compõe o 220volts. E isso ele mostra ao público com o Hiperativo. Outra coisa que achei genial é que não é uma peça simples. Cada esquete tem seu cenário, trilha, texto certinho. Tudo pensado direitinho, sabe? E isso que me encantou muito e me deixou batendo palmas de pé. Se eu já era muito fã do cara, depois dessa então. E que venha o “Hiperativo”, em março

Meus lugares favoritos em SP!

Amanhã, 25 de janeiro, a minha querida São Paulo comemora seus 461 anos. Ela é de longe, minha segunda cidade favorita para morar (só perdendo para o meu Rio de Janeiro querido), tanto que já escrevi aqui uma crônica sobre o amor que existe em SP. Sei, que se um dia eu precisar mudar de cidade e escolher uma, sem sombra de duvidas seria a terra da garoa.

Bom, também não é segredo que ano passado, depois de tanto pensar, resolvi me aventurar em uma cidade totalmente desconhecida e passar uma temporada por lá, pra fazer um curso. Foram quase 90 dias.

Claro, que assim como todas lugar, ela não é perfeita e tem os seus defeitos. Por exemplo, paulista não sabe dar informação, acho que é cultural. Pelo menos, para carioca não e foi infelizmente isso que percebi (no meu primeiro dia ainda!). Apesar disso, eu adorei o tempo que passei por lá e separei lugares que fui e coisas bem bacanas que encontrei por lá. Não deu pra conhecer tudo, mas SP é logo ali não é, ‘meo’?

Parque do Ibirapuera

Sou muito fã de praia e acostumada a ar puro mesmo morando no Rio de Janeiro, sabe? E, ver aquela quantidade de prédio me incomodava um pouco. Pra respirar o ‘verde’, tirei uma tarde e fui com as minhas roommates conhecer o Parque do Ibirapuera. Localizado no bairro da Vila Mariana e pra conhecer tem que ter (muita) disposição! Com mais de mil quilômetros quadrados, o parque conta com ciclovias, pistas para corridas, três lagos artificiais e muito, muito verde.

10294516_10152375046608901_2836252392240748388_n

Fora os museus e auditórios presentes dentro do ‘Ibira’ (apelido carinhoso <3) e alguns shows ao ar livre. Ah, o local também conta com um bicicletário em que você pode alugar bikes para aproveitar o passeio, além de barraquinhas vendendo lanches e é ideal para um piquenique.

10330224_10152377971363901_5356482166968880396_n 10344825_10152636107923901_5146576773886558067_n

Para mais informações, só acessar o site.

25 de março

10155015_10152363289683901_8178905654845137522_nConsiderada o maior centro comercial da América Latina, devido à enorme quantidade de camelôs e lojas comerciais a “25 de março”, foi um dos pontos que fiz questão de conhecer e é localizada perto da Sé. Fui em uma tarde (e não era em época de alguma data meramente comercial) e achei muito, muito cheio. Ideal para quem quer fazer compras em um preço muito mais barato. Lá, conseguimos encontrar do “A” até o “Z”. Não encontrou o que desejava em alguma loja? Bom, ali tem com certeza. atenção: vá preparado pra andar e desviar dos vendedores que te interpelam no meio da rua mesmo.

10341553_10152363577808901_28151443156913081_nMercado Municipal de São Paulo

Quem viu a novela da Rede Globo, “A Próxima Vítima” (1995), sabe do que eu estou falando. O personagem do Tony Ramos possuía uma barraca de frutas por lá e muitas cenas do folhetim foram ambientadas no Mercado Municipal. Louca por novelas, não podia deixar de conhecer. Barraca de frutas? Tem. E muitas. Cada uma com especiarias mais exóticas do que as outras. Lá, experimentei maracujá argentino, lichia e pitaya. Mas vai preparando o bolso, essas frutas, apesar de doces, são bem salgadas.

Pizzarias

Das coisas que mais sinto falta em São Paulo é a gastronomia que é ótima. E eu, que amo comer, adorei quase tudo que comi por lá. Principalmente as pizzas. Quer ofender um paulista? Ameaça colocar outra coisa que não seja azeite nas pizzas. Catchup? Crime. Fui com a família da minha amiga em uma autêntica pizzaria italiana e fui informada: ‘Pede catchup e você será massacrada’. Mas vamos combinar, não é nem necessário! Virou tanto #vício que arrumei logo uma pizzaria perto de onde eu morava e, bem, comia quase toda semana.

Avenida Paulista, MASP e Livraria Cultura

10246048_1423599471222638_1287848894_n

Uma das coisas que não poderia deixar de conhecer durante a minha estada era a Avenida Paulista, que abriga além de outras coisas, o MASP (Museu de Arte de São Paulo) e a Livraria Cultura. E uma das coisas mais bacanas de SP é que lá se respira cultura. Como existe uma quantidade enorme de museus (como o Museu da Imagem e do Som que não consegui conhecer), sempre tem exposições bem bacanas. Fui passear pela Paulista umas duas vezes, ambas para curtir o festival de humor Risadaria, que acontece todos os anos com os feras do humor.

1098392_10152299680178901_1213377036_n 10175192_747078048657248_612109027_n

Primeiro dia, rolaria um mini standup com o Fábio Porchat no Conjunto Nacional. No semana seguinte, um bate papo com outros atores do Porta dos Fundos, o Antônio Tabet e o João Vicente de Castro, na Livraria Cultura. Pausa. Para quem é apaixonado por livros, como eu, entrar na Cultura é querer fincar raízes e falar: só saio daqui quando conseguir ler todos esses livros, me deixem por aqui por favor. Depois disso, fui conhecer o MASP, único museu que visitei. Geralmente, nas terças feiras a entrada é gratuita (não sei se isso acontece em todos os museus) e tinham três exposições no dia (duas só no segundo andar), que infelizmente não lembro os nomes (mas sei que uma era sobre a Grécia e outro sobre arte), mas tudo muito, muito lindo! Uma pena lá ser proibido tirar foto (e, sim, tem um segurança em cada parede praticamente.

Vila Madalena

Pra quem gosta de curtir uma boa balada, ir na Vila Madalena é o ideal. Fui em três ocasiões: a primeira quando fui passar um final de semana por lá em 2013, conheci o bar Quitandinha, e ano passado numa casa de shows com um nome bem peculiar, o Favela da Vila e em um outro bar- restaurante para comemorar o aniversário de uma amiga, o Alto da Harmonia que tem um terraço com uma vista linda da cidade.

1907616_10152303114583901_372929945_nO bairro é tipicamente boêmio e além das residências, conta com vários barzinhos para quem quer apenas curtir e conversar com os amigos. Mas, diferente do Rio de Janeiro, onde tudo é informal (principalmente no vestuário), nem pense em ir de havaianas ou sandália de dedo em um desses lugares (algo que você vê e muito na capital carioca) por mais simples que o local pareça ser .

Cinco ideias para comemorar seu aniversário

Daqui dez dias é o melhor dia do ano pra mim: meu aniversário. Faço 29 anos no dia 27 de janeiro, quase uma balzaquiana. E, como toda pessoa indecisa, ainda não sei como comemorar. Pois é, todo ano é a mesma dúvida: como e onde celebrar meu novo ano. E eu adoro festejar essa nova data. Se muita gente usa o começo do ano para mudanças, eu uso o meu aniversário, já que é pertinho do começo do ano.

comemorar-aniversario

Uma coisa que nunca consegui fazer foi aniversário na escola, por exemplo. Por ser no meio das férias de fim/começo de ano, esse sempre foi meu trauma, sabe? Pensando nisso, eu separei cinco ideias bem bacanas e inusitadas para que se você, assim como eu, está sem ideia do que fazer pra comemorar.

Piquenique

Deve tá estranhando, não é? Mas que tal comemorar ao ar livre (pode ser em um parque ou em um quintal bem grande) o seu aniversário (ou batizado, noivado, bodas)? Pois saiba que fazer um piquenique para comemorar sua festa tá super na moda e existem até empresas especializadas nisso, que vão desde aos convites até a decoração, incluindo os comes e bebes. Descobri a #VemProPiquenique (que atende RJ e BH) e a PicNic Chique. Se tiver sem grana para terceirizar o serviço, serve juntar os amigos com uma toalha e comidinhas num lugar aberto com vista linda e céu limpo.

1002527_664064173710740_8518508542750458095_n

Piquenique na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro (foto: PicNic Chique)

Festa temática

Solte a imaginação nesse tipo de festa. Faça aquela que você mais se identifica. Uma amiga, ano passado, pra celebrar os últimos 365 dias antes de chegar aos 30 com uma festa cujo tema era “Infância” e a mesa dela foi da turma do Chaves, deixando para os convidados a opção de irem com aqueles desenhos que mais gostavam quando eram crianças. Eu, por exemplo, tenho vontade de fazer um baile de máscaras. Ou uma festa a fantasia. São inúmeras as opções e fica a seu critério. Um dia, quem sabe?

(foto: acervo pessoal)

(foto: acervo pessoal)

Viagem com amigos

Tá com uma graninha sobrando? Reúna os melhores amigos e vá passar um final de semana fazendo algo diferente. Viaje com eles para um lugar que vocês ainda não conheçam e explore a cidade. Além de conhecerem uma cidade nova, ainda terão oportunidade de se divertir. Mas um aviso: se o grupo for grande, vale a pena se programar uns meses antes para reservar o hotel, a pousada.

muita-calma-2

Salão de beleza

Programa tipicamente de mulherzinha. Quer fazer algo incomum no dia do aniversário? Junte um grupo de amigas e marquem um dia típico de mulherzinha no salão de beleza, com direito a tudo! Seja mimada por um dia e ainda coloque as fofocas em dia. Alguns lugares dão tratamento VIP, para nós, mulheres com direito a champanhe e petiscos gostosos. Procure o mais legal na sua cidade, afinal, “girls just have a fun”.

Girls, just have a fun

Balada Bus

Imagina rodar a cidade dentro de um ônibus? Tudo bem, não um normal, mas um que se transforma em balada com bebidas e comidas e muita, muita música? Parece estranho, mas não é. Depois das limusines (que tem um limite menor de gente), resolveram inventar a festa dentro do ônibus. Aqui no Rio de Janeiro, existe algumas empresas que fazem esse tipo de evento, como a Bus Party ou a Fest Bus Diferente, não? Eu curti demais!

balada-ambulante-14

[Especial Fim de Ano]: 7 tipos de amigo oculto

Já virou tradição de 10 a cada 10 grupos de amigos o amigo oculto (ou amigo secreto em algumas regiões) nesse final de ano. É uma forma de confraternizar entre seus amigos de faculdade, colégio, trabalho ou na família. Dizem que essa história começou entre os povos nórdicos. Eles esperavam o amanhecer para trocar presentes em que diziam: “Que você jamais esqueça dos deuses sobre nós.”. amigo-secreto
Essa brincadeira se tornou popular durante a época da depressão, já que a maioria não tinha dinheiro pra comprar presentes para todos e assim, todo mundo saia com o seu. O que importa, no fim é você comemorar com as pessoas queridas!

Mas sabia que existem tipos de amigos secretos? Não? Vamos lá!

Amigo oculto ladrão:

O sorteio é feito na hora e o presente é unissex. Embrulhe de modo que ninguém descubra o que tem dentro e coloque todos juntos. Escreva o nome de todos os participantes em um papel e dobre. Feito isso, é sorteado e a pessoa vai lá e selecione o presente que quer (menos o seu, é claro!). A partir do segundo sorteado, pode ir roubando os presentes que já foram escolhidos até a última pessoa. Estipulem um número máximo que cada um pode trocar ou a brincadeira vai durar até o fim do ano seguinte!

Inimigo oculto/ Amigo da onça:

Pode ser feito junto com o amigo oculto e é bem simples. Você presenteia o seu amigo com algo que ele não gosta ou não é adepto. Explico. É rockeiro e detesta pagode? Compre um CD do gênero que ele não curte. Ou uma caneca daquele time que ele tem imenso pavor. Ele é daqueles preguiçosos e detesta fazer alguma atividade física? Presenteie ele com um vale academia. Mas, claro, tudo dentro de um bom senso. #dica: só faça isso com aqueles que você tenha muita intimidade para não gerar climão em plena confraternização de fim de ano! E também não gaste muito, o intuito é brincar!

Amigo Oculto temático:

Você tem um grupo de amigos que curte livros? Faça um amigo oculto do tipo. Já sei, faz o gênero geek, não é? Simples, só fazer um com esse tema. Tem um clube da Luluzinha então? Nada te impede de fazer um amigo oculto só de lingerie/produto de beleza/ bijouterias. Outros exemplos: amigo álcool (para os que curtem uma bebida), amigo havaiana, amigo oculto erótico, amigo caneca, amigo Disney.

amigo-secreto-1
Amigo artesanal:

Bem simples também. Nada de comprar coisas para seu amigo. Esse tipo de amigo secreto é aquele DIY (do it yourself, ou seja, faça você mesmo). Se você, assim como eu não leva muito talento para coisa, pode ser um porta retrato decorado por você e que contenha uma foto com o seu amigo secreto! Já se habilidade é seu sobrenome, arrase na produção. Lembrando que a intenção é a que vale. Ideal para quem tá com o orçamento apertado.

– Amigo reciclado/sustentável:

A ideia aqui é presentear aquele seu amigo com algo que seja reciclado ou sustentável, como ecobags ou produto de beleza que seja feito naturalmente. O planeta agradece.

Amigo com foto

Melhor opção para a galera do trabalho que não se conhece muito e não tem muito contato. No dia do sorteio, cada um leva uma foto sua criança em um envelope com um pseudônimo. Cabe a cada pessoa tentar adivinhar quem sorteou e escolher um presente para a pessoa, que só será revelada no dia da troca!

Amigo oculto ao contrário:

O padrão na hora da descoberta é você ir dando dicas sobre quem você tirou para as outras pessoas adivinharem, certo? Bom, nesse caso a pessoa é vendada e quem o tirou se revela aos demais em silêncio. Começa então perguntas cujas respostas sejam sim/não de quem não tá enxergando para ver se descobre quem o sorteou. Legal é estipular um máximo de perguntas para cada um.

*DICAS:*

AMIGO OCULTO

– Antes de mais nada, estipule um valor máximo para presente entre os participantes. É injusto ganhar presente de 10 reais se você gastou 100. Assim ninguém sai perdendo. Respeite o limite.

– Tá sem tempo de encontrar os amigos para fazer o sorteio? Seus problemas acabaram. Existe o site Amigo Secreto que você pode entrar, criar um grupo e chamar seus amigos. Uso há anos e nunca me arrependi. Sabe o melhor? O jogo não fecha, não tem aquela de ‘A tirou B e B tirou A’.

Bienal do Livro

Não sei se vocês sabem, mas eu amo ler. Do tipo que devora tudo que tem letrinhas! E, como é de praxe em todo ano par acontece a Bienal do Livro em São Paulo, entre os dias 22 e 31 de agosto, no pavilhão de exposições do Anhembi.

O festival chega em sua vigésima terceira edição na capital paulista trazendo autores famosos como Harlan Coben, autor de “Confie em mim” e “Não conte a ninguém“, que fará uma palestra sobre “Os mistérios da ficção policial”.Contará também com a presença da autora da série “Instrumentos Mortais“, Cassandra Clare. Ambos estarão na feira no dia 23 de agosto.

Cassandra Clare se Halan Coban

Cassandra Clare e Halan Coban: dois autores que participarão da Bienal do Livro, em SP, no dia 23

 

Uma das novidades do evento internacional é um aplicativo (disponível no GooglePlay e no AppStore) que permite fazer consultas de expositores, as atrações, os produtos da feira e acompanhar em tempo real o que acontece por lá!

Para saber mais informações (como chegar, preço da entrada, melhor dia para você ir…) , acesse o site da Bienal e aproveitem!

http://www.bienaldolivrosp.com.br/